FÉNIX

 

LOGOS Nº 18

JANEIRO - 2016

 

 

 
 

Rosalinda Pessoa Mildner 

 
 

O BARCO DA MORTE
Rosalinda Pessoa Mildner


Silêncio tudo náufraga,
homens, mulheres e crianças
fazendo a travessia
dominados por um desejo,
que nem mesmo sabem.

Muitos buscam uma nova vida
fugitivos da miséria, da guerra e
outros infiltrados com pensamentos
de destruição.

De repente ondas gigantes,
enchendo o barco de águas traidoras,
De repente palidez mortal.

Entre eles mesmo destruindo as cabeças
dos que ali estavam.
Naufragando nos mares dos riscos fatais.
Amarga ilusão!

Rosalinda Pessoa Mildner - Brasil
em Altenberg - Alemanha

 
 

 
 

Rosinha Bonette 

 
 

SEJA VOCÊ
Rosinha Bonette

Tome um banho de chuva.
Sorria para todos.
Cante uma canção.
Ouça uma musica que gostas.
Tome um banho de espuma.
Perca tempo com você.
Lute pelos seus sonhos.
Faça o que tens vontade.
Não temas parecer ridículo.
Mostre o quanto está feliz.
Não deixe de ser criança.
Tenha coragem das pequenas coisa.
Telefone para os amigos,
Diga: - Gosto muito de você!
Fale mais:- Eu te amo!
Demonstre:- Preciso de você!
Dê uma boa risada.
Compre um presente para si mesmo.
Mude alguma coisa.
Esqueça rancores, perdoe.
Permita-se o erro.
Aceite um elogio sem se desculpar.
Sinta-se com direito de brilhar.
Viva com paixão.
E acima de tudo, construa seus sonhos com quem você gosta.
Abraços para quem é de abraço e beijos para quem é de beijo.

Rosinha Bonette
Itatiba - Brasil


Rosa Bonette, conhecida como Rosinha Bonette.Funcionária Pública Municipal. Graduada em Pedagogia, Pós-graduada em Psicopedagogia e Educação Especial, atuando na area da Educação com Atendimento Educacional Especializado com alunos da Rede Municipal. Escrever é minha paixão.

 
 
 

 
 

Rossana Aicardi Caprio 

 
 

ENTRE VELOS
Rossana Aicardi Caprio

Te vi
cruzando el umbral
entre velos
tenues cirios
acompañaban
tu paso.
Te vi
dejando rastros y misterio
con olor a siglos
rasos rojos
dibujaban
tu andar lento
desaparecías
por el pasillo
interminable
del no tiempo.
Me acerqué
y entre puntillas
tus manos de seda
detuvieron mi paso.
El espejo se llevó
tu imagen
y allí, solitaria
frente al reflejo
vacío
lloré tu recuerdo
que aún olía
a rosas rojas
y a heno fresco.

Rossana Aicardi Caprio
Uruguai

 
 

 
 

Rozelene Furtado de Lima 

 
 

EM MODO DE FAZER
Rozelene Furtado de Lima

Sou produto de diversos seres
Com liberdade para muitos prazeres
Seres que me deram vida e biografia
E vivem no meu tempo no dia a dia

Vozes que ouço na estrada que sigo
Gestos e trejeitos na massa de trigo
Fazem parte da minha existência
Receita do pão na minha essência

Vida que passa em pequenos nós
Vida que vem detrás dos pais e avós
Uma vida em muitas formas de ser
Ao bel-prazer sem o modo de fazer

Tabuleiro moldado e untado de mel
Na colmeia todos tem seu papel
Rei, rainha, bispo, cavalo, torre e peão
Atentos ao xeque-mate do coração

Ingredientes misturados na imagem
Quase no ponto, livre e leve para viagem
Sonhos doces recheados a embalar
Estou no tempo, no forno e na fase dourar

Rozelene Furtado de Lima
Teresópolis-Rio de Janeiro-Brasil
www.rozelenefurtadodelima.com.br

 
 

 
 

Ruy Serrano 

 
 

PRISIONEIRO DO AMOR
Ruy Serrano

Fizeste-me prisioneiro do nosso amor,
Como teu escravo, é cara a liberdade
Que paguei com a tua grande maldade,
Por ti sofro cruelmente com muita dor.
As algemas que prendem meu coração,
Não me dão liberdade de me apaixonar
Por outra mulher que eu tanto admiro,
Por ser mais sincera que tu, má amiga.
Neste castelo em que estou prisioneiro,
Espreito entre as ameias e não te vejo,
Estás cobardemente escondida no mato
Maldoso teu comportamento, teu acto.
São ciúmes doentios os que alimentas,
Maus sentimentos que nutres por mim,
Sabes que eu sempre gostei muito de ti,
Setas que ferem meu coração, tu lanças.

Ruy Serrano
Tomar - Portugal

 
 

 

 

Livro de Visitas

 

 

Clique aqui para ver todos os detalhes e estatisticas do site