"FÉNIX"

Colectânea Literária

POESIA

 
   
   
 

SEXO E MAÇÃ


Comer o fruto do amor
Comer – comer – comer
sorver
as gotas encantadas
e todos os ardores
comer o fruto do amor
e na limalha – o corpo moído
cansado
macerado – exala todos os odores
comer o fruto do amor
sem pudor, sem ocultar a face
e na metamorfose
descobrir todos os sabores.

Alberto Araújo

 
   
   
 

LUA DE PRATA


O branco
artilharia que reveste
a lua
o branco
céu diante da
folha nua
o branco
tela mítica que exala
sol
vento
teia
grãos
o branco
mulher – água doce do amor
caixa ornamentada de segredos
que transporto em minhas mãos
:
e um poema que fala de anjo:

Alberto Araújo

 
   
   
 

ANJO (a quarta dimensão)


Hoje ao despertar
vi um anjo
Senti
suas asas tomarem
conta da minha
paixão incontida
corpo e alma
deixei fluxos em
sua paixão atrevida
anjo
protege-me para dentro
do teu céu.
incendeia-me de amor
quero a você entregar
minha própria vida.

Alberto Araújo

 
   
   
 

A PEDRA QUE O RIO ABRAÇA


......................... quando cheguei ao Rio
surge uma pedra
e o Rio abraça liamemente
sem incêndio – obstáculos
dissabores – asperezas
no Rio da vida
a pedra deseja
ser artista – é que
na lexicografia – a pedra
anela-se com lhanezas.

Alberto Araújo

 
   
   
 

O EXISTENTE FÓSFORO


Para existir
e na conexão o amor ser repleto
para libertar o ego, superego
para mergulhar
para começar
acreditar
só o amor
ele tem a força sagitária
vou enviar uma
correspondência
para a luz – guardarei o fósforo
para acender suas digitais
e o que me admira!
vou penetrar-nos
combustíveis das dores
lá estarei – e por ser rei
assim serei
a linguagem
a inspiração

:

de sua lira.

Alberto Araújo

 
   
   
 

ÁGUA É VIDA E CORRE PELO CHÃO


Água
é a vida – é corredeira
e em engolfo
sua penugem
é resina cristalina
pura crocitar de
aves
e no caminho
o paralelo, a tangente
é uma crestadura
água
é encanto infindável
que o Criador orgulha-se
abstração em posto
acasulado
beber da fonte
as dores veem se acalmar
e uma infinidade de inspiração
vem acartuchar-se na alma
Água é vida
diz-se desde
primórdio apocalipse.

Alberto Araújo

 
   
   
 
Livro de Visitas