FÉNIX

LOGOS Nº 26

JULHO - 2017

 
 

 

Antônio de Pádua Elias de Sousa

 
 

ATLETICANO
Antônio de Pádua Elias de Sousa (Chiquinho Modesto)

Na vida há coisas mensuráveis,
outras inexplicáveis.
umas, ao alcance da mão,
outras, apenas do coração.

Estas, são únicas e raras
e por isto são caras.
Mas não se atribui um valor,
pois são algo do amor.

A força, a fé e a esperança,
de um hino, que se aprende em criança.
O preto e branco são as cores,
as outras, nunca serão melhores.

Isto é coisa de sentimento,
aos outros não cabe julgamento.
Somente sendo um para crer
e isso nos faz viver.

A paixão é a realidade.
O amor, a nossa verdade.
Atleticano nasce Atleticano.
Somente Deus é soberano.

Antônio de Pádua Elias de Sousa (Chiquinho Modesto)
Formiga - MG - Brasil
http://paduadesousa.blogspot.com.br


Formado em Administração, 57 anos, membro da Academia Formiguense de Letras, com trabalhos publicados em jornais, participações em concursos e antologias nacionais.
Com dez livros escritos, ainda não editados, pois mesmo participando de projetos de incentivo à cultura, em empresas privadas e públicas não consegui ser contemplado.

 
 

 

Antônio Paiva Rodrigues

 
 

DISCURSO DE ANIVERSÁRIO
Por Antônio Paiva Rodrigues

 
A vida é um presente dado por Deus, por isso nunca se esqueça de agradecê-lo por ter vindo a Terra desenvolver as suas missões e atribuições consideradas divinas. Além disso, nunca se esqueça de usá-las da melhor forma possível para sua elevação e alegria de seus familiares, parentes e amigos. Que o Senhor nos abençoe mais e mais a cada ano que passa, por isso rogamos por nossa saúde e que possamos estar presente nesse rol brilhante e acolhedor por muito tempo para nossas alegrias e felicidades. Para muito os aniversários são sempre bons: as estatísticas mostram que aqueles que mais aniversariam vivem mais! Porém, os aniversários denunciam que nós estamos ficando velhos e principalmente quando as velas custam mais caras do que o bolo!
Caríssimos amigos semeiem sempre as coisas boas da vida, pois o Criador coloca a nossa disposição as melhores sementes para germinarem e através dessa instrumentalização possamos colher belos gestos, boas facetas e frutos e que o fortalecimento seja o ponto forte e esse viés se prolongue por muito tempo, através de uma ligação profícua e duradoura. Estamos interligados pela troca de conhecimentos e, isso eleva ainda mais o nosso companheirismo, visto que à medida que o tempo passa e os ponteiros do relógio giram a nossa amizade vai se tornando mais forte e sedimentada.
“O pessimista diz do otimista:- Você não sabe o que te espera! Ele acha que é muito melhor ser pessimista do que otimista, porque o pessimista fica feliz quando acerta e quando erra. As diferenças entre os dois são por demais curiosas:- O pessimista transforma desafios em problemas. O otimista transforma problemas em desafios. - O pessimista vê a dificuldade em cada oportunidade. O otimista, a oportunidade em cada dificuldade. - O otimista diz que vivemos no melhor de todos os mundos. O pessimista teme que isso seja verdade!”
Diante dessas reflexões, fortaleço o meu discurso de aniversário com muito otimismo: aliás, não me parece muito útil ser outra coisa! Assim, afirmo que pretendo viver para sempre, pois sou e somos Espíritos imortais.
Certa vez fui homenageado por um amigo que fez a seguinte conotação: “Num pensamento, num envolvimento mitósico (divisão de células) foi à genitura de dois seres (pai e mãe), que se amavam lastreados por energias ínclitas e indefectíveis que geraram uma vida”.
O passado era oblívio (abandono, descanso, esquecimento, repouso, adormecimento) de fé e venturas, ternuras mil, nubentes meio adolescentes, e o amor transpirava entre dois seres alegres e revigorados, desta paixão uma semente plantada, regada, redentora de extasia, nascia um ser pequenino, florescido, encantado de fastos diamantizados no lar, o berço geniturado, divinizado, lastreado de amor e alegria. Ósculos, paracletos, hercúleos foram sinonímias mensuradas de um pequeno ser que viria ser um homem, sorridente, alegre e amigo de todos. . Esse pequeno ser veio a receber na pia batismal o nome de Antônio Paiva Rodrigues uma efígie humana cheia de encômios (elogio) que o deotropismo afigurava e a semente cresceu, robusteceu, energizou imantou laços de uma vida mais bela arreglada (arrumada e resolvida) e material de família terna e singular.
Pensando bem, envelhecer não é tão ruim se nos considerarmos a alternativa possível. É o preço que temos que pagar se quisermos continuar vivos, e todo mundo é capaz de envelhecer, basta viver o suficiente para chegar lá. Não tenho presentes de aniversário, mas como amigos nós sempre seremos lembrados. Parabéns estimados aniversariantes que adoram viver e fazer amigos. Nossa palavra será verbete de esperança e ficará na lembrança, de adultos e crianças que se ilustram na esperança e regozijam-se nas aposições revividas. Oferecemos de coração atos de gratidão compartilhando a alegria e emoção com nossos queridos amigos aniversariantes do mês de junho. Parabéns e muita saúde.

Antônio Paiva Rodrigues
Fortaleza - Ceará - Brasil


Antonio Paiva Rodrigues-jornalista-membro da ACI- da ACE- da UBT- da Aouvirce e da Alomerce. Espírita praticante

 
 

 

Arcélio Alfredo Zitha

 
 

A RESISTÊNCIA DE UM POETA
Arcélio Alfredo Zitha

Não havia caneta, mas mesmo assim
O poeta Usou do seu sangue e escreveu
Não havia caderno para rabiscar, em fim
Usou do seu corpo e rabiscou

Não havia vocábulos para escrever
Mas ele usou do silêncio e fez brotar palavras
De caridade, afectividade, e as tornou expressivas
Assim faz o poeta para não fenecer

Mesmo tão cego, nas paredes do coração
Rabiscou, sentidamente a frase dita emoção
E assim nasceu a poesia de lamentação
Sem nenhuma sonância de desoneração

A resistência de um poeta a todo tempo
As expressões não se perdem a todo momento
Assim o poeta faz a vida ter sentido
Mesmo com as decepções que tem tido.

Arcélio Alfredo Zitha
Limpopo - Gaza- Moçambique


Arcélio Alfredo Zitha, natural de Muzingane, distrito de Limpopo, província de Gaza, nascido ao Onze (11) de Janeiro de 1997.
Nível de escolaridade: Médio, frequente actualmente o curso de Agro-pecuária, com a duração de três (3) anos, no Instituto Médio Politécnico Santa Maria do Cenáculo, sendo que este ano é o último.
Desde minha infância fui apaixonado por versos românticos, passava muito tempo lendo artigos buscados da internet. Nos princípios de 2013, depois de uma aula dada que abordava sobre a vida e obra de Camões, me interessei em escrever versos, com o desígnio de escrever como ele, desde lá ate então venho desempenhando essa actividade de escrever e ser poeta.

 
 

 

Ariovaldo Cavarzan

 
 

QUADRAS DA PAGA
Ariovaldo Cavarzan

Faz-se grande o amor,
Quando em oferta e em paga,
Ora em perfume de flor,
Ora em esgrima de adaga.

Se de queixume e de pranto
O coração se alaga,
Chega drenando a paixão
E bem de mansinho o afaga.

Marinheiro que iça vela,
Faz premer do barco a apaga,
E sob a inclemência do sol,
Mantém a cabeça abada.

Se se quer acesa a vela,
A reclamar somente a paga,
Ao sentir que não tem jeito,
Chega outro e a chama apaga.

Se vivida em muito amor
A vida restar impaga,
Será em saudade e em dor
Que ao final será paga.

Ariovaldo Cavarzan
Campinas - SP - Brasil

 
 

 

Arnaldo Golino

 
 

L U C I A N O
Arnaldo Golino

Legou-nos o desprendimento
um exemplo de viver
como Jesus ensinou
imolou-se sem sofrimento
amou a dança, as damas
negou-se dos bens terrenos
ornou-se de simplicidade.

Assim viveu Luciano
livre, leve, solto
cumpriu sua jornada
incólume, despojado
carismático, amoroso
irreverente,nosso Mano!

Filho dedicado
irmão exemplar
generoso, amoroso
ungido de amor
extremou-se pelos Pais
incansável enfermeiro
redobrando de carinho
ELI, nosso pai, o primeiro
depois, nossa mãe querida
o seu destino,enfim, cumpriu!

(Escrito por Arnaldo Golino, dia 27 de junho de 2017, as 2.05 da manhã, em homenagem póstuma ao amigo de adolescência, Luciano Alcici Figueiredo, falecido em 25 de maio de 2017, aos 74 anos.)

Arnaldo Golino
Belo Horizonte - MG - Brasil


Arnaldo Golino tem o 3º Grau incompleto, sendo 2 (anos) de Sociologia e Jornalismo.
Aposentado, exerce a profissão de Representante Comercial, porque precisa complementar a aposentadoria e porque gosta do que faz.Começou escrever poesias ainda na adolescência e faz parte do Grupo de Poetas Livres de Florianópolis - SC - BR, sendo colaborador assíduo da Revista Ventos do Sul, editada pelo GPL.Tem poesias publicadas em Antologias da Vivara Editora e do GPL.Em 2012, foi homenageado com a Medalha do Poeta Maria Vilma Campos,por ter uma de suas poesias entre as mais belas do ano.

 
 
 
 

Clique aqui para ver todos os detalhes e estatisticas do site