FÉNIX

 

LOGOS Nº 14

MAIO 2015

 

 

 
 

Joaquim Marques

 

TORRE DE BELÉM
Joaquim Marques

 

Num ilheu ribeirinho, junto ao Tejo
Com esse teu ar altivo, és rainha...
Torre de Belém - te chamam - assim te vejo;
És marco eterno desta Pátria minha!

Tua muralha avança rio adentro
Sua água, te beija suavemente;
És um augusto e belo monumento
Do meu país, Fortaleza de São Vicente!

Escrínio que o Sol e o Tejo velam
Eles te poalham com ouro sobre azul...
Num matizado que te dá mais nobreza!

Foste, outrora, baluarte da capital.
Hoje, és flor... És pérola... És pingente...
És joia querida, deste meu Portugal!

 

Joaquim Marques
Gaia - Porto - Portugal

 

 

 
 

José Carlos Moutinho

 

RESPIRO ILUSÕES
José Carlos Moutinho

 

Abraçado à quietude de mim
olho os campos verdes
perdidos na distância do meu sentir
e deixo os meus olhos vaguearem
deliciados, pelas cores silvestres!

Calam fundo no meu peito
o trinar dos pássaros!

O silêncio em que me envolvo
faz-me escutar os sons das flores
nos sorrisos de suas cores!

Deixo-me levar na corrente
do rio, que a meus pés murmura
melodias de fascínio e sonho!

Fecho os olhos,
correm pensamentos quiméricos
pela minha mente enlevada,
Sinto uma cálida aragem
que afaga o meu corpo indolente
e respiro ilusões!

Invento miragens no deserto do meu desejo,
navego num mar inexistente
sobre ondas azuis e silenciosas
e sossego-me
nas areias molhadas
pela espuma dos meus suspiros
que se escoam entre os dedos
do meu sonho.

 

José Carlos Moutinho
Maia - Porto
- Portugal

 

 

 
 

José Ernesto Ferraresso

 

BAILAR NA NOITE ESCURA...
José Ernesto Ferraresso

 

No seu semblante,
alegria e fantasias
para completar o seu dia.
Bailas graciosamente
ao toque de minhas mãos
para colorir a sua mente.

Distante posso navegar
neste céu lindo e nublado,
porque nessa escuridão
satisfaço minhas dimensões
e acabo com as aflições.

Tenho limites de voar
distante deste lugar,
mas algo me prende.
Nesta noite escura sem fim,
onde tudo é real para mim.

Quero olhar para o infinito,
sem importar com o mistério.
Nele alçar voo e flutuar,
olhar para essa imensidão,
lembrar do presente e do futuro
e deixar um passado para traz.

 

José Ernesto Ferraresso
Serra Negra - Brasil

 

 

 
 

José Hilton Rosa

 

JEITO DE AMAR
José Hilton Rosa

 

Quisera subir o morro
Falar com o tempo
Dizer a verdade
Sonhar com o futuro
Quisera ouvir os pássaros
Passear nos pântanos
Curtir a visão
Beijar o chão
Quisera ser feliz
Sorrir para as pessoas
Dar as mãos
Sentir a bondade de cada um

 

José Hilton Rosa
Belo Horizonte - MG - Brasil
www.josehiltonrosa.recantodasletras.com.br

 

 

 
 

José Reys dos Santos

 

VIAGEM A PORTUGAL
José Reys dos Santos

 

Eu me deito nas braços do pensamento e me sento
no cume do grande monte. Eu Deslizo sobre nuvens
de algodão e lhe vejo no ápice das águas,
na espuma do sal, brincando com o vento.
...Você está tão linda!

Em sua pele, deslizo minha mão espectral,
aquecida pelo sol... Sois tão magistral... E eu no Brasil
você em Portugal, margens opostas do mar,
mas o meu amor escorrega nestas águas azuis do Atlântico.
Fluir quântico, ondas, ondas, e ondas...

Há uma canção preenchendo o silêncio e um balé
de sereias que dançam. O calor de seu corpo faz miragem
sobre a crista das águas e o vento que me incita
traz seu perfume e lhe revela em minha alma,
onde vive, como alguém que nasceu comigo!

Eu também podia ser engolido pelo mar, por meu amar
para mim se dar, me saciar ou ser apenas seu amigo...
Eu podia buscar meu alento bem aqui dentro,
no fundo da alma, onde tens seu abrigo,
mas não posso, não quero, não suporto, não consigo.

Eu me deito nos braços do pensamento
e me aporto e viajo espectral a Portugal!
Vou ao seu casamento com Zeus,
nem Jesus me salva deste mal ou bem espiritual,
Eu não sei em qual morrerei primeiro...

 

José Reys dos Santos - Brasil
em Tunes - Tunisia

 

 

 

 

Livro de Visitas

 

 
Clique aqui para ver todos os detalhes e estatisticas do site