FÉNIX

 

 
 
 

Admilson Faria (Poeta Magnata)

 
 

DIZ ONDE ESTÁS
Admilson Faria (Poeta Magnata)

pois os meus olhos
anceiam almejar-te
e meu nariz sentir seu cheiro
cheiro que so você tem
por favor vem
apareça nesta angustia e
me da alegria
não tenho control das minhas lagrimas
dentro meu coração chora
meus labios secos te procuram
sempre te quiz
vem ser feliz
meus braços são seus
voce me faz falta
por favor não me dá tanta massada
eu te quero comigo
onde estas Rainha.
enbrulho esse poema nesta garafa
quando receberes do mar
leia que sofro sem ti
não consigo se mentir
nem se fugir
meu coração
minhas emoções contigo esta
por favor
apareça para mim
ou diz onde estas que vou ate você
meu amor
minha flor
meu jardim
meu eu
e minha metade inteira.

Admilson Faria (Poeta Magnata)
Luanda - Angola


Admilson Faria - É Membro do Movimento Lev’Arte Sector Viana, onde é Responsável da Actividade. Membro e fundador da Academia Mundial de Cultura e Literatura ( AMCL). Trabalha na Livraria Mulemba. É Colaborador do Espaço lêr e cultura da rádio Viana. Colaborador da Revista OMNIRA. Apaixonado pela Arte de Escrita, escreve Poesia Prosa Contos.
O seu Pseudónimo literário é Admilson Poeta Magnata ou Poeta do Amor.
É colaborador da Editora Brasil dos livros .
É colaborador da revista kamba
É colaborador da revista EisFLUÊNCIAS e ANTOLOGIAS LOGOS DA FÉNIX
É presidente da : Associação Jovem Poeta Josafat (AJPJ)
É mentor do projeto Ler jovem e Apaixonado pela literatura arte

 
 
 
 
 

Adriana Garcia

 
 

GRILHÕES DE ESPERANÇA
Adriana Garcia

Assim tão simples te conheci...
A procura do grande amor.
Em um retrato te vi!
Imaginei generoso um conquistador!

Diálogos surpresos de carinho...
Se fez apaixonar um pobre coração.
Acordava feliz para receber um beijinho...
E teclando com amor as letras com paixão.

Fez se um tempo onde a atenção mudou.
Não mais respondia com aquele fulgor.
Simplismente por outra apaixonou...
Grilhões de esperança vive em mim ainda o amor.

Preferiu conhecer a estrutura física...
Sempre repetia estou conhecendo...
Precisa de química!
E eu aqui na esperança só lhe querendo.

Mesmo distante...
Sem te conhecer pessoalmente.
Apenas por uma foto senti que eras importante.
O amor não mente.

Na esperança que a porta iria tocar...
O amor nos fez encontrar.
Por você vou esperar mais vejo a sorte sem chances de aproximar.
Mesmo distante sempre , sempre nos grilhões da esperança por você vou esperar...

Adriana Garcia
Campo Florido - MG - Brasil


Adriana Garcia de Sousa nasceu na cidade de Uberaba Minas Gerais. Professora atuante a vinte e um anos. Autora do livro literário infantil referente a cultura indígena: As Putyras de Ñhanderú. Poeta com participação nas antologias poéticas: Palavras Abraçadas; Além da Terra; Além do Céu;Sopro de Poesia;Na minha Cómoda;Coletânea de Poesia. Com uma participação poética Internacional ao World Festival of Poetry (Internacional Fb-Website).
Poeta mineira que rabisca ao vento, Amante dos versos, Amor em movimento.
Escrever é arte rabiscando os sentimentos diversos.

 
 
 
 

Adriana Quezado

 
 

OS HEMATITAS
Adriana Quezado

São apaixonados desde o dia em que se conheceram!
Não importava a idade que tinham,
Só queriam estar juntos.
Bem colados um ao outro.
Como uma cola-tudo, que não desprega jamais.
Volta e meia dão uma volta ao mundo em 80 dias.
Já fizeram bodas de Prata.E agora Hematita.
Diz a lenda que quem usa esta pedra
Não terá força negativa
cruzando em seus caminhos.
Na verdade, esse amor sempre será abençoado por Deus!
Sejam felizes para sempre!

Adriana Quezado
Fortaleza - Ceara - Brasil
http://www.recantodasletras.com.br/autores/adrianaquezado
http://www.recantodasletras.com.br/e-livros/5580800
adriqazulaygmail.blogspot.com.br


O hábito e o prazer de ler fizeram-me sentir que precisava desabrochar algo que estava em mim. Descobri o início do talento e o esforço da dedicação. Assim, comecei a escrever. Redijo textos no site Recanto das Letras e publiquei um livro de minha autoria e, outros, em parceria com diversos escritores. Depois da escrita, surgiu o gosto por outras artes: designer, artesanato e fotografia, fazendo-me uma artista com vários talentos, mostrando que a literatura e a arte são o meu lugar. Em 2015, lancei o meu primeiro E-book, disponível no Recanto das Letras. Desde julho de 2016, participo das Antologias LOGOS da FENIX e A Revista EisFluências. Relancei o livro Coração Literário que se encontra a venda na Edésio do Center Um em Fortaleza-CE.

 
 
 
 

Aida Viegas

 
 

CHOVE NO MEU JARDIM
Aida Viegas

Chove no meu jardim
Faz sol na minha alma
O dia ri pra mim
A vida passa calma.

Acabou-se a amargura
A minha alma está nua
Gelada a noite escura
Venta na minha rua.

Há frio lá por fora
Meu coração está quente
Mandei a raiva embora
Há paz em minha mente.

No mar há tempestade
E ondas altaneiras
Em mim reina a amizade
O amor destrói barreiras.

Ao nosso continente
Chegou a invernia.
Oponho ao descontente
Cascatas de alegria.

Já neva lá na serra
Mas frio aqui não faz
Anda por longe a guerra
Gozemos nossa paz.

Pudeste transformar
O dia mais agreste
Em canção de embalar
Com o amor que me deste.

Varinha de condão
Que teima em cada dia
Encher-me o coração
De sol e de alegria.

Já não temo o inferno
Da vida pobre e vera.
Acabou-se o Inverno
É sempre Primavera.

Aida Viegas
Aveiro - Portugal


Aida Viegas no campo da escrita evidencia-se a sua colaboração desde muito nova em vários jornais e revistas.
Faz parte do Grupo Poético de Aveiro, pertenceu à Associação dos Jornalistas e Escritores da Bairrada, foi membro do Grupo de Estudos e Labor da Língua Portuguesa e frequenta a Academia de Saberes de Aveiro.
Recebeu vários prémios, na área da Poesia e do Conto. Da sua obra já editada consta:
Pensar Alto – poesia -1992; FIACOBA / 92 – em rima -1993;Oliveira do Bairro – Memórias de Um Século - prosa -1994;Lampejos – poesia -1996;O Tempo das Delícias – poesia -1999; Abandonar Angola – Um Olhar à Distância – prosa -2002;No Rodar dos Tempos – contos – 2005; Rios de Fogo e Madrugadas de Luz – poesia – 2009;Histórias de Bolso das Gentes de Aveiro - histórias – 2010; Santo António – a Freguesia e o Padroeiro - prosa 2011;Laura - Um Grito No Silêncio – romance 2012;DE MALA AVIADA – Com a aventura na alma e a poesia no coração – viagens 2014;Malhapão Rico - Confidências à Sombra do Sobreiro – prosa 2017.
Participou:I Antologia de poetas Lusófonos;II Antologia de Poetas Lusófonos

 
 
 
 
 

 Flag Counter

Clique aqui para ver todos os detalhes e estatisticas do site