"FÉNIX"

Colectânea Literária

POESIA

 
   
   
 

O SOL(OUTRA FACE)


Sol (outra face)
beleza que se explode na geografia

lampejo
e bruma
no céu risonho

Sol
ato real
e sorriso comovendo
o mundo
em festa farta e calor

Sol
raro e uno
que jorra mel
da boca do CÉU.
 

poema solilóquio
sol reverenciando-se: (inclusa mesura)
o sol aqui eviscerado

Alberto Araújo

 
   
   
 

(INTE)(RIO)R


I

vago no cântaro
onde o oleiro se aguça

II

musica harmonizada
onde a semente é o soneto
e a argila é Deus

III

gesto da torre concreta
que a cor azul se desata – a poesia é aresta
o amor é vela
 

:

a face é blusa aberta.

Alberto Araújo

 
   
   
 

MAIS QUE PAIXÃO

 

Uma paixão dilatada
em desvario – paixão que alimenta o coração
e atravessa o rio. – Alberto Araújo

Uma paixão
candente – mais que delírio
mais que trigo nascendo – se desemboca
(pura serpente serpenteando)

uma paixão
inebriante – mais que grito insano
dilata-se em praia acesa – mais que
boca ardente em rios de cores rubras se alaga

uma paixão
estonteante – mais que o brilho do sol
mais que vinho ao cúbico – mais que
girassóis em ventanias

uma paixão
voluptuosa – mais que estrelas da manhã
– mais que as telas de Monet – mais que cidade prenhe
mais que prisões descoloridas.

uma paixão
intensa – mais que veemente corpo faminto –
mais que cerração – caracóis de asas desguarnecidas

uma paixão
dentro de ti e de mim – trens e estrelas brincam
em voos galopantes e sem fim.

Alberto Araújo

 
   
Três poemas (imigratórios)
   
 

EVIDÊNCIAS


Os pássaros
sabem a hora
do amanhecer – os pássaros;
sabem o segredo das árvores – os pássaros: sabem os rastros
do não sofrer
os pássaros;
sobem aos meios das cinzas/sobreviver

Alberto Araújo

 
   
   
 

IMIGRAÇÃO


O pássaro
voará rumo ao sul
e suas pegadas hão de ser vivas – e hão de sobreviver
tempestades
hão de resistir aos infectos
E na simplicidade
a sua prescrição
seja exata.

E quando o silêncio cheirar a nudez dos peixes
não haverá medo – e sim ânfora de cristal.

– o pássaro estará
na grande árvore, e no alto
a translúcida PAZ

Alberto Araújo

 
   
   
 

VOO


voar exato
no singrante CÉU
voar e não ter medo de ser feliz
voar tranquilo
e capturar
o ápice dentro de si
cavalos – estrelas – frenesi.

Alberto Araújo

 
   
   
 
Livro de Visitas