FÉNIX

 

LOGOS Nº 13

MARÇO 2015

 

 

 
 

Deth Haak

 

INSIGTH
Deth Haak “ A Poetisa dos Ventos”


Na penumbra penetrada do vão
Rasgam-se os conceitos da noite
E as ardidas sombras da solidão
Vingam-se da vida, no pernoite;

Calcinam as ambições da tentação
Quando ruge o trovão no açoite
E as margens bramidas da dedução
Cariam os dentes da boca da noite.

Moendo da alva o que tarda chegar
Nos rocios perenes, que na face da lua
Enlameiam os seixos, e onde pisar???

Se pelas veredas que esboça a rua
Flamejam as insones desse penar
Pelos lençóis puídos da amargura.

Deth Haak - “A Poetisa dos Ventos”
Natal - Brasil
Sociedade dos Poetas Vivos e Afins do RN
Associação Internacional de Poetas
Embaixadora Universal da Paz

 

 
 

Dinorá Couto Cançado

 

É HORA DE POETIZAR E... FISCALIZAR
Dinorá Couto Cançado


É hora de brincar, performatizar e poetizar
ter uma aula poética de Educação Fiscal
o imposto de renda é o tema a se falar
historiado na Cartilha da Receita Federal.

Os personagens da dona Formiga e do Tatu
tiveram uma conversa muito interessante
ele, bem agarrado a seu abarrotado baú
e ela, muito consciente, cabeça pensante.

Ao fazer sua declaração de rendimentos
lembrou-se, logo, de seu compadre pão-duro
correu à sua casa no mesmo momento
explicando-lhe tudo direitinho, sem furo.

E o Tatu, inconformado, não aceitava
dizendo que, do seu bolso nada tiraria
e a Formiga insistia e mostrava
que, para fazer, o governo precisaria...

Aí é que o Compadre Tatu se danou
não queria ninguém entrando em sua vida
com sabedoria, a Formiga, de tática, mudou
convidou-o para um passeio, na avenida.

E o Tatu animou-se e até pôs no bolso, dinheiro
compadre, pense nas escolas, na nossa realidade
quem será que constrói tudo isso, companheiro...
de braços dados, olhavam tudo, pelas ruas da cidade.

Eu é que não sou, diz o desconfiado Tatu
é o Governo com o dinheiro dos impostos
existem outros, como o ISS, o ICMS, o IPTU...
ah, por isto que sempre fala no plural: im-pos-tos!

Ah, comadre, você é muito sabida e cheia de mania
mas eu não pago e não pago essa tal invenção
olhe compadre, aprendi desde cedo o que é cidadania
é contribuir com um Brasil melhor, com a sua construção.

E o passeio, já com diálogo mais rico, continuava
com exemplos concretos e justos, insistia a comadre
o tempo de declarar o imposto se esgotava
será que conseguiu convencer o compadre?

Conheça essa e outras histórias e, desta, o seu final
lendo a cartilha distribuída da Receita Federal
visite sites, busque seus direitos e deveres, fiscalize, afinal
fique por dentro do Programa de Educação Fiscal.

Dinorá Couto Cançado
Taguatinga – DF - Brasil

 

 
 

Dioni Fernandes Virtuoso

 

MEU MUNDO...
Dioni Fernandes Virtuoso


Nos castelos dos meus sonhos te busquei,
na ânsia de te encontrar, perseverei.
Fui além, muito além...Sintonizei!
Percorrendo o caminho do Amor, te encontrei...

Dioni Fernandes Virtuoso
Criciúma - SC - Brasil

 

 
 

Diva Helena da Silva Fontana

 

ROSA NEGRA
Diva Helena da Silva Fontana


Jardins tristes,
Rosas negras,
Noites frias,
Solidão.
Assim encontra-se num imenso vazio,
Desiludido, meu coração.
Antes, era tão colorido,
Tão perfumado,
De doce sabor;
Hoje, restaram apenas lembranças,
Daqueles tempos,
Daquele amor.
Antes, tu eras a minha rosa,
A minha flor mais perfumada.
Hoje, tu és minha lembrança,
E a tortura da madrugada.
Como eu queria ter de novo,
O amor que eu sonhei:
Pequenos gestos,
Jardim florido,
Amor para sempre...
E aqui no peito, a rosa negra,
No jardim triste e escondido.

Diva Helena da Silva Fontana
Restinga Seca - RS - Brasil

 

 
 

Dom Moysés Barbosa

 

DOIS RETRATOS
Dom Moysés Barbosa


Nós já nos amamos... estamos separados
Mas eu desejo com você fazer um trato
E que resulta de momentos bem pensados
Ponho sua foto perto do meu retrato

E tudo voltará a ser como’era antes
Bem pertos nas imagens e também na vida
Com aquele calor, como de bons amantes
Deixando bem solta a mão mais atrevida

Os beijos serão muitos e também abraços
Carícias desmedidas em qualquer lugar
Olhos fechados, não vamos conter os passos
O amor nos dirá em que mar navegar

Assim nossa vida vai se restaurar
Sair do impasse que dura tantos anos
Uma fase nova vamos inaugurar
Serão sepultados, sim, todos os enganos

E só aguardo de você uma resposta
Se quer ter seu retrato bem perto do meu
Faço agora com você uma aposta
Ganharei... este nosso amor nunca morreu!

Dom Moysés Barbosa
Brasil
www.pastormoysesbarbosa

 

 

 

Livro de Visitas