"FÉNIX"

Colectânea Literária

POESIA

 

 

 
 

INVERNO NO CORAÇÃO

Ligi@Tomarchio®


Hibernar de idéias
sob neve azulada
revoada de pensamentos
calados desejos
carência de luz
amortecendo momentos
de lenta sofreguidão.

Viver exausto
amanhecer calado
crepúsculo opaco
negra noite congelada
de entrega ao desalento
dos ventos...

Continente branco
transparência incômoda
a alma vê a morte doce
dos verdes campos do paraíso.

Revoada de anjos devotados
pássaros do céu
proteção dos deuses.

Pretensão do poeta
em despertar as idéias
adormecidas no tempo
qual ungüento
para cicatrizes
marcas do viver...

Insanos desejos, cortejos fúnebres
altares floridos e flamejantes
luzes oscilando ao vento...

 
Ligi@Tomarchio
 
 

 
 

IMITAÇÃO DA ROSA

Ligi@Tomarchio®


Camélia
imitação da rosa
nunca vã apenas
flor branca paz.

Cotidiano indomável
só um gesto
aquele inesperado
acende a luz
conduz ao sonho.

Simples camélia branca
iniciando um novo tempo.

Não mais imita a rosa
não é sua natureza.

Ela apenas é.

 
Ligi@Tomarchio
 
 

 
 

IMAGEM DE CRIANÇA

Ligi@Tomarchio®


Rosto lambuzado de esperança
balões coloridos flutuando...
Estórias de castelos, princesas, reis, anões...
Casas de chocolate, bruxas, maçãs...

Mãos pequenas orando
agradecendo a vida de brincadeiras.
Seus bichinhos de pelúcia segredam
um dia repleto de aventuras.

No retrato emoldurado de lembranças
vê sua imagem distorcida
parecida com o espelho...
Centelha de memória!

Por quem espera tão ansiosa
menina brincando de esconde-esconde?
Olhe para si, entre na fantasia
descubra-se e sinta a liberdade!

Você e eu somos uma.
Mãe ou filha, qual a diferença...?
Feitas de sonhos, nossas vidas se unem
numa única voz: Criança!...

 
Ligi@Tomarchio
 
 

 
 

ENERGIA

Ligi@Tomarchio®


Sons divinos transportam
minha’alma por dimensões...
Ausência de matéria
faz do corpo energia
sem forma ou cor
apenas enxames de
minúsculas partículas reluzentes.

Movendo-se unidas de
um ponto ao outro
sem que a gravidade
a transforme em pó
ao chão.

Flutuam ...
Energizando todo campo
de tulipas amarelas
nesta manhã.

Pássaros ao longe
vozes celestiais
transcendem
preenchendo vãos obscuros
do pensamento em desalinho
trilhando caminhos desconhecidos
acolhidos pelo amor ou desamor.

Sinos badalam sós
monges oram apenas pela luz
peregrina revoada de energia
em suas mentes
repetem em uníssono
a súplica pela paz
pela sabedoria do amor
e compaixão esquecida
abandonadas nas periferias do mundo...

 
Ligi@Tomarchio
 
 

 
 

DOR DE UM FILHO

Ligi@Tomarchio®


Ar quente da tarde
envolve corpos e mentes
entre esquecimentos e dor
ares de quem está alheia
à própria existência.

Há sofrimento dos entes queridos
visitantes do coração frio
de pais e mães senis, distantes
da própria vida sem rumo.

Como saber o que pensam
entender o que desejam
em que época estão
com quem falam...

Quanta beleza perdida
força vital se dizimando lentamente,
não sou mais filho.
Um estranho perdido
num universo mental envelhecido
pela doença maldita.

Nada há para fazer.
Só a espera,
a dor, saudade,
a lembrança do amor
revolta contida
lágrimas recolhidas na alma
sufocadas no coração!

O mal que domina o cérebro é atroz.
Impede os sentimentos
as lembranças recentes
aliena o olhar que
vê o nada.

Movimentos lentos, involuntários
sem direção ou ação,
gritos viscerais, ancestrais.
A alma pede socorro...

Agressividade aguçada
sem motivo aparente.
Presente de Deus o esquecimento...
Castigo para os filhos
que nada compreendem
apenas a dor persistente...

 
Ligi@Tomarchio
 
 

 
 

CORAÇÕES SECOS

Ligi@Tomarchio®


Cântaros recolhem
pedaços de chão seco
onde a chuva
não conseguiu molhar.

Escorrem lamentos
de corações sedentos
almas secas
de tanto chorar.

Choro incontido
da fome a doer
corroer de mentes
onde as sementes?

Subsolo endurecido
tal os corações dos dirigentes
transviados sem direção
a carregar numerário desviado.

Rumo incerto para o povo
qual polvo e seus tentáculos
a procura dos caminhos
encontra destino e desatino.

O caminho longo a percorrer
com a fome a irromper
alimenta-se de esperança
o retirante ao anoitecer.

Dias e dias percorrendo caminhos
do desconhecido pensamento
querendo pão e engolindo vento
vendo o chão correr sob os pés.

Na bússola da memória
sudoeste marca imantada
desvão do coração ansioso
por labuta, recompensa da luta!

Fim do sonho.

 
Ligi@Tomarchio
 
 

 
 

ADORO

Ligi@Tomarchio®


A natureza
longas árvores
escadas para o céu
arco íris
íris dos meus olhos
mirando pássaros
poderosos guardiões
ao anoitecer.
Sentir terral úmido
som das águas
rochas.
Flores multicores
perfumes
sons celestiais
anjos naturais
animais no cio
sazonais paisagens
guardadas na retina
de olhos atentos
ao vento
lento...
Alento do viver!

 
Ligi@Tomarchio
 

 

 

 

 
Livro de Visitas