FÉNIX

 

 

LOGOS Nº 21

JULHO - 2016

 

 

 

Cris Souza

 

 

AME-ME
Cris Souza 


Ama-me somente,
Fica aqui comigo,
Fecunda esta flor,
Que por ti despetalou.
Quem sabe assim,
Preenche meu vazio,
E sacia o meu amor.
Não quero teus instantes,
Quero-te por inteiro,
Ou morrerei neste tormento.
Morrer!...Morrer!
E o que é a morte?
É ter você, sem ter.
2013

Educadora Cris Souza
Aracaju - Sergipe - Brasil
www.educadoracristinasouza.blogspot.com

 
 

 

Daniel Hilton

 

 

NOSTALGICAMENTE
Daniel Hilton 


Em um flash de memória
Peguei-me olhando pra trás,
Vi num mesmo plano de imagem
Diversas lembranças que
Foram rapidamente vistas num só olhar.

Na suavidade de uma brisa
Uma parte de mim se comoveu,
Mas a outra parte estava ali
Para resgatar forças de um passado
Não tão distante!

Tudo que senti e percebi
Personificou-se em gestos.
O que desaprendi, reaprendi.
Então, o que não aprendi
Tive que aprender.

Em meio a tantas questões
Estaria eu num tempo de experiências?
Seria eu a parte mais saudosa e ousada
Existente no meu presente?

Numa hipérbole de fatos e perguntas,
Nenhuma resposta: só vivências!

Daniel Hilton
Paracambi - RJ - Brasil

 
 

 

Danielly de Souza de Oliveira

 

 

TEMPO
Danielly de Souza de Oliveira 


Com o tempo, as feridas
vão se curando;
o amor se fortalecendo,
embora fiquem as cicatrizes.
Quando a ferida se abre,
a dor volta em dobro.

Danielly de Souza de Oliveira
Porto Alegre - RS - Brasil

 
 

 

David Matuca

 

 

CASAR CONTIGO
David Matuca 


Esposa minha
Dádiva e divina
Estrela que brilha
Mulher tranquila
Mãe de filhos e filhas

Ainda bem que caí na sua bela armadilha
A tão bela armadilha
Cheia de maravilhas
Minha filha

Quero novamente casar contigo
Partilhar o mesmo mundo contigo
Casar-te várias vezes

Levar-te ao infinito
Meu amor perfeito
Amo os teus defeitos
Que me tornam perfeito

Encontraste-me esqueleto
Puseste-me repleto
E agora estou gordo
Quero casar contigo
Novamente contigo
Sempre contigo
Quantas vezes forem preciso

Minha esposa amada
Mulher sagrada
Eterna namorada
Quero casar de novo
Sempre contigo.

David Matuca
Lunda - Norte - Angola


Formação: Licenciatura em Lingüística Portuguesa (ULAN) Especialista em Gestão e Administração Hospitalar (Brasil)
Obras: Dois Rostos Iguais (TM Editora- SP, Brasil) poesia

 
 

 

Dé Barrense

 
   

PEDRO BICHO
Dé Barrense 


No Rancho ai do lado
mora um velho caçador
antes de romper o dia
ele desse serra a fora
passa dias na invernada
caçando sem parar
o povo da região desconfia do tiro dele
nunca errou uma só bala
ele faz parte com o cão
em noite de lua cheia
é a maior das confusões
em frente ao rancho dele
cachorro late sem parar
e coruja voa nele
dizia as mulheres da noite
que nas juventudes delas
ele batia em porta em porta
e mesmo sem chave já entrava
quando elas iam dormir
em sua cama já o estava
no pispéio da lua nova
é quando ele aparecia
olhando o arco fino
que no céu iluminava
as estrelas da madrugada
sua velha companheira
chamado de Pedro Bicho
era o nome que ele tinha

SÚPLICA DO DO RIO SÃO FRANCISCO
Dé Barrense 


O rio chora
Pois secou um ribeirinho
um nascente, mais um ninho
e ninguém vem ajudar

O rio suplica ajuda
ninguém quer ajudar
o rio suplica amor
ninguém quer amar

O rio pede ajuda
pro peixe sobreviver
receber sopro de vida
para, nossa andança comprida
um pedaço não se acabar

Pois nos diga por favor
como vamos sustentar
Nossa família sem a água
e sem o peixe que ele dar

Muitos querem transviar
será que é por ganancia?
será que é por poder ?
e Deus? Será que permite?
só ele pode dizer.

 

 

Dé Barrense
Barra-BA - Brasil
Facebook: debarrense@ig.com.br

 

 

 

 

Livro de Visitas

 

 

Clique aqui para ver todos os detalhes e estatisticas do site