FÉNIX

 

LOGOS Nº 13

MARÇO 2015

 

 

 
 

Carmen Lúcia Hussein

 

A ROSA
Carmen Lúcia Hussein


A vida é tão breve
Frágil
Para viver um amor tão delicado.
Precisa-se construir a si
E a relação a dois
Para viver então esse sentimento plenamente.
O amor é como uma rosa
Que recebe a luz e o calor do sol
E água todos os dias
Para crescer
E amadurecer
E poder sentir a felicidade do amor
E obter o êxtase!

Carmen Lucia Hussein
S. Paulo - Brasil

 

 
 

Carmo Vasconcelos

 

FLORES E CITRINOS
Carmo Vasconcelos, IWA


Uma aguarela de flores e de citrinos
lembrou-me a vida ajardinada de azedumes...
É sábio o Cosmos... e a nós, meros peregrinos,
não é dado mudar a Lei e seus costumes.

Por aqui estamos pra provar fel e doçuras,
experimentar da viagem os vários sabores,
e se um dia o caminho se faz de amarguras,
no outro nos banhamos no mel dos amores.

Mas quando tudo é doce o enjoo é fatal
e se a amargura não viesse em seu momento
não teríamos o contraponto desse sal,
tempero da vida, experiência e crescimento.

Como nos aperceberíamos da diferença
e alcançaríamos arroubos de alegria?...
Olhai a natureza... A gerar bem querença
quando engravida a noite de um novo dia.

Veja-se a maré alta a preceder a baixa,
a benção do calor a derreter o frio,
a bonança que após a procela se encaixa,
e o mar que se faz lago depois de bravio.

Louvemos essa mescla d'alegria e dor,
sejamos aprendizes co'a mestra alternância,
e ajoelhemos ao Deus-Pai... Que em Divino Amor,
sabiamente faz constante essa inconstância!

Carmo Vasconcelos, IWA
Lisboa/Portugal
Membro Vitalício da International Writers end Artists Association - IWA, Toledo, Ohio, USA;
Coordenadora Internacional do Departamento de Publicidade do Movimento União Cultural - Taubaté - Brasil
http://www.carmovasconcelos-fenix.org

 

 
 

Carolina Ramos

 

FRATERNIDADE
Carolina Ramos


Neste instante em que o mundo se avizinha
do caos a largos passos e a beleza
da própria vida se retrai mesquinha,
contaminada ao sopro da torpeza;

neste momento de cruel vivência,
em que a dúvida cresce incontrolada,
e amortecida a voz da consciência,
a razão estremece amedrontada;

neste momento, desunido e incerto,
em que desonra propalada a esmo,
impunemente viça em campo aberto,
e o homem já não crê nem em si mesmo,

se a humanidade fosse mais sincera
e desse mãos numa ciranda amena,
não haveria a torturante espera
de um amanhã, que doloroso acena.

Seria a guerra um mal desconhecido,
sepulto para sempre sem vestígios!
E a vida cambiaria de sentido,
sem opressões, perfídias, nem litígios.

Sem ódio absurdo, que segrega raças
e bane do convívio o infortunado
- não apenas por uns... em prol das massas
foi o Sangue de Cristo derramado!

Mensageira de Paz e de Esperança,
elo de Amor a unir a humanidade,
deu-nos o Pai Divino por herança
a palavra feliz- FRATERNIDADE.

E dentro desse Ideal, puro e singelo,
que abre fronteiras e ameniza estradas,
o mundo sorrirá, será mais belo,
se todos caminharmos de mãos dadas!

Carolina Ramos
Santos - SP - Brasil

 

 
 

Cecília Rodrigues

 

MULHER MADURA
Cecília Rodrigues


Hoje vivo de Esperança
Mulher madura e a lembrança
Dos tempos que já lá vão...
Feliz p'los anos passados
E os dias conscientizados
Dos anos que ainda restam...

Juventude que abrilhanta
Quando o amor que se giganta
Nos dias que se arquitetam.
Um pulsar maduro, inquieto
Neste peito ardil e lesto
Sentimentos reiteram

Sou mulher sou devoção
Sou madura e emoção
Devaneio e sou quimera
Sou folha a cair no Outono
Sou botão ao abandono
Como flor de Primavera

Quando a impulsiva paixão
Arrebata o coração
Freneticamente impera.
O vislumbre e a sensação
Muda toda a condição
Então, inda sou quem era!

Cecília Rodrigues
Viseu - Portugal
http://www.cecypoemas.com/

 

 
 

Célia Lamounier de Araújo

 

SE TE ENCONTRAR
Célia Lamounier de Araújo


Se te encontrar em algum dia
será dia de areia e mar
com pés descalços e alma nua
quero correr para te abraçar.

E se algum dia de encantar
me sentir fada e desejada
será mesmo dia... de cantar
a vida, enfim realizada!

Célia Lamounier de Araújo
Divinopolis - MG - Brasil
www.celialamounier.net

 

 

 

Livro de Visitas