"FENIX"

Colectânea de Poesia

SONETOS

 

 

Márcia Sanchez Luz

 

 

 

Biografia


Natural de São Paulo, capital, Márcia formou-se em Literatura Inglesa e Francesa. É escritora (poesia e prosa), pedagoga e tradutora de Inglês e Francês. Iniciou sua vida profissional como tradutora e redatora, tanto de manuais técnicos como de normas de documentação e projetos na área de Informática. É autora de diversos trabalhos de tradução e versão técnica nas áreas de alimentos, refrigeração e informática. Na área de Psicologia, desenvolveu um trabalho voluntário com crianças limítrofes.
Escreve poesias desde os nove anos de idade, sempre se mantendo, por opção, no anonimato. Atualmente vive no interior de São Paulo, onde continua com seu trabalho de tradução, além de ministrar aulas de Inglês e Francês.
Em novembro de 2006 decidiu que chegara a hora de partilhar relatos de suas vivências, até então interiorizadas.
"Escritora Imortal" pela Academia de Letras do Brasil.
Cônsul Poetas del Mundo - http://www.poetasdelmundo.com/verInfo_america.asp?ID=3759
Verbete na Enciclopédia Escritores Brasileiros da Real Academia de Letras.


Livros editados:

2010

 

2008

 

2007

Quero-te ao som do silêncio!

 

Porões Duendes

 

No Verde dos Teus Olhos

Editora Protexto

 

Editora Protexto

 

Editora Protexto

Antologias:
Saciedade dos Poetas Vivos digital, volumes 4 , 9 e 12 em Blocos Online, onde tem suas páginas individuais de poesia e prosa.
Trovas premiadas e publicadas na Antologia "Projeto de Trovas para uma Vida Melhor" (UBT).
Antologia de Natal, em Blocos Online (2009)
1ª Antologia Poética Contemporânea (Editora Protexto, 2010)
Melhores da Poesia Brasileira (Editora All Print, 2012) – soneto agraciado com o Prêmio Cultural Bem Te Vi
Antologia de Poesia Celeiro dos Escritores - Litteratus (Celeiro de Escritores, 2012)


Entrevistas concedidas:
À Mona Dorf, jornalista de O Estado de São Paulo, para o programa Letras & Leituras.
A Luiz Eduardo Caminha, âncora do programa Stammtisch (TV GALEGA, Blumenau).
A Selmo Vasconcellos para a 1ª ANTOLOGIA POÉTICA MOMENTO LÍTERO CULTURAL


Publicações em mídia impressa:
Jornal Alto Madeira.
Jornal O Rebate.
Jornal Rondônia Ao Vivo.
Jornal Fala Brasil de Porto Alegre.
Jornal Gazeta Mercantil.
Seus espaços na web:
O Imaginário - http://poemasdemarciasanchezluz.blogspot.com
Márcia Sanchez Luz - http://marciasl2001.blogspot.com
Repercussão Literária - http://marciasanchezluz.blogspot.com

 

 

 

Crítica de Sônia Cintra

DUAS PALAVRAS SOBRE “PORÕES DUENDES”, DE MÁRCIA SANCHEZ LUZ


Os sonetos de Márcia Sanchez Luz comovem o leitor por vários motivos. Dentre eles, podemos citar dois mais relevantes: o tema e a estrutura de seus versos.
A começar pela estrutura que, na maioria dos poemas, segue o modelo petrarquista de dois quartetos e dois tercetos decassílabos, implicando rigor formal. Às vezes, eles vêm lacrados com chave de ouro, como é o caso de “Ética versus Estética”: E para sermos justos neste trato,/ faço de mim a lícita guarita/ de teus temores, tua fé finita; outras vezes trazem final aberto, como em “Crenças Seculares”: Serei assim enquanto houver luares/ norteando os passos, sonhos e lugares/ que eu possa ainda um dia conhecer.
Dos temas escolhidos pela autora para compor este livro, alguns resgatam o lirismo comedido da busca interior, tal lemos no soneto homônimo do título, Talvez seja um vestígio o que procuro; outros sugerem o ritmo do pulsar exterior: Assim transcendo a busca que não cessa, em “Seixos Transparentes”; e outros, ainda, perambulam no tempo, dos quais é exemplo “Instante Ausente”.
A fragmentação característica da pós-modernidade está expressa de forma peculiar em “Frenesi” e “Uníssona Canção”, o que denota, de certo modo, o exercício de atualização de Márcia Sanchez Luz neste seu segundo livro de poesia, “Porões Duendes” o qual, através das composições, permeadas de epígrafes, não esquece Fernando Pessoa e Machado de Assis, lembrados nos sonetos a eles dedicados, nesta primorosa edição da Protexto.

Sônia Cintra
(Academia Jundiaiense de Letras)

 

 

 

ÍNDICE

PARA UM PAI, QUE É MEU SONETO VIVO PÁG-02
O AMOR NO SONHO PÁG-02
RÉQUIEM PARA UM HOMEM SIMPLES, BRASILEIRO PÁG-02
LUA NEGRA PÁG-02
MASCARADAS PÁG-02
ATITUDE PÁG-03
POESIA PÁG-03
ALZHEIMER PÁG-03
FALAS FRIAS PÁG-03
“EU TENHO UM SONHO...” PÁG-03
AMOR IRMÃO PÁG-04
AO SOM DE MADRIGAIS PÁG-04
FLOR ANCIÃ PÁG-04
BEIJO DIFERENTE PÁG-04
VIDA PÁG-04
BILHETE DE JULIETA PÁG-05
CONTRADANÇA PÁG-05
DOCE ABRIGO PÁG-05
ESCREVER PÁG-05
SONETO A FERNANDO PESSOA PÁG-05
ÉTICA VERSUS ESTÉTICA PÁG-06
CICATRIZES PÁG-06
FRENESI PÁG-06
SEIXOS TRANSPARENTES PÁG-06
O OUTONO PÁG-06
PARTITURA PÁG-06