FÉNIX

 

 

LOGOS Nº 21

JULHO - 2016

 

 

 

Pedro Kialongo Avelino

 

 

LÁ SE VAI O AMOR
Pedro Avelino Kialongo -
Kiadiakianganicó Diakiangani  

 

Onde quer que estejas
Quero que saibas que fui sempre eu
Sempre dei o melhor de mim para que a felicidade reinasse
E fiz o que pude para merecer um espaço.

Minha atitude cheia de escrúpulo
Foi invadindo o meu/nosso espaço e tempo
Tornando a vontade abstracta e sem significado
E assim, pude ver o quanto sou amorfo.

Sem medo de errar, sei que já não voltas
O sentimento é pequeno
Foi para bem longe
E agora queres renovar...

E com o espaço que procuras
Pretendes vomitar o ego cambaleante
Que exige prazeres sem fim.

Como não aceitar?
Se as verdades desse amor estão fora do alcance
Como não pensar?
Se a saudade cobra a tua presença
Como não chorar por dentro?
Se exterior não permite que sintamos a verdade.

Questionamentos profundos invadem o meu imaginar
Sem sombra de dúvidas, amanhã estarei louco
Complexado e cheio de poeiras para limpar
Cheio de anormalidades para compreender.

E assim, devo aceitar e reconhecer que o amor
Já não é o mesmo, mudou de côr
Foi para bem longe. Onde a onda só vai e não volta
Onde o silêncio é o melhor professor.

Pedro Kialongo Avelino (Kiadiakianganicó Diakiangani)
Luanda - Angola
pedrokialongo.blogspot.com

 
 

 

Pedro Pires Bessa

 

 

BOTÕES
Pedro Pires Bessa 


Botõezinhos
caído da camisa
deixá-a desajustada
não colocado na barguilha
pode causar constrangimentos
não abotoado em blusa feminina
esconde/desperta sexualidade estonteante
flor em botão
prenúncio de desabrochada plenitude florida
jogo de botão
brinquedo de criança jovem adulto
pregar botões
arte máxima da costura
singelo
discreto coadjuvante
chamativo
grandão preto retinto
esnobe
de ouro marfim
requinte
abotoaduras

botão de rosa vermelha
é minha eterna namorada

quantas coisas nem se notam
repletas de tanta vitalidade
como
simples botõezinhos.

Pedro Pires Bessa
Divinópolis – Brasil.
www.pedropiresbessa.com.br

 
 

 

Pinhal Dias -Lahnip

 

 

POETAS DISCURSARAM E FORAM SUCINTOS
Pinhal Dias (Lahnip) 


Acima de nós está um Observador!
Fonte de Luz para os nossos caminhos!
Condução luzente, nas asas de um condor
Vida fluente em todos os pergaminhos

Perfez dito sermão, que ascendeu à montanha
Aves foram cantantes, no seu esplendor
Com os peregrinos fiéis em sua campanha
Humanidade perfeita…obras de amor!

Natureza: - Um Sabiá contemplativa
Ser Omnisciente nos doou força activa
Caridade fluente a todos os famintos…

Visão de vida, coberta de horizontes
Água da vida verte em todas as fontes
Poetas discursaram e foram sucintos.

(In: “Memórias Vivas”)

Pinhal Dias (Lahnip)
Amora - Portugal

 
 

 

Raquel Martínez Martínez

 

 

LLUEVE
Raquel Martínez Martínez 


Una cortina densa cae sobre la vida.
Una saliva frutal
inunda nuestras bocas.
Una almíbar espesa
penetra mi sexo sediento.
El agua canta
arrullando el ensueño:
Intermitente…

Raquel Martínez Martínez
Montevideo - Uruguay

 
 

 

Raymundo de Salles Brasil

 

 

A FLOR ARDENTE
Raymundo de Salles Brasil 


Contemplo o lindo céu com seus azuis;
O sol, a flor ardente, a flamejar;
Voam no espaço uns poucos urubus,
E pedaços de nuvens pelo ar.

A tarde vai caindo e a flor de luz
Procura no horizonte onde pousar,
Com a ponta do dedo Deus conduz
O sol em flor e em chama e o põe no mar.

E ali aos poucos se despetalando
A flor de sol no mar fica boiando,
E o horizonte a parecer sorrindo.

Oh que belo poente nos espera!
De pétalas de luz enche-se a esfera
E o céu, cada vez mais, ficando lindo.

Raymundo de Salles Brasil
Salvador - Brasil

 
 

 

 

Livro de Visitas

 

 

Clique aqui para ver todos os detalhes e estatisticas do site