FÉNIX

 

LOGOS Nº 19

MARÇO - 2016

 

 

 

Luiz Antonio Cardoso

 

OLÍMPIADAS DE ATENAS - 1896
Por Luiz Antonio Cardoso


Após mais de mil e quinhentos anos do término da última Olimpíada da Antiguidade, Atenas, na Grécia, viveu novamente o brilho olímpico, no ano de 1896, iniciando o conhecido ciclo das Olimpíadas dos Tempos Modernos, idealizado por um grande sonhador: o desportista francês Barão de Coubertin (1863-1937), que após muitos esforços e parcerias alcançou a tão almejada meta, iniciando as competições com a participação de 14 países e de 241 atletas. Vale salientar o grande auxílio financeiro prestado pelo milionário grego Giorgios Averoff, que foi o grande mecenas destas competições, unindo sua fortuna ao sonho encantador de Coubertin.
Logo na sua primeira edição, os Estados Unidos da América demonstraram ser uma potência olímpica, alcançado o primeiro lugar no quadro geral de medalhas, e deixando registrada sua supremacia no atletismo, sendo que das 20 medalhas conquistadas, 17 foram no atletismo. Também marcaram história, com o estadunidense James Connelly, que foi o primeiro campeão olímpico da era moderna, tendo vencido a competição de salto triplo.
Outros países também disputavam, com sucesso, as medalhas daqueles idos, destacando-se as presenças das delegações grega, alemã e francesa.
Mas um nome é importante citar, quando nos referimos aquele longínquo 1896: o de Spiridon Louis (1872-1940), um jovem pastor de ovelhas que, dotado de imensa humildade, venceu a primeira Maratona olímpica, deixando o seu nome e o nome da Grécia para sempre eternizados nesta competição! Louis retornou para sua residência, numa simples aldeia grega, e talvez nunca mais teria se ouvido falar dele, se não fosse o fato curioso de, em 1936, quarenta anos após sua conquista, ter sido selecionado pelo Comitê Organizador das Olimpíadas de Berlim, na Alemanha, para entregar uma coroa das árvores de Olímpia para o dirigente alemão à época, Adolf Hitler.
E o Brasil, que na época havia saído da monarquia e entrado na fase conhecida como a da política do café-com-leite, onde nossos governantes se preocupavam mais com a manutenção do poder e com a cafeicultura do que com qualquer outra coisa mais altruísta, ainda teria que esperar mais vinte e quatro anos para participar dos Jogos Olímpicos...

Luiz Antonio Cardoso
Taubaté - SP - Brasil

Nascido em Taubaté-SP no dia 12 de julho de 1975. Escritor publicado e premiado, ativista cultural, é idealizador, fundador e Supervisor Presidente Internacional do Movimento União Cultural. Idealizador, apresentador, diretor e produtor do programa de TV Litteratudo (desde 2011). Editor da Revista Litteramundo (Lisboa/Portugal, desde 2014). Pelo CONINTER, é membro imortal; recebeu o Grau de COMENDADOR (Nelson Mandela e Castro Alves), foi nomeado Senador Honorário, e depois Senador Extraterritorial, recebeu da Medalha da Paz, o Prêmio “Cecília Meireles”, dentre outros; É Presidente de Seção de Taubaté (2014-16) da União Brasileira de Trovadores – UBT (e Vice-Presidente Estadual/SP, 2012-15). Presidente do Clube dos 21 Irmãos-Amigos de Taubaté (2011-16); idealizador e Supervisor Geral da ALACRE – Academia de Letras, Artes e Cultura “Renovação da Esperança” (desde 2011), com detentos da Penitenciária “Dr. José Augusto César Salgado” de Tremembé. Vice-Presidente do Rotary Club Taubaté Oeste (2015-16). Acadêmico de várias academias de letras e membro de instituições literárias nacionais e internacionais.
Apresentador do programa Litteratudo; editor-chefe da revista Litteramundo (Lisboa/Portugal), dentre outros projetos e ações. 
 

 

 

Manuel Gonzalez Alvarez

 

SANTA MARIA DE VIEGO
Manuel Gonzalez Alvarez

 


Viego, es una aldea del Concejo de Ponga y pertenece a Cangas de Onis . Dentro de este Blog, voy a cantar a esta aldea con toda la fuerza, igual a todo su contorno . Como buen hijo , pues nací allí . y claro cuado un hijo esta contento de su tierra, pues eso... Canta.

CONTEMPLACION

De la misma manera que una aparición es infinitamente superior a la simple presencia de una persona , este pueblo , este paisaje tal
como lo conozco, prevalece la existencia, contemplándolo uno se siente como otro “Moisés”,obligado a presentar su rostro a lo nunca visto .
Es cierto que mucho antes , ciudades bellísimas ya me habían producido una impresión extraordinaria , pero de repente , en este balcón de Viego (pueblo del norte de España ) comprendí con toda claridad que mi vista estaba sobresaturada .
Allí el cielo se presenta más grandioso y las sombras de las nubes dejan aquella marca sobre la esencia de la tierra .
¡Ay! allí permanecí sentado como si mis ojos no pudiesen más , como si tuviera que percibir el mundo a través de otro sentido muy distinto , o como si tuviese que quedarme ciego debido a las imágenes percibidas!
Convertirme en música, que pena no me hubiese transformado en música .
¡ Qué alegría haber llegado hasta allí y contemplar desde ese lugar , aquella GRANDEZA HECHA POR DIOS , Y sobre todo , haber pensado volverme música ,música …

Manuel Gonzalez Alvarez
Madrid - Espanha

Manuel González Álvarez, nace en Santa Maria de Viego (Asturias), localidad muy próxima a Covadonga. Desde muy niño reside en Madrid.
Anteriores libros publicados:
”Continuación poética“ Y “Tramo de Versos“.
En cuanto a distinciones reconocidas en este campo poético, destacamos: Placa y Diploma de Brasil, Argentina y Bluftón (Norte América) Premio de Poesía bilingüe de Catania (Sicilia), Bastremoli (Italia) y Perpiñang (Francia )
Premio Antonio Machado de Collieure (Francia) por quinientos versos bilingües.
Premio de Francophonía en Agen (Francia) Es caballero romántico de la casa de Zamora en Madrid. Dirige el Grupo Ritus Senior del Club de mayor Juan XXIII Obra social (Asunción Sánchez)) donde dice haber encontrado su plenitud, amor y camaradería… 
 

 

 

 

Livro de Visitas

 

 

Clique aqui para ver todos os detalhes e estatisticas do site