"FENIX"

Colectânea de Arte

 

 

 

GRAÇA CAMPOS

 

 

 

 
Dados Biográficos

Nasci em terras que acolhem meu universo! E a cada dia em outros espaços,
Renascendo, sou do mundo...
Graça Campos, 11/06/2015

Maria Das Graças Araújo Campos: Artista plástica, poetisa, professora de Língua Portuguesa e Língua Inglesa. Nome artístico: Graça Campos
Nasci em Manhuaçu no dia 18 de abril de 1954; mas sou do Serro, mineira serrana, de minhas raízes, onde vivi toda a infância e adolescência cercada de montanhas, de fé e riqueza humana que fazem parte do “acervo memorial” de um torrão que me encanta. Alto Azul do Espinhaço.
Busco inspiração na natureza, nas razões, nas emoções e observações do viver.
Busco-a para pintar meus versos e escrever minhas telas. A poesia e a pintura são contatos divinos que emanam paz, harmonia. Amo a língua portuguesa e a boa comunicação entre as criaturas.
Autora de crônicas, poemas e pinturas, sobre o tema “Mulher”, Expressões do Sagrado Feminino, marcos de força, coragem, e determinação. Dentre outras séries de pinturas, natureza morta, casarios, paisagens...
No espaço sagrado atelier os anseios afloram
Esboçando sorriso que inspira e aquieta
Minha loucura, lúcida loucura...
Exposições individuais e coletivas em São João Evangelista, Guanhães, São José do Jacuri, Lavras Novas, Ouro Preto, Serro, Belo Horizonte, e Circuito Internacional de Artes (Brasil - Chile)
Prêmios: Menção Honrosa Internacional XIV Circuito de Arte Brasileira Brasil / Chile- Museu Pablo Neruda com as telas “Pranto”, o grito de alerta sobre as águas do planeta. “Dimensões”. Museu Pablo Neruda e MAP - Museu de Arte da Pampulha Dezembro/2009.
Exposição de Artes Serro/ MG Partes de mim! Sabores da alma... Vivências e lembranças... Julho/2014.
Recente Prêmio de Excelência Profissional - Artes Plásticas 2016 pela Organização Rotary Clube Taubaté-Oeste.
É EMBAIXADORA UNIVERSAL DA PAZ Cercle Universel des Ambasseurs de la Paix- Genebra -Suíça) desde 2004.
http://gracacampos.blogspot.com/
http://gracacamposartesplasticas.blogspot.com.br/

 
Toda a Nudez da Artista Descalça

Pintura descalça
Pés no chão, inspiração, devaneios
Bem-vinda, criação!
Pés descalços, semblante anseios...

Desfaço, um por um, os nós da veste que floreia
E engambela o tempo à caça de centelha
Que acolhe e traz nos ventos “da imaginação”?
A porção que alcançou os pés no chão e a mente mansidão!

Vestida da própria pele, ouvidos em sentinela, melodias,
Canção dileta da deusa em sintonia
A pulsar a energia em luz das mãos, supostas mãos em autoria,
A emoção entranha na fração tingida do linho
Da pigmentação em euforia
Até alcançar a suavidade da obra
In/acabada,
Mesmo que se ponha fim.
Linguagem não se cala, expressão é multiplicidade,
Experimento, inovação, reflexos em construção...
O elo entre a arte o artista, porta-voz desse universo infinito
Inundado de claridão!
A partilha que se capta,
Ainda é muito pouco do exemplar à mostra,
E vai se diluindo,
Os olhos tentam registrar a cena insistente e avulta
A expressar a natureza da imagem.
Em linhas sinuosos ou precisas
Esboçam-se figuras.
Além do que se vê,
A imperfeição é a possível arte da captura.
Livres presas assumem a assinatura!
A pintura desnuda a alma da pintora.
São versos de cor e formas diversas
A declamarem sensação e sentimento
Do início ao fim do que se espera estar presente
Na perfeição do tempo!
Afins, dom e teimosia!
Despreocupada, sem se definir, vem estilosa,
Singular, formosa,
Identidade, a liberdade flui,
Torna comum e sem fronteiras
Toda a nudez da artista descalça...

Maria das Graças Araújo Campos. Toda a nudez da artista descalça.
http://gracacampos.blogspot.com.br/2015/10/toda-nudez-da-artista-dscalca.html
Graça Campos, 05/10/2015.
 
 

 

 
 

 

 

 

Livro de Visitas