FÉNIX

 

 

Conceição Maciel

 
 

VIVENTE
Conceição Maciel

No mar recluso, o navegante
É escoltado por ondas
Grotescas e violentas
O ar, antes silente e quieto
Em seu sono profundo
Acordou da sua quietude
Ao som ensurdecedor
Da noite mal dormida

A mudez da voz na ressaca amparada
Nos olhos escuros do anoitecer
Se perdeu sem doutrina
Acordando os Deuses
Que perscrutaram toda a extensão do mar em trevas
O navegante gritou desamparado
As ondas e o vento
Silenciaram seu clamor
E suas lágrimas se anularam
Em meio ao mar revolto

As estrelas surgiram
Mas a sombra da noite
Surpreendeu com tamanha insensibilidade
Que elas sucumbiram receosas no infinito
A Lua, cheia de solidariedade
Surgiu em meio às trevas
Mas o destino cruelmente traçado
Carregou nuvens pesadas
Que se puseram a encobrir
O luar da doce menina da noite

O navegante arfou angustiado
Mas insistiu pela sobrevivência
A esperança era vivente
Mas nem a própria chama da vida
Conseguira emergir do abismo
Que a noite escura se tornara

O navegante tentou se esconder dentro de si
E lhe restou ouvir seus ais congelantes
E aguardar o seu cruel destino no mar.

Conceição Maciel
Capanema - Pará - Brasil


Conceição Maciel - casada, mãe de três filhos; tem formação superior em Letras com habilitação em Língua Portuguesa pela UFPA (Universidade Federal do Pará); possui várias poesias publicadas em âmbito nacional e internacional; atualmente pleiteia uma vaga na ACLA (Academia Capanemense de Letras e Artes).

 
 
 
 

Conceição Oliveira

 
 

TRIBUTO A CAMILO PESSANHA
Conceição Oliveira

I - Vede como a vida é breve…

Vede como a primavera enaltece o canto das aves
escutai dos riachos
a secura
presa
à melodia enganadora.

Ténue é o fio d’água
e tão estreitas as margens.

E olhai a voracidade do fogo.

Olhai-o
consumindo a vida
que ainda há pouco
espreitava
o sonho
da juventude…

Vede como,
subitamente,
o dia regride pela cinza
e as trevas descem.

E a noite
é.

Conceição Oliveira
Aveiro – Portugal
https://www.facebook.com/Concei%C3%A7%C3%A3o-Oliveira-II-1582155138680890/?ref=br_tf


Conceição Oliveira é natural e residente em Aveiro, Portugal.
É Licenciada em Ensino de Português/Francês pela Universidade de Aveiro.É diplomada pela Escola do Magistério Primário de Aveiro, e pelo Instituto de Línguas – Alliance Française, da mesma cidade.Exerceu docência durante 38 anos.
Sempre escreveu. Dedica-se à pintura e à escrita desde a adolescência. Tem trabalhos publicados em Jornais escolares e informativos locais;É coautora em muitas dezenas de Colectâneas - Antologias, Agendas e Revistas Culturais - Portugal, Brasil, Moçambique e Roménia.
Na área da Literatura:Publicou (individualmente) LABIRINTO DE PALAVRAS, Poesia, pela editora Temas Originais, 2012 - obra distinguida internacionalmente com um primeiro Prémio Literário (CONINTER ARTES, MOVIMENTO UNIÃO CULTURAL – Brasil e Portugal e Associação EPOPEIA das ARTES, Lisboa Portugal);TEMPO SEM HORAS, Contos, pela editora Vieira da Silva, 2013; DA RAÍZ (transparências), Poesia, Palimage, Edições Terra Ocre, 2014;RAMIRO e o MOLICEIRO (entre a Ria e o Palheiro) Infanto/Juvenil apresentado em Fevereiro de 2016 - obra em 2ª edição, distinguida internacionalmente com um primeiro Prémio Literário (CONINTER ARTES, MOVIMENTO UNIÃO CULTURAL – Brasil e Portugal e Associação EPOPEIA das ARTES, Lisboa Portugal).
Um novo livro, Antologia de Contos (CONTOS PRÓDIGOS – e outros - VADIOS), será lançado em 16 de Dezembro de 2017.
Na área do desenho e da pintura:Participa em exposições de pintura desde 1984 (individual ou coletivamente). Mais regularmente, desde 2010, inserida em associações e/ou comunidades de artes portuguesas e internacionais nomeadamente, as seguintes:AVEIROARTE, Aveiro; AAAGP - Figueira da Foz; FRIENDLY TALENTS, Leiria; ÁRVORE / Cooperativa de Atividades Artísticas – Porto, EPOPEIA das Artes, Lisboa.
Conta com alguns prémios, bem como menções honrosas, em trabalhos exibidos em galerias de arte e/ou outros centros de cultura, em Portugal e França.

 
 
 
 

Conceição Tomé - São Tomé

 
 

FELICIDADE SONHADA
Conceição Tomé - São Tomé

Se ainda te sonho e quero
Como sempre te sonhei,
È porque ainda te espero,
Como sempre te esperei.

Nem o mar e nem a terra,
Traçaram o meu caminho.
O amor que foi quimera
Quedou-se no próprio ninho.

Se asas peço ao vento,
É para levar meu lamento
Sem deixar qualquer saudade,
Apenas a sonhada felicidade.

Ficou sem margens
O rio da utopia,
Ficou sem leme
A barca da fantasia.

Por isso vem,
Vem…felicidade sonhada,
Para os braços da poesia!

Conceição Tomé - São Tomé
Corroios - Portugal

 
 
 
 

Cristiane Grando

 
 

A ÁRVORE E A ESTRELA
(a Mauricio Vieira)
Cristiane Grando

o baobá em Angola
com uma estrela pintada
em seu generoso casco oco:

- oquidão para guardar água
pelos povos das regiões áridas -

com seu fruto sagrado
o imbondeiro é amado
pelos olhos do poeta:

sua vida secular revela
os segredos da terra

Cristiane Grando, Profª. Drª
Cerquilho - SP- Brasil
http://cristianegrando.blogspot.com
https://www.facebook.com/groups/1620907961454082/?fref=ts
http://cristianegrando1.blogspot.com


Profa. Dra. Cristiane Grando, Escritora brasileira e tradutora português-espanhol-francês
Docente Português para Estrangeiros - Universidade Federal da Integração Latino-Americana (UNILA)

 
 
 
 
 

 Flag Counter

Clique aqui para ver todos os detalhes e estatisticas do site