FÉNIX

 

 
 

Alaíde Souza Costa

 
 

CASAMENTO FALIDO
Alaíde Souza Costa

Sete anos de casamento
Não são sete dias, querido
Mas, quando não há Paz
O coração fica partido.

Harmonia, confiança e união
Somem, junto com o Amor
Surge um casamento falido
Restando daí, brigas e Dor.

Então, para que continuar?
O melhor que você me faz
É sair logo de minha vida
Por favor, me deixe em paz.

Alaíde Souza Costa
Aracaju – Sergipe – Brasil
http://www.alaidescosta.recantodasletras.com.br

 
 
 
 

Alberto Chetula Poeta

 
 

AMOR DE VIDRO
Alberto Chetula Poeta


cruzei o vêntre dos meus pés em busca de uma conversa muito séria com as formigas que adiam a noite das autópsias... No útero do cigarro Uma mosca de algodão fotografou as cores da insatisfação Eu sou réu de mim mesmo na universidade do medo sem direito à direito Um hospital de vento medigando silêncio no manicómio dos jornais Ó inferno onde andas tu? Quero sentir o perfume dos teus mamilos no meu cérebro Quero engraxar os sapatos dos mortos com a timidez das minhas lágrimas Ó inferno onde andas tu? Quero estuprar janelas do teu mistério com o polegar da minha retórica Oh! Utopia sangrenta Os sonhos são cidades de papel Agora descobri que uma lágrima pode esconder um Comício e se o boi tiver mais valor que o capim restará apenas o néctar dos cemitérios para que o artista faça da música uma formatura obrigatória As palavras do soba não substitui o amor da nossa mãe O juiz dificilmente chora na discussão dos apóstolos Cada pássaro que desfila no deserto da insónia tem a sua própria cueca como vestígio de clemência Dentro do campo de futebol do meu eu mais nu há uma igreja de sambapito onde Deus deixou de ser o nosso Deus... O vinho pode durar uma eternidade mais somente um bom agricultor é capaz de semear um continente no pulmão da sanzala A morte é sempre hoje ninguém terá culpa de morrer amanhã pois a vida é um vaso de barro sem as costuras do mestre weza... Amor Deixo te uma cueca de adjectivos para colorir o nariz do meu túmulo pois os heróis somente podem levar de África duas interrogações no bolso na ausência dos botões. ~

Alberto Chetula Poeta
Luanda - Angola


Alberto Chetula Poeta, nascido aos 10 de outubro de 1992, na comuna de Bolongongo,província de Kwanza-norte, país Angola, é poeta,dramaturgo,declamador,director artístico do grupo Muxima yetu Teatro

 
 
 
 
 

AlbertoCohen

 
 

ONIPRESENÇA
AlbertoCohen

Foste a maior aventura
e a mocinha da gravura
que pendurei na parede
da oficina do meu quarto.
Foste mais, foste visagem
a assombrar com tua imagem
os anseios de meu dia,
as noites de não dormir.
Foste aquela brincadeira,
que durou a vida inteira
e que nunca mais termina,
de juju, de esconde-esconde.
Foste diaba e rainha,
de sala, alcova e cozinha,
da rua, das mil procuras,
tão poucas na minha cama.
Foste, afinal, pesadelo
que embaraçou o novelo
da linha de bordar sonhos
tecidos pela metade.

Alberto Lisboa Cohen
Belém do Pará - Brasil


Poeta reconhecido e admirado por suas obras, Alberto Lisboa Cohen, é autor de vários livros premiados, entre eles:
“Poemas Sem Dono”: Vencedor do II Prêmio Literário Livraria Asabeça – Publicado pela Editora Scortecci - SP – 2003.
“Poemas de Amor, Desamor e Saudade”: Selecionado e editado pela Câmara Brasileira de Jovens Escritores - CBJE – Rio de Janeiro – RJ – 2004 (esgotado);“Daltônicos”: Selecionado e editado pela Câmara Brasileira de Jovens Escritores - CBJE - Rio de Janeiro – RJ – 2004. (esgotado);“Recados para Wendy”: Selecionado e editado pela Câmara Brasileira de Jovens Escritores - CBJE - Rio de Janeiro – RJ – 2005 (esgotado);“Caminhos de Não Chegar”: Vencedor do Prêmio de Literatura Instituto de Artes do Pará- IAP – Editado pelo Governo do Estado - PA - 2005. Vencedor da Láurea Cidade Poesia (Moderna) - Associação de Escritores de Bragança Paulista - ASES - SP - 2006;“Juntando Pegadas”: Vencedor do Prêmio Vespasiano Ramos - Academia Paraense de Letras - PA - 2006. Publicado pela Editora Paka-Tatu – Belém - PA ; “Cantigas que a Rua Canta”: Selecionado e publicado pela Editora Alcance - Porto Alegre- RS – 2009;“Álbum de Recordações”: Selecionado e publicado pela Editora Alcance - Porto Alegre-RS – 2009; “Menino das Samaúmas”: Selecionado e publicado pela Editora Alcance – Porto Alegre -RS - 2010 : “Catador de Momentos”: Selecionado e publicado pela Editora Alcance – Porto Alegre - RS – 2011; “Sobrevivente de Mim”: Selecionado e publicado pela Editora Alcance – Porto Alegre - RS – 2012 ; “Canto de um só”: Selecionado e publicado pela Editora Paka-Tatu – Belém – PA – 2013 ;Cativos sem desejos de alforria.

 
 
 
 

Alcina Maria Silva Azevedo

 
 

O JEITO QUE TU ME BEIJAS
Alcina Maria Silva Azevedo

Gosto do jeito que tu me agarra
Do jeito que tu me beija
Me morde os lábios
Me suga a boca!

Gosto desse teu jeito sério
Que de repente me deixa louca
O teu beijo é gostoso
Devora e machuca

Mas é assim que eu gosto
E fico maluca!

Beija-me mais
Acabe comigo
Pois é assim que eu gosto
De estar contigo.

Alcina Maria Silva Azevedo
Campinas - SP - Brasil


Alcina Maria Silva Azevedo nasceu em Cruzeiro-SP. Reside atualmente em Campinas, Estado de São Paulo. Tem vários prêmios ganhos em concursos, inclusive prêmio de publicação da Editora Shogun Arte de Christina Oiticica esposa do Paulo Coelho, onde passei a trabalhar como coordenadora de concursos de poesias. Escrevi para o jornal O Estado De Goiás durante 4 anos, tendo muita matéria publicada. Um livro intitulado OS DESCASADOS , PUBLICADO PELA EDITORA LIVRO PRONTO. Ganhou troféu de CArlos Drummond de Andrade em Destaques do Ano de 1916. Participei da Bienal do Livro em São Paulo. Tenho ainda uma novela escrita a ser publicada, intitulada Além do nosso mundo. Um livro eletrônico intitulado; Um conto de preto babão.

 
 
 
 
 

 Flag Counter

Clique aqui para ver todos os detalhes e estatisticas do site