"FÉNIX"

Colectânea Literária

POESIA

 
   
   
 

A FACE


O grito na face
soterra o ocultar
do que não é fera
o espelho devora
a face
e no profundo enigma
a pedra germina
e não basta – porque
o rio nunca cessa a face.

Alberto Araújo

 
   
   
 

ESTRELA LÚCIDA


Estrela explosiva (sim)
estrela do meu amor casto
e sem fim
estrela, estrela
de pura energia – na suave noite
transborda alegria
- quando esta estrela surge
tilinta todos os metais – e geografias
(cristal de amor do apocalipse)
estrela lúcida
no céu de Afrodite

Alberto Araújo

 
   
   
 

LUA ÍNTIMA


................................... Há uma lua
é uma tela branca
(na branca noite sóbria e sombria)
há uma lua íntima
e o barco navega, navega no mar
da mais absoluta alegria
há uma lua [...] branca
amor, imortalidade

:

luz da poesia.

Alberto Araújo

 
   
   
 

MOLDURAS


Molduras - guardo as mais bonitas
aqui no coração; são
arestas, mãos que tateiam
as palavras que o amor diz
e contra o (i) limite
construo o meu jardim.
jardim, porta, infinito antídoto
giz
moldura:
um belo sinal
e uma busca pelo real se ativa
moldura: eis aqui a mais densa, afinal
é matéria viva.

Alberto Araújo

 
   
   
 

ESTRELA


a luz
é estrela eterna
apesar do silencio
articula o campo das flores
o gráfico, as louças
a luz é digna;
dos signos
das pedras
dos trovões
da flor
e na astúcia do tempo
d
e
s
c
e pela textura da pele
e embriaga o ser do mais
eterno amor

Alberto Araújo

 
   
   
 

A MÃO QUE ACARICIA


A mão constrói
ima
g(i) em;
n
e
que sou lou
co
e a lou
cu
ra
crist(a)lize-(se)
no ímpeto da
vi
da
tão
vi
vida.

Alberto Araújo

 
   
   
 
Livro de Visitas