FÉNIX

 

LOGOS Nº 19

MARÇO - 2016

 

 

 

Kainha Brito

 

POESIAS, RABISCOS E FRAGMENTOS DE MIM
Por Kainha Brito


Hoje mais um dia veio nobilitar a terra. Mas eu sinto o asco das horas frias e vazias que se arrastam pelo vão do tempo. São momentos gris e insípidos que me trazem uma lembrança gélida de algo ruim que vivi. Mas, alço voo para além-vida, pós-marasmo entediante que às vezes tenta me deter. Oh natureza, estros e magias, com suas matas flores, pássaros, e suas águas de encantos mil. Saciem as minhas querências e transformem a energia dessas minhas horas, tristes e vazias, em lirismos canto e poesias. Que sejam lúdicas e cheias de alegria as minhas próximas horas, que me façam transbordar de prazer e contentamento. Que o pulsar do meu espírito seja acariciado pelas vibrações da vida, que o amor e o carinho afaguem minha alma. E que eu brinque de roda numa ciranda com o vento, que transborde a minha alma de alegria e regozijo. Esse é o meu querer entre tantas querências de tantas de mim... E nesse meu intento de querer ser feliz, nesse meu afã de fugir do óbvio, adentro as profundidades do tempo, sondo suas furnas, adentro os meus labirintos e vou alinhavando meus sentimentos, lamentos, saudades e desilusões, agarrando-me aos fios da aurora, onde outrora pousaram os meus áureos pensamentos, contendo em si meus fragmentos, envoltos em minhas emoções. Saúdo-te, oh! Bela e perene aurora e envio-lhe agora, brandos e ternos pensamentos

Kainha Brito
Imperatriz - Maranhão - Brasil  

 

 

Leticia Elisa Furtado Simões Coelho

 

MINHA CARTA DE AMOR
Leticia Elisa Furtado Simões Coelho


Querido amor,

Pensei, pensei muito em lhe dar um presente de aniversário. Queria um que fosse diferente de todos aqueles que, por toda a nossa existência, já lhe havia oferecido. Queria um presente especial, que representasse mais para você que qualquer outro, que não se desgastasse pelo tempo de uso, que não perdesse a validade, que não fosse descartável. Foi então que resolvi escrever-lhe uma carta, uma carta de amor, pois aprendi, há muito, que não basta só amar, é preciso dizer: Eu te amo.
Então, relembrando o que disse sabiamente alguém, de quem não recordo o nome que:
“A vida é uma peça de teatro que não permite ensaios. Por isso, cante, chore, dance e viva intensamente antes que a cortine se feche.”
Assim, antes que soe a hora marcada para a partida para o lado espiritual, nossa verdadeira pátria, sinto que preciso deixar por escrito, para que se eternizem, palavras do meu para o seu coração.
A pena saltou do papel e pôs-se de lado, percebendo que a escrita pertencia à emoção e que o instrumento a ser usado deveria ser o coração, e ele depressa se esparramou para lhe dizer:
- que a vida parou naquela noite em que nossos olhos se encontraram pela primeira vez, você chegando ao topo da escada daquele velho casarão onde se reuniam místicos, e eu sorrindo, sentada ali, como se o estivesse – como estive, sem o saber – esperando chegar;
- que, a partir daquele momento mágico, nunca mais seríamos eu e você, mas sempre nós;
- que o planeta ganhou luz e cor e se tornou mais luminoso, mais azul;
- que o amor uniu não só nossas mãos, nossos corações, nossos corpos ávidos um do outro; uniu também nossos espíritos, duas metades que se desprenderam da Grande Luz, e se tornaram alma única, no reencontro de almas gêmeas;
- que passamos a viver num mundo só nosso, egoisticamente, sofregamente, voltados um para o outro, como se o tempo não fosse suficiente para usufruir de um amor tão grande, tão profundo;
- que você me ensinou a ser melhor, mais paciente, mais tolerante, a saber perdoar esquecendo, pois só perdoa realmente quem consegue esquecer a ofensa;
- que você me cercou de tanta proteção, de tanto companheirismo, de tanto amor, que me senti como uma princesa, linda e preciosa;
- que você, meu amor, com o seu infinito amor, me tem mimado por todo esse tempo, satisfazendo todos os meus desejos, realizando todos os meus sonhos, apoiando-me em todos os meus ideais;
- que acordo feliz, todas as manhãs, porque é um novo dia que vou viver com você e adormeço tranquila, à noite, porque vivi mais um dia de amor com você;
- que você me inspira e me impulsiona para a frente e para o alto;
- que preciso de seus passos chegando em casa, com o seu largo sorriso, para eu continuar com a luta de todos os dias;
Para aquecer o seu coração, relembro a última estrofe de uma música de que gostamos tanto e resume tudo o que lhe quis dizer: Hino ao Amor
“Quando, enfim, a vida terminar,
E dos sonhos nada mais restar,
Num milagre supremo,
Deus fará no céu te encontrar.”
Com todo o meu amor,
Sua esposa

Leticia Elisa Furtado Simões Coelho
Teresópolis - RJ - Brasil


Leticia Elisa Furtado Simões Coelho é brasileira, natural do Rio de Janeiro, residente na cidade de Teresópolis - RJ, professora aposentada, bacharel em Direito, é espiritualista e membro da Academia Teresopolitana de Letras, onde ocupa a cadeira nº 3, patronímica de Alberto de Oliveira.  

 

 

 

Livro de Visitas

 

 

Clique aqui para ver todos os detalhes e estatisticas do site