FÉNIX

 

LOGOS Nº 13

MARÇO 2015

 

 

 
 

Alba Pires Ferreira

 

FLORESCENDO
Alba Pires Ferreira


Ainda chovia, a luz da tarde, só tristeza. Derramando prolongado olhar às telas, Clarisse dirigiu-se à porta do estúdio; no rosto, cansaço. Pintava sem parar desde as sete horas da manhã. Não obstante, carecia prosseguir, ou não concluiria o trabalho no prazo estabelecido. Observando os pardais a saltar de um lado para o outro bicando alimento, lembrou, antigamente pensava, um pássaro não pudesse voar se as asas ficassem molhadas. Sacudindo a cabeça, deu meia volta, sentou pesadamente numa cadeira, fechou os olhos.
...à chegada ao aeroporto, o calado cafezinho no balcão, olhar buscando, fugindo, após um instante, a procura, o disfarce, findou ao som da voz da aeromoça: Passageiros com destino a Belo Horizonte queiram dirigir-se ao portão número três. A despedida, a frase sussurrada, telefono tão logo chegue, o caminhar arrastado em direção ao carro, o sair em desabalada corrida de volta a casa, o ficar plantada frente a um fone mudo.
Agora, um “século” mais velha, recordando todas as loucuras praticadas em nome desse amor, percebendo, amara o grego Norberto Saflo desde o primeiro momento, de todas as maneiras pelas quais uma mulher pode querer um homem, urgente, apaixonada, corpo e alma, percebeu também, mulher só recupera sua integridade física, quando consegue esquecer um amor. E isso acontece, nos braços de outro. Incrível, o quanto a troca de sêmen faz uma mulher florescer...
O telefone arrancando-a dos pensamentos, falou durante algum tempo, ao término do qual, tornou as suas telas. Ao cruzar a sala, arriscou um olhar ao espelho, e maliciosa: Não é que eu estou florescendo a olhos vistos?
Sorrindo, à tarde molhada, segurou o pincel e começou a misturar as tintas...

Alba Pires Ferreira
Porto Alegre - RS - Brasil

 

 
 

Ana Bárbara Santo António

 

A AVÓ E OS SONHOS DE AÇUCAR
Ana Bárbara Santo António


Quando era criança tinha uma avó que fazia sonhos de açúcar.
A avó Da Laica, porque assim se chamava, tinha ela uma cadela branca de nome Laica, e antes de ser minha avó era também avó da Laica.
Fazia bolos e comida para os casamentos, organizava as festanças da felicidade alheia e da sua imaginação lá construía os sonhos feitos de açúcar branco, misturando o doce dos cristais com pétalas de flores da Primavera do mês de Maio, o mês sagrado das noivas.
Havia calor nas suas mãos cansadas de moldar flores, pétalas e folhas que coloria com os corantes alimentares e ornamentava com pérolas douradas trazendo ao manto branco de açúcar todas as estrelas do universo dos sonhos.
Lembro-me da cesta de flores que enchia de cravos ou rosas ou amores-perfeitos conforme a estação, levando para a mesa um pequeno jardim cheiroso, um odor de perfumes naturais que cintilava sobre o rendilhado do açúcar trabalhado sobre o bolo recheado de creme pasteleiro ou doce caseiro.
Nos anos setenta, no interior do país, a doceira da aldeia maravilhava com a habilidade naïf das suas mãos gretadas dos trabalhos do campo, e fazia sonhar as noivas com sonhos de açúcar branco.
Guardamos as fotografias dos bolos de noiva trabalhados pelas tuas mãos, com a alma do teu suor em muitas noites sem dormir, as horas entregues ao tempo que pouco viveste, os sonhos que não chegaste a sonhar, e as maravilhas que nos proporcionaste enquanto crianças maravilhadas com a tua arte de moldar flores de açúcar e fantasia.
As memórias da avó Da Laica, do carinho com que nos cuidavas nas tuas preocupações, nos serões abrasadores das noites de verão sem dormir, ajudando-te a vencerem o calor que te preocupava derretendo os sonhos de açúcar, as ilusões misturadas de lágrimas e cansaço e a alegria de fazeres o que mais gostavas, os dias gastos nos silêncios sentidos sobre luta esgrimida com o tempo vazio de lembranças e a certeza de que nas margens da vida deixarias humedecidas memórias como doce miragem do que o sentir poderia partilhar no trajeto das palavras agora feitas de doces sonhos em cristais açucarados.
Quando se abre o álbum das fotografias onde estás, há aromas desprendidos dos bolos a preto e branco, ponteiros rodando sonhos no relógio parado das recordações, visualizadas as cores que memorizamos pela tua voz, e cintilantes pedrarias doces em prata perlada como estrelas do universo dos sonhos, vindas repousar em guardadas memórias que ficam enfeitando palavras num álbum de sentidos de mil cores.
A minha avó dos sonhos de açúcar já partiu há muito tempo e ainda olho para as fotografias e vejo os seus olhos repletos de fantasias doces na memória grata das noivas que ajudou a casar.
Quando olho as nuvens brancas sei que há açúcar derretendo dos sonhos que escrevi com lágrimas feitas de saudade.

Ana Bárbara Santo António
Vila Nova de Gaia - Portugal

 

 
 

António Justo

 

DIA INTERNACIONAL DA MULHER
António Justo


O Dia Internacional da Mulher pretende fortalecer a luta por melhores condições de vida e trabalho e igualdade de direitos sociais. É um testemunho da injustiça reinante no trato entre o género masculino e o género feminino.


GRANDE MAIORIA PARLAMENTAR ALEMÃ FORTALECE A POSIÇÃO DAS MULHERES NAS CHEFIAS


O Parlamento decidiu uma quota de 30% para mulheres nos conselhos administrativos de empresas cotadas na bolsa. A lei aplica-se a partir de 2016.
Cerca de 100 empresas terão de eleger 180 mulheres. Alguns empresários consideram a lei um envolvimento na liberdade empresarial.
Esta é a vantagem de uma coligação dos partidos da maioria (neste caso a coligação CDU/CSU-SPD): conseguir publicar leis que um governo só de SPD e esquerda ou de CDU e CSU não conseguiriam.
A lei tem um caracter simbólico no sentido de mudar hábitos e condições sociais.
Observa-se uma mudança cultural e um sinal para os direitos da mulher a nível mundial.
A presença de mulheres nos andares superiores das empresas tornar-se-á mais visível.


ESTERILIZAÇÃO DE 5 MILHÕES DE MULHERES POR ANO NA ÍNDIA


Na índia morreram 12 mulheres depois da sua esterilização num hospital no âmbito de um programa grátis de planeamento familiar. Outras 30 encontram-se em perigo de vida. Um só médico terá esterilizado 80 mulheres no mesmo dia. O governo fomenta o programa de esterilização de mulheres porque para homens é tabu.
Anualmente são esterilizadas 5 milhões de mulheres na India. As autoridades oferecem prémios para mulheres que se submetem à esterilização. A índia tem 1,2 mil milhões de habitantes.


MULHERES EUROPEIAS ALISTAM-SE PARA O JIHAD NA SÍRIA


O Jihad atrai mulheres muçulmanas para o combate na Síria ao lado dos “mártires” jihadistas na luta pela formação de um estado islâmico. Da Inglaterra encontram-se 60 mulheres e meninas jovens em combate ao lado dos jihadistas na Síria e no Iraque .
Os terroristas louvam o papel das mulheres de um mártir, através de redes sociais e de contactos pessoais junto de jovens. Estes não estão preparados para a argumentação dos salafistas e outros extremistas tornando-se suas vítimas fáceis. Os salafistas assumem, neste sentido, um papel preponderante.
Muitos jihadistas usam as Companhias Aéreas Turcas para ou a Turquia para chegarem à Síria e ao Iraque.
Segundo informação das autoridades alemãs 11% dos 600 muçulmanos de nacionalidade alemã a combater no “Estado Islâmico” são mulheres. 75 islamistas alemães já morreram na Síria e no Iraque.

António da Cunha Duarte Justo - Portugal
em Alemanha
Jornalista
www.antonio-justo.eu

 
 

 

 

Livro de Visitas