FÉNIX

 

 
 

Ana Rosenrot

 
 

NOITE LONGA
Por Ana Rosenrot


Eu já estava plantada no restaurante há mais de duas horas, esperando por Silas, meu marido. Sei que deveria estar acostumada com seus habituais atrasos e suas desculpas banais e repetitivas – reuniões, trânsito, cliente importante (essa desculpa era a que eu mais detestava) –, mas naquela noite em especial eu me sentia eufórica, meu coração estava acelerado, me pedindo para buscar novas emoções.
Já bem irritada, peguei a bolsa, abri, tirei algumas notas para pagar a taça de vinho que eu bebera, me levantei e fiquei pensando em sair correndo dali e aproveitar melhor a minha vida inútil e vazia …
Mas para onde eu iria? E o que faria? Me arriscaria sozinha pela noite? Entraria numa boate e beberia com estranhos? Dançaria um tango com um galã de meia idade charmoso, igual no filme “Perfume de Mulher”? (até parece que isso acontece de verdade)
Faria novos amigos e deixaria Silas me esperando no restaurante como vingança?
Pensei em fazer mil coisas, mas tive medo de mim mesma e me sentei novamente, esperando, esperando, esperando...
— Garçom, outra taça de vinho, por favor! - disse com a voz mais calma possível.
Mais uma noite longa...

Ana Rosenrot
Jacareí – SP – Brasil
https://www.facebook.com/anarosantanarosenrot
http://cultissimo.wixsite.com/anarosenrot
http://cultissimo.wixsite.com/revistaliteralivre

 
 
 
 
 

Ana Rosso

 
 

SER FELIZ
Ana Rosso

Repensar a vida
Um tanto cansada
Outro tanto esgotada
Já foi florida
Já se viu encantada
Quase extasiada de tanto sonhar
O sábio tempo desperta
E aperta o peito
Coração acelera e grita:
_ser feliz é preciso
Em qualquer tempo da vida

Ana Rosso
Sol-Natal - RN - Brasil


Ana Terezinha Rosso, sepeense de alma, coração e saudosismo. Nasceu em 21 se setembro de 1959. Formou-se em enfermagem pela UFSM de Santa Maria e em química pela Pontifícia Universidade Católica-PUC/RS. Mora na Cidade do Sol-Natal/RN. Desde jovem, Ana Rosso guarda riscos e rabiscos em agendas e cadernos, o que culminou numa coletânea de versos, desde 1970, a serem ainda impressos. Musica, dança e pintura em tela complementam e alegram seus dias atuais. É Acadêmica da Academia de Letras e Artes Sepeense-ALAS, de São Sepé/RS

 
 
 
 
 

Anahí Duzevich Bezoz

 
 

ES EL HOY…
Anahí Duzevich Bezoz

“Muéstrate fuerte y animoso en los aprietos y estrecheses;
y de igual modo, cuando un viento demasiado propicio
hincha tus velas, recógelas prudentemente.”
HORACIO

Hoy es hoy, ya los dijeron los poetas del ayer
Lorenzo de Médicis, Tasso, Ronsard, Anacreonte
es el hoy blanco y sosegado
es el hoy de las manos ardidas en el canto
es el hoy de vida iluminada con esperanza inmediata
es el hoy de comer el tiempo a mordiscos y gozarlo
dejar atrás el ayer con sus quimeras gastadas
es el hoy que no permite al tiempo malgastar tiempo.

Mañana… mañana es otro espacio, desconocido
ajeno, final, que nos separa con sus labios invisibles
del ayer, del presente que arranca, que degusta, que disfruta.
Ya lo escribió Horacio
la oportunidad es hoy
es el hoy de apresar el ciclo de sol a sol

vivir a pleno el oro de las horas
es el hoy de estar aquí con el cuerpo y alma en privilegio...

Hoy es hoy, es mirar
en el espejo de los espejos
un asombroso y único día que se ofrece.

Anahí Duzevich Bezoz
Cañada de Gómez - Pcia Santa Fe - Argentina


Anahí Duzevich Bezoz, Poeta, Narradora y Trovadora. Recibió premios a nivel Nacional e Internacional. España. Cuba, México, Perú, Puerto Rico, Japón, Colombia, Chile, Brasil, etc. Tiene poesías traducidas al Catalán. Ganó como 1° Premio la Edición de un libro de poemas “Huésped del tiempo”. Con el Grupo Literario Alternativa Editó: “En este espacio que somos”. Figura Embajadora de la Palabra en Museo- Toledo-España. Integrante de: Unión Hispanoamericana. Diablos Azules. Mujeres Poetas Internacionales Rep. Dominicana. Revista Luna sol, Brasil y varios blogs Internacionales de Poesía. Colaboró en el Plan Santa Fe lee y crece. Fue integrante del grupo de Letras de la comisión del Bicentenario. Fue Co-secretaria de S.A.LA.C. ,Actual Miembro Directivo de Biblioteca Popular B. Rivadavia de Cda de Gómez. Coordina mesas de lectura en varios Encuentros Literarios. Promociona desde su Agrupación Literaria en suCiudad Certámenes de Poesía y Narrativa a nivel Internacional. Figura en numerosas Antologías en distintas partes del mundo.

 
 
 
 
 

André Anlub

 
 

DAS LOUCURAS (botando horda na casa)
André Anlub

Manual para organizar de vez o planeta
Cada qual escrevendo sua lauda
Dedicação, prudência, essência e caneta
Atributos para desembrulhar a embrulhada.

A casa em chamas e nas mãos a gasolina
Fogo subindo a colina, água escassa e mente escusa;
Culto à benzina – folia de Carnaval, o avesso dos tédios...
E os canaviais alimentam as labaredas e os ébrios.

O manual foi-se às cinzas, e nuvens cinza agradecem...
A camuflagem do malfeito; a cama feita de folhagem;
E deita-se o homem com a consciência mais limpa.

Vamos dar o soro da verdade aos vis verdadeiros
E assim fazê-los morrerem feliz de overdose.
É tudo pose, é tudo posse gritou Zizi Possi...
E as ervas daninhas saiam batidas dos seus canteiros.

Tudo foi ajustado e documento para a tevê,
O tédio tomou tanto remédio que entrou em “deprê”.
A ressaca é tamanha que a nova miss é uma bruaca
Enquanto isso um surfista local e sua prancha aproveitam a ressaca.

André Anlub
Crato - CE - Brasil
http://poeteideser.blogspot.com.br/


André Anlub é entusiasta pela vida, escritor pela Darda Editora, autor de seis livros, coautor em mais de 100 Antologias poéticas em papel e algumas em e book • Autodidata nas artes, pretenso artista plástico com uma obra no acervo permanente do MAC da Bahia • Conselheiro da Associação Cultural Poemas à Flor da Pele, revisão e marketing na Editora Becalete, membro do Movimento Nacional Elos Literários e do Grupo Beco dos Poetas • Membro Vitalício da Academia de Letras de Iguaba Grande (RJ) e da Academia Virtual de Letras, Artes e Cultura da Embaixada da Poesia • Membro Correspondente da ALB seccionais (BA), (SP), da Academia de Letras de Goiás e do Núcleo de Letras e Artes de Lisboa • Prêmios: Personalidade 2013 pela Artpop • Excelência e Qualidade 2014 pela Braslider • Mérito Cultural 2015 e 2017 pela Editora Futurama • Maestro Wilson Fonseca 2015 e Destaque na Cultura 2016 (ALuBra) • Prata da Casa 2017 e Comenda Conde de Figueiró 2017 (Embaixada da Poesia)

 
 
 
 
 

 Flag Counter

Clique aqui para ver todos os detalhes e estatisticas do site