"FENIX"

Coletânea Literária

POESIA

 

 

MARIA JOÃO BRITO DE SOUSA

 

 

Índice

(clique em pág )

 

SONETOS

 

2ª PÁG 3ª  PÁG 4ª PÁG
A TODOS OS ARTISTAS QUE SOBREVIVEM A ESTE ANO DE TODAS AS INJUSTIÇAS ESPADA DE POETA II INICIAÇÃO À PINTURA
APELO À MOBILIZAÇÃO POLÍTICA DO CUPIDO ESPADEIRADAS IRONIAS…
AUTO-RETRATO (Carnavalesco… ou quase…) ESPANTOS ou Lembrando os Fios… MEADAS…
DIREITO À REVOLTA II GATO DE TELHADO NOS TEUS OLHOS, O SOL…
“ESPADA DE POETA” GESTO PONTUAL  

5ª PÁG 6ª  PÁG 7ª PÁG
NOUTRO DIA QUALQUER… PROJECTO DE CIDADE SONETO A UMA QUALQUER LONGA VIAGEM
O PLACEBO SE ME EXALTO SONETO ÀS ERVAS BRAVIAS
O PULO SEI DE UM TEMPO ou Mais um Soneto de Abril SONETO DE AMOR À LÍNGUA PORTUGUESA
POEMA MATER(IA) ou No Princípio Era o Verbo… SONETO À MINHA LOUCA, LOUCA INSPIRAÇÃO… SONETO DO PRODUTOR EXPLORADO
POETA 2013 SONETO A UMA OUTRA EMBRIAGUÊS SONETO EM BREVE MONÓLOGO INTERIOR

8ª PÁG
SONETO INESPERADO – ou Soneto à Coragem de Viver
SONETO LUNAR - L`IMPORTANT C`EST LA ROSE…
SONETO PARA… MORDER!
UMA OUTRA DOBADOIRA PARA OS “NOVOS TEMPOS”
VIVER ATÉ AO FIM

POESIA EM VERSO BRANCO

9ª PÁG 10ª  PÁG
ANTES QUE O SOL NASÇA NÃO TE JURO…
CEDO OU TARDE NASCE, POESIA!
ESPERO-VOS NESTE DIA DA CRIANÇA
MEMÓRIAS PARA TE AMAR, POEMA…
METÁFORA – O Manifesto PRELÚDIO PARA UM POENTE COMO OUTRO QUALQUER
  SEM TÍTULO

 

Livro de Visitas