"FÉNIX"

Colectânea Literária

POESIA

 
   
   
 

CONTEMPLAÇÃO DAS ÁGUAS


Contemplo o CÉU
:
E sua vela se
acende, e a cidade se acorda mais
cedo, e a criança decifra o segredo
uma – duas ou mais paisagens... e além
dos olhos a luz é poesia que a folha traduz
real fruto arquitetado
no caminho das águas – e o caminho
é um contentamento de si mesmo
água é vital é infinita
e toda contemplação rítmica
na
te
la
se fixa.

Alberto Araújo

 
   
   
 

NAVEGAR / AMOR


(1)

Navegar

o barco
no mar/em
mim e ti
a imensidão
do amor – AMAR

(2)

que
venham
obstáculos/
maremotos/ósculos
de sereia/furação
horas (in)
compreensivas
se o amor/
tem a face
em mim e ti/
que venham
ondas alusivas

(3)

descer à beira rio/
grito preso na garganta/
canta, canta – assim o
mal se espanta

(4)

inda que
a chama se calhar/
a misericórdia se afastar/
imprevisíveis sangues
e sal coagulado no coração

(5)

mover-se feito
folha no chão/fênix
ao poço fundo/
vale ser homem/
mulher
e se envolver
claro-calor-sabor
do amor/sacudindo
o mundo.

Alberto Araújo

 
   
   
 

ESTRELA E POESIA


A poesia me escuta
vida, amor e alegria
somente assim
consigo ver as estrelas
dissolvo os rochedos
e devoro as esfinges
a estrela me escuta
e o espaço me consome
somente assim
consigo semear
a lucidez, o canto, e o céu azul
bebo profundamente
do seu íntimo intangível
e no verde chão fecundo
um oceano de poesia.

Alberto Araújo

 
   
   
 

SONHOS DE MARFIM (2)


(1) – sonhar interligando-se/no alto
de um castelo/sabedoria/poesia
deixar correr nas veias de fato o ato
em cada gesto/cada palavra o amor exato
/sonhar o que convéns/assim/faz sentir-se
vivo/todos os poros da imaginação/nesse
clarão/acender o mundo/sonhar é o recheio/
claro e preciso do coração.

(2) Sonhar:
os passos sagrados da vida/sonhar enfim
sonhos de marfim.

Alberto Araújo

 
   
   
 

TEU CORPO (3)


[en
vol
ver
-me
em
teu
cor
po
feito
ímã/pré
vê – a
ima
gem
o
ato
de fato
do
ato
en
vol
ver
-me
no
teu
cor
po
feito
tatu
agem
na
boca
felina
de
se
nhar
me]

Alberto Araújo

 
   
   
 

ESSÊNCIA DO DESEJO


I

A essência
do desejo, inebria
meus poros – intra
pulso que pulsa

II
sussurros jorrados
do Oasis da boca
e a gata geme mais que mia
momento que o êxtase
vira flor

III

e a língua
devora o que a gata
sa
li
vou

Alberto Araújo

 
   
   
 
Livro de Visitas