LOGOS Nº 23

NOVEMBRO - 2016

 

 

 

Rosimeire Leal da Motta Piredda

 
 

GOTAS DE SENTIMENTOS
Rosimeire Leal da Motta Piredda

Pequena porção de sentimentos.
Pingo.
Escorre aos poucos de um conta-gotas interior.
A quantidade é ministrada pela alma.
A dose é adequada ao momento.
Uma pitada de alegria e outra de tristeza,
temperando as emoções,
colorindo o espírito.
Respira fundo.
O meu “eu” é tímido e romântico.
Aroma de lavanda envolve o ambiente.
Cor-de-rosa.
O coração abraça a vida.
Expressão viva da existência!
Sensibilidade à flor da pele!
Gotas de mim em forma de letras,
deslizam por este papel...



ECOS DE UM EU APRISIONADO
Rosimeire Leal da Motta Piredda

Uma música misteriosa perturba meus sentidos,
transcende o meu entendimento.
Acordou-me com acordes insistentes.
Arrastou minha curiosidade para o secreto do meu íntimo!
Desvendou meus sonhos escondidos.
São sons produzidos pelo meu subconsciente.
Hipnotizou-me através do meu autoconhecimento.
Projetou em meu coração os segredos da minha alma.
Um maestro afinou a sinfonia,
tornando-a cada vez mais compreensível.
Visão fantástica de uma parcela de mim,
presa nos escombros da vida!
Ecos de um eu aprisionado...

Rosimeire Leal da Motta Piredda
Vila Velha – Espirito Santo – Brasil
http://www.rosimeiremotta.com.br/
https://www.facebook.com/profile.php?id=100011114436011


Sou, por formação, Professora, Técnica em Contabilidade e Secretária Aposentada. Portadora De Deficiência Auditiva, faço leitura labial.
LIVROS PUBLICADOS -
1.º Livro – Voz da Alma – 11 Crônicas – 04 Contos – 37 Poesias – Editora CBJE- 2005
2.º Livro – Eu Poético – 01 Crônica – 05 Contos – 54 Poesias– Editora CBJE - 2007
3.º Livro – O Cair da Tarde - 01 Crônica – 32 Poesias– Editora CBJE - 2012

 
 

 

Rozelene Furtado de Lima

 
 

QUIMERA
Rozelene Furtado de Lima

Com sentimento de folha de outono
Em pleno abandono
Largada pelo vento
No chão de cimento
Molhada de névoa fria
No momento, resistir é ousadia
Dentro de mim hiberno
Por todo longo inverno
Desvestindo a celulose
Em plena metamorfose
Em qualquer lugar na paisagem
Preciso crer na reciclagem
Dependo do tempo
Para me tornar alimento
E a sorte de realizar a quimera
De ser uma nova folha na primavera

Rozelene Furtado de Lima
Teresópolis – Rio de Janeiro – Brasil
www.rozelenefurtadodelima.com.br

 
 

 

Rui Moreira Henriques Serrano

 
 

PERDI O COMBOIO
Ruy Serrano

Perdi o comboio para ir ter contigo
Deixei-o partir
Fiquei só é muito triste
Não sei o que fazer
Para te ver
Minha triste sina
Não te conhecer
Seria um enorme prazer
Perdi o comboio para ir ter contigo

O comboio partiu mais cedo
Reclamei
Foi-me dito que tu não quiseste
Que o comboio
Esperasse
Por eu sofrer por ti te agradaste
E eu aqui
Sem saber o que fazer na vida
Assim destruída
Perdi o comboio para ir ter contigo

Mais que o amor que sinto por ti
Desejo o meu
Poder ver as paisagens deslumbrantes
De Portugal
As serras os vales os rios e os amimais
Confesso
Que é o que eu mais amo e aprecio
O singelo
E não a crueza e maldade das pessoas
Como tu
Perdi o comboio para ir ter contigo

A ANDORINHA QUE NÃO MIGROU
Ruy Serrano

Uma andorinha, minha vizinha, não migrou,
De penas quebradas, não conseguiu voar,
Não sei como lhe valer, anda desorientada,
Irá passar o inverno com frio, abandonada.

Tentativas fiz para lhe dar em casa guarida,
Ela me evitou, mantém-se longe, foragida,
Pena minha a ditosa andorinha passar frio,
Não lhe poder valer é meu grande martírio.

Triste sorte desta linda e inocente andorinha,
Que não conseguiu acompanhar a migração
Das suas amigas que viajaram pro equador,
Pra minha terra que guardo no meu coração.

Ninguém se interessou por esta andorinha,
Que eu irei fazer os possíveis por socorrer,
Não quero deixar que ela acabe por morrer,
Merece todo o aconchego e o meu carinho.

 

 

 

 

 

 

 

 


Ruy Serrano
Tomar - Portugal

 
 

 

Samuel da Costa

 
 

MANIFESTO...
Samuel da Costa

Eles ganharam as ruas
Os iconoclastas
Foram...
As ruas...
Bradar palavras de ordem
Bradar palavras de ódios

Cuidado com os cães raivosos...
Amigos meus...
Quando marcha passar
Pois a fúria assassina...
Não deixa nada
Em seu devido lugar

Hei! Black-man... te cuida...
Hei! Dark-girl... te cuida...
Hei! slum people... se cuidem...
Hei! Blood brother... cuidado...

Os iconoclastas
Ergueram as bandeiras
Ergueram as mãos
Bradaram

Os iconoclastas foram às ruas.
O livre bradar
O livre pensar
O livre odiar
Nada fica no lugar
Nada ficou no seu devido lugar

Hei! Black-man te cuida...
Hei! Dark-girl te cuida
Hei! slum people se cuidem
Hei! Blood brother... cuidado...

Se preparem
Pois vem ai...
A tal liberdade vigida
E as pequenas violências
Cotidianas

Samuel da Costa
Itajaí - Brasil

 
 

 

Sérgio Diniz Barros Guedes

 
 

ENAMORADOS PARA SEMPRE
Sérgio Diniz Barros Guedes

Nasce uma flor,
linda, sorridente,
a tudo encanta,
esse é o amor!
Entre beijos e abraços
a raiz se espalha,
é como o pegar fogo
em um telhado de palha.
Expande-se na felicidade total,
tudo é lindo, nada faz mal,
é o anjo homem
e o anjo mulher,
soltos, bem juntos,
fazendo o que quer.
O amor saboreia a vida,
a vida presenteia o viver,
o viver na máxima emoção
a emoção junta o corpo,
a alma e o coração
na sinfonia do amar...

AMOR-PRÓPRIO
Sérgio Diniz Barros Guedes

No semblante do amanhã
sou passageiro da alegria,
presente onde a tristeza ronda
levando o conforto que se amplia.

Na desventura dos acontecimentos
somos vitimas,
e a todo momento
nos deparamos
com o abismo,
ele nos olha,
faz marola,
mas o amor próprio
cria asas,
e sobre ele voamos.

De vez em quando
ouvimos notícias
que o abismo levou alguém...
Será que o amor-próprio
não tinha ido antes?

O amor é o nosso caminho,
que traça o destino
rumo ao desafio infinito
montado na amplidão da vida,
na flamejante fúria da conquista,
do desafio,
razão do nosso viver.

Sérgio Diniz Barros Guedes
Porto Alegre - RS - Brasil
http://reinodafantasia.jimdo.com
http://encantosdaalma.jimdo.com
http://frestapoeticainfantojuvenil.jimdo.com
http://sergioguedes23.wix.com/guedespoesias
http://www.recantodasletras.com.br/autores/sergioguedes


S
érgio Diniz Barros Guedes nasceu em Maragogipe - Bahia, atualmente reside em Porto Alegre - RS. Formado em Administração de Empresas, Professor de Administração Hospitalar.
Descobriu na adolescência o prazer pela poesia, desde então não parou mais de escrever. Encontrou nesta forma, o modo de expressar seu pensamento, fazendo brotar o sentimento, com a magia da alma e o encanto dos olhos, no navegar dos sonhos.

 

 

 

 

Livro de Visitas

 

 

Clique aqui para ver todos os detalhes e estatisticas do site