FÉNIX

 

LOGOS Nº 16

SETEMBRO 2015

 

 

 
 

Soninha Poetisa

 
 

VOLTOU EM BUSCA DE SUA MORTALIA!
Por Soninha Poetisa


Em uma cidade do interior de Mato Grosso do Sul havia uma senhora muito bondosa,
Mas também muito caprichosa e vaidosa Dona Rosalina era seu nome, sempre ajudava
A todos seus vizinhos e parentes, era misteriosa, contava historias sobre sua família,
Coisas que no passado havia marcado sua vida.
Ela contava que quando menina morava do lado de um vizinho que era lobisomem, ele saia muito tarde da noite todas as luas cheias, e voltava ao amanhecer, sempre machucado.
Certo dia seu pai trabalhou no turno da noite na fabrica que trabalhava e quando chegou a casa na madrugada para amanhecer encontrou seu vizinho ajoelhado no portão da casa, estava todo peludo e com cara de lobo, mas logo seu pai assustado deu um chute na cara do vizinho lobisomem e entrou correndo para casa.
A tarde o pai de Rosalina vai a padaria comprar pão e encontra o vizinho lá, todo machucado, e com um hematoma enorme no olho e na boca, ele disse que tinha caído da escada, mas Jaime o Pai de Rosalina conheceu a camisa e a calça que o vizinho que ele usava na hora em que chutou.
Rosalina contava que a família dele sabia do fato, mas que nada podia ser feito.
Conta também que no bairro onde morava sempre atrás dos eucaliptos havia um negrinho com uma perna só, e que fumava um cachimbo, ele conversava com os pássaros e ria o tempo todo.
Um dia Rosalina conhece Abgail uma mulher sofrida, sofria com um câncer muito violento, mas Rosalina sempre dizia a sua amiga que morreria primeiro que ela pediu
A Abgail um favor, _ Abgail quando eu morrer quero que vá comprar um pano branco bem bonito e me faça uma Mortalia, só te peço que não deixe de cumprir o que te peço.
Abgail não levava a serio a conversa da amiga, sua amiga tinha muita saúde.
Os anos se passaram e Rosalina fica doente de uma hora pra outra, e o médico avisa a família que Rosalina tinha falecido.
Abgail se lembra do pedido da amiga, mas nada faz, avisa aos parentes que Rosalina queria ser enterrada com uma roupa branca.
O velório foi ha noite toda, e na manhã seguinte foi o enterro de Rosalina.
Abgail fica descontrolada e chora demais com a partida da amiga, ela não consegue comer e chora o tempo todo, os familiares não entendem este sofrimento, eram amigas, mas Abgail sofria de um modo diferente aos olhos de todos.
Certo dia ela vai ao quarto todas as suas roupas estavam jogadas no chão, e estava escrito no espelho da penteadeira, você não fez o que eu pedi, quero que faça o que me prometeu, Abgail grita desesperada e todos vão ao seu encontro, e nada esta fora do lugar, não tem nada escrito no espelho como ela dizia a todos.
Abgail vai a igreja e conta ao padre de sua paróquia, ele diz_ Filha vamos rezar uma missa para sua amiga, feita a missa, tudo continua, a noite ela vê a amiga andando pelo quarto com uma mortalia branca, resolve contar para os filhos de Rosalina,
Abgail faz uma mortalia como a amiga havia pedido e os filhos de Rosalina e a amiga
Vão ao cemitério e pedem para o coveiro colocar a roupa dentro do jazido e no caixão.
Assim foi feito, Abgail nunca mais viu a amiga fantasma e nem teve mais crises de choro, e seu câncer foi curado totalmente pela amiga, ela acha que Rosalina a curou depois de fazer o favor que a amiga suplicou.
Este e mais um relato contado pelo povo, Abgail viva até hoje conta esta historia.

Soninha Poetisa
Dourados - MS - Brasil
http://escritoraepoetisasoninha.blogspot.com.br/Soninha Poetisa

 
 

 
 

Tânia Diniz

 
 

UMA NOITE
Por Tânia Diniz


Branca de luar ela passeia sua inquietude pelos jardins. A alma presa por um fio, quer romper-se do peito.O que será? Quando virá?
Da escura ramagem, em estreita curvam surge o cisne.
Coração aos saltos, aproxima-se a donzela. Magnético olhar prende-lhe o suspiro ao meio. As macias penas do longo pescoço roçam-lhe a garganta com suavidade.
Com contida excitação, não se surpreende ao ver transformar-se a ave em belo guerreiro. É seu destino, pressentiu. Sabe a que ele vem. E em doce enleio se entregam aos jogos do amor. Leda e o jovem mago. Cúmplices, a lua e o lago.
Ao chegar da aurora , desperta a princesa. Percebendo o cisne em voo, ao longe, parte-se em dor o fio que a prendia. E sua alma alcança o horizonte para eterna busca.
(do livro de contos O Mágico de Nós.)

Tania Diniz
Belo Horizonte-MG- Brasil
www.mulheresemergentes.com

 
 

 

 

Livro de Visitas

 

 

Clique aqui para ver todos os detalhes e estatisticas do site