FÉNIX

LOGOS Nº 25

MAIO - 2017

 

 

Adélia Ege

 
 

EFEITO SOMBRA
Adélia Ege

Estranha noite
Estranho sentido
Eu nao consigo dormir
Nem no paraiso

As sombras me seguem
Principalmente aquela
Que tem muitos nomes
Inclusive o efeito dela

Que sombra é essa
Que para mim é um mistério
E dizem que preciso conhecer
Se quizer que me levem a sério

Sombra sombra permaneca nos livros
Onde é o seu melhor lugar
Eu nao quero te conhecer
Prefiro que fique lá

Há quem te queira
Quem para te decifrar tem muito
Mais poder
Se nao for um Freud
Que seja um Chopra
Ou um Pondé

Creusa Adélia Ege - Brasil
em Alemanha


Creusa Adélia Ege, brasileira, enfermeira formada pela UNITAU em Taubaté S.P
Mora e exerce a profissao in Deutschland - Mora in Grafenau

 
 

 

Ademar Inácio da Silva (dema)

 
 

CONTRÁRIOS
Ademar Inácio da Silva (dema)

Por vezes me deparo
a admirar a beleza e a força dos contrários.

Amor e ódio caminham dorso a dorso,
por tênue lâmina separados.
E se se voltam, se engalfinham
ou se entrelaçam:
te amo e te odeio,
mas se te odeio é porque te amo.

Tal qual a luz penetrando as trevas
e as trevas abocanhando a luz.
O finito com medo do infinito
e o infinito temendo ser finito.
É a vida que se debate contra a morte
e a morte inconformada em ser vencida pela vida.

Sorte de alguém, azar de outrem.

Eis o tudo se opondo ao nada
e, quem sabe, o nada resumindo o tudo.

Todavia...

É no embate dos contrários que o devir exsurge
e o positivo se constrói.

Amor e ódio fazem a guerra.
Da guerra nasce a paz.

No contraditório transparecem as divergências,
mas delas brota a convergência.
Na alegria se esquece da tristeza
ou dela se ri.
Na tristeza se mensura até o sorrir.

Na saúde não se pensa na doença
e na doença aquela se valida.

Na presença não se sente a dor da ausência,
já na ausência nasce a saudade.

Na riqueza se desdenha da pobreza.
Na pobreza se descobre
quão pouco vale a riqueza.

Longe dos contrários o relativo,
que nada edifica:
certo pode ser errado,
belo e feio se confundem,
sobressai-se o subjetivo.

Bom mesmo é a luta dos contrários,
ver a débâcle deste ou daquele.
Se bem que não exista “quase vivo”
e muito menos “quase morto”
(quem “quase vivo” ainda está morto
e quem “quase morto” ainda vive),
preciso é estar vivo pra morrer
e morrer pra poder ressuscitar.

Vale!!!

Ademar Inácio da Silva
Uberlândia – MG - Brasil
http://www.demasilva.com.br/

http://www.dema-neverlateland.blogspot.com


Ademar Inácio da Silva (dema) - Uberlândia, MG, Brasil. Graduado em Filosofia, Estudos Sociais e Direito. Publicou “Devaneios”, “Sabor de Pecado e outras essências”, “Solidão e outras tristezas” e “Conjecturas Poéticas”. Participação em antologias diversas.

 
 

 

Adilson Tinoco Rezende

 
 

ENTRE ESPINHOS
Adilson Tinoco Rezende

Das rosas, não desejo mais nada...!
Nada...!
Talvez... Seu nome...!
Talvez... Seu aroma...!
Meu jardim, sombrio.
Perdera o viço.
As rosas...
Não mais, as colherei...!
Teu néctar, ainda atrairá,
pássaros e borboletas.
E os espinhos...?
Ah...! Os espinhos...!
Os espinhos...!
Esses a você
Deixarei...!
Não para que, te machuques.
Ou te espetes. Não...!
Mas...
Para que se lembre...!
Lembre...
Sempre de mim...

Adilson Tinoco Rezende
Barretos - SP - Brasil


Adilson Tinoco Rezende, natural de Barretos SP.Livro publicado A Mão Mãe do Poeta E algumas poesias em participações de antologia.Atualmente administro um Grupo poético International Academy Virtual Writher E participo com muito prazer de outros tantos...
Homem justo, tímido, sem vícios, homem família.Não cursou nenhuma faculdade, mas a vida fez-lhe Doutor... Doutor da dignidade, do caráter impar, da justiça. Homem de luta, homem do bem, íntegro por vocação, honesto por educação. Amigo dos amigos, onde sua missão: Fazer o bem, sem olhar a quem.

 
 

 

Admilson Faria (Poeta Magnata)

 
 

MEUS DELÍRIOS
Admilson Faria (Poeta Magnata)

Meus delírios
Eu conto os dia
Conto as horas
Pra te ver
Eu não consigo te esqueçer
Cada minuto muito tempo
sem você e um enternida

Fechou para passar o tempo.
Sem você não sei viver
Então vem
Eu quero colocar
Meus pensamentos em ordem
Eu quero abri o meu coração
Pra você encher
Com muito amor e alegria
Eu fico contente com a tua chegada
Fico triste com a tua partida
Meu amor

Eu também quero ser um poeta
Eu quero ser feliz ao teu lado.

Eu fico feliz com a tua chegada

Eu quero ser teu porta voz
Meu amor
Vem ser minha flor jasmim
Meu beija flor
Eu quero ser mudo
Mas eu não posso
Eu quero ser surdo
Mas eu não posso
Não ouvire a tua voz suave.
Não vou poder dizer que te amo

Eu quero beijar
a lua cheia
Lua nova

Eu quero dançar com as constelação
Eu quero dançar
com Mona lisa
Com Raínha Cleópatra
Com a Deusa grega

Eu quero ser teu girassol
Eu quero compra
Um livro
Para falar as palavras
Mas linda que existe no mundo
Eu quero realizar
Teus sonhos
Não quero ser teu amante
Eu quero ser teu dono
Teu por do sol
Teu amanhecer
Teu anoitecer violento
Felizmente não eu não
Posso te enviar poemas
Lindos porque eu não sei escrever correctamente
Infelizmente eu não sou poeta
Para roubar de ti um sorriso
Um abraço
Um beijo
Não estarei contigo.
Nas noites de solidão
Felizmente
Não vou poder
Dizer que te amo
Que sem ti eu não vivo
Eu quero me livra da solidão
Eu quero ser libertadores
Desta nação. De lágrimas
De angústia
De menlacolia

Eu quero ser dono do meu próprio nariz

Não quero ser chamado de burro
Boelo
Eu não quero mas ser ignorado
 


Admilson Faria (Poeta Magnata)
Luanda - Angola


Admilson Faria - É Membro do Movimento Lev’Arte Sector Viana, onde é Responsável da Actividade. Membro e fundador da Academia Mundial de Cultura e Literatura ( AMCL). Trabalha na Livraria Mulemba. É Colaborador do Espaço lêr e cultura da rádio Viana. Colaborador da Revista OMNIRA. Apaixonado pela Arte de Escrita, escreve Poesia Prosa Contos.
O seu Pseudónimo literário é Admilson Poeta Magnata ou Poeta do Amor.

 
 

 

Adriana Quezado

 
 

NOME MASCULINO
Adriana Quezado

Aniversariante feminina
Bem feminina
Saltos altos, vestido longo
Personalidade sensual
Não se pode duvidar.
"Se Deus é menino e menina",
Opinião de Pepeu Gomes.
E o ser humano de carne e osso?
Feito com amor Divino
Num único sopro
Criou homem e mulher
Em duas ou única pessoa
Vindo para o amor.

Adriana Quezado
Fortaleza - Ceara - Brasil
http://www.recantodasletras.com.br/autores/adrianaquezado

http://www.recantodasletras.com.br/e-livros/5580800


O hábito e o prazer de ler fizeram-me sentir que precisava desabrochar algo que estava em mim. Descobri o início do talento e o esforço da dedicação. Assim, comecei a escrever. Redijo textos no site Recanto das Letras e publiquei um livro de minha autoria e, outros, em parceria com diversos escritores. Depois da escrita, surgiu o gosto por outras artes: designer, artesanato e fotografia, fazendo-me uma artista com vários talentos, mostrando que a literatura e a arte são o meu lugar. Em 2015, lancei o meu primeiro E-book, disponível no Recanto das Letras. Desde julho de 2016, participo das Antologias LOGOS da FENIX e A Revista EisFluências. Relancei o livro Coração Literário que se encontra a venda na Edésio do Center Um em Fortaleza-CE.

 
 
 
 

Clique aqui para ver todos os detalhes e estatisticas do site