COLECTÂNEA LITERÁRIA

PROSA

 

Ademir Barros dos Santos

 e

Nuno Rebocho

 

 

 

 

BIOGRAFIAS

* Ademir Barros dos Santos: Coordenador da Câmara de Preservação Cultural do Núcleo de Cultura Afro-Brasileira – Nucab – da Universidade de Sorocaba – Uniso. Sorocaba, São Paulo, Brasil
**Nuno Rebocho: jornalista, escritor e pesquisador, radicado em Ribeira Grande de Santiago, também conhecida por Cidade Velha. Ribeira Grande, ilha de Santiago, Cabo Verde.

 

 

 

A COMPANHIA DO GRÃO-PARÁ E MARANHÃO
- ATUAÇÃO NO BRASIL E NO ARQUIPÉLAGO DE CABO VERDE

contributos para a sua história

 

Índice

 

(clique no nº de: "Pág."  ou na: "")

 

Pág. 2 Pág. 3 Pág. 4
OBJETIVO Portugal e os jesuítas A Companhia Geral de Comércio do Grão-Pará e Maranhão
ANTECEDENTES O Marquês de Pombal A Companhia de Comércio do Grão-Pará e Maranhão
 

 
Pág. 5 Pág. 6 Pág. 7
A decadência, no Brasil

CABO VERDE

Outras companhias monopolistas
 

Atuação da Companhia do Grão-Pará no arquipélago cabo-verdiano

A morte de Bezerra de Oliveira

 

 
Pág. 8 Pág. 9
Fomes e epidemias em Cabo Verde no séc. XVII e XVIII BIBLIOGRAFIA
CONSIDERAÇÕES FINAIS  
 

Imagem de fundo: 1878_Adams_Monumental_Illustrated_Panorama_of_History_-_Geographicus

Som:

Nôs Morna
Ildo Lobo


Si bô ca crê uvi morna, música raínha di nôs terra
Rancá bô bai bô tcha'm li, ness Cabo Verde suave e doce, nôs terra mãe
Inspiração di nôs poeta, princesa di nôs serenata
Na noite serena di luar, dbóch d'janela dum cretcheu
Na tchoradinha dum violão.
Cabo Verde sem morna, pa mim el ê terra sem sol sem calor
Noiva sem grinalda, vitória sem glória dum povo cristão
Bem bô d'zem bô nome, se bô ê fidjo cabverdiano
Bem nô junta voz, nô bem cantá nõs morna.

 
 

 

LIVRO DE VISITAS