FÉNIX

 

LOGOS Nº 13

MARÇO 2015

 

 

 
 

Ruy Serrano

 

Poema que enobrece as palavras por aquilo que podem ser de construtivas, ao desmistificar a sua utilização demagógica quena actualidade se vulgarizou.

AS PALAVRAS NÃO SE GASTAM RECRIAM-SE
Ruy Serrano


As pessoas usam as palavras, não as gastam,
As palavras recriam-se todos os dias,
Devem ser usadas com cuidado,
Para não ferir corações.

As pessoas usam as palavras como arremesso,
De modo inconsequente e injusto,
Condenando outras, inocentes,
Na praça publica.

Deviam ser utilizadas com muito mais propriedade,
Se chamassem à realidade os criminosos
Que atentaram contra o Estado,
E prejudicaram o povo.

São as palavras mal utilizadas que nivelam a educação
Da população dum qualquer país,
Servem-se delas reclamando,
O que é justo pelo injusto.

As palavras que se usam, medem a formação dum povo,
Por aquilo que dizem em reivindicações,
De maneira fútil e demagógica,
Sem terem qualquer lógica.

Com as palavras que hoje se protesta, a cultura empobrece
E recua no tempo, ao antigamente,
Em que abundavam analfabetos,
E eram poucos os espertos.

Desejo o meu que as palavras deste poema sejam assim bem
Entendidas por quem as ler com inteligência,
E não se deixem arrebatar por apetites
De mero protesto e vingança.

Ruy Serrano
Tomar - Portugal

 

 
 

Samuel da Costa

 

LIVRES ESCRITURAS
(Para Luana D'Oliveira)
Samuel da Costa


Em um campo estéril
Em horas vagas
Horas extremas...
De uma existência vazia...
Brotou o mais puro e sagrado amor
Que se esvaiu em dor
Em um tempo que passou
E não volta mais

Uma sidérea paixão
Que brotou em um campo estéril
Ascendeu ao céu
Conheceu os astros
As estrelas
Perdesse no infinito
Quedou-se ao chão
E quebraram-se em mil pedaços
Por fim

Palavras frágeis
Livres escrituras
Testemunhas vividas
De um ocaso de amor

Verses que se perderam no vazio
Linhas vazias que se quebraram
Ao se quedarem no chão

Samuel da Costa
Itajaí - Brasil

 

 
 

Selene Antunes

 

Q U I S E R A
Selene Antunes


Quisera eu
Te ver novamente
Sentir teus abraços
Caminhar e sonhar de modo inconsequente.

Quisera eu
Não sentir tantas saudades tuas
E daqueles momentos únicos
Tendo por testemunha somente a lua.

Quisera eu
Somente mais uma vez
Te amar e te acariciar
E até te beijar talvez...

Quisera eu
Mas o tempo é implacável
Por isto vivo a recordar
E passe o tempo que passar
De te sempre irei lembrar
Enfim quisera eu
Te ver e não mais te deixar
Quisera eu viver somente para te amar.

Selene Antunes
Rio de Janeiro - Brasil

 

 
 

Sinval Silveira

 

PUNHAIS DE ROSAS
Sinval Silveira


As mais lindas que os meus olhos já viram !
Macias e cheirosas, rosas amarelas, por
minh´alma as preferidas, presenteadas por
ela.
Pétalas soltas sobre a mesa, oferecidas a
mim, como se um príncipe encantado, lá
estivesse sentado !
A emoção deu vazão ao pranto, diante de
tão nobre gesto de amor.
Mas, em cada pétala, um afiado punhal
dilacerou meu coração.
Degustou meu sofrimento, saciou a sede
em minhas lágrimas, aumentou a minha dor.
As rosas, de origem traiçoeira e maldosa,
eram facas venenosas, para matar um grande
amor.
Meu coração já perdoou...
As inocentes flores trazem, hoje, em cada
pétala, uma lágrima cristalina, lamentando
noite e dia, aquela traição.
O tempo que passou, iluminará os caminhos
do tempo que virá.
As rosas amarelas, serão sempre bem vindas.
Mas os punhais, nunca mais !

Sinval Silveira
Flortanópolis - SC - Brasil

 

 
 

SOL Figueiredo

 

MULHER
SOL Figueiredo


Mulher, és a que reluz nas estrelas,
No céu, és aquela que tanto brilha,
Mulher forte, uma Mulher Maravilha,
Ao norte, o Sol acorda só pra vê-la !...

Mulher doce que ora ri, ora chora,
Menina ainda, vira uma mulher...
Lutadora, pro que der e vier,
Pelos seus filhos, a fera, toda hora!...

Mulher,.. Ó mulher! Dizem que és tão frágil,
No trabalho em que atuas, és quão ágil,
A flor, que a todos encanta e seduz!...

Mulher, és tão ardente por carinho,
És a esposa, és amante no teu ninho,
Ternamente amas e refletes luz!...

SOL Figueiredo
Campos - RJ - Brasil

 

 

 

Livro de Visitas