FÉNIX

 

 

Gilberto de Sousa Moura

 
 

A ÚLTIMA SARACURA-DO-MANGUE
Gilberto de Sousa Moura

Todos os dias ouvia teu canto,
Anunciavas com alegria o entardecer,
E deleitavas-me com o encanto,
Mas temia o fim desse bel-prazer.

Ao te ouvir ali tão próxima de gentes,
As quais invadiram o teu espaço,
E banido da área, os ascendentes,
Agora ter-te como presa é o marco

De repente ouvi um estampido.
A saracura desapontou a sorte
Covardemente o destino foi vencido.

Senti um grande pesar pela sua morte
Deixou-me triste e constrangido.
Sem me perdoar por não ter interferido.

Gilberto de Sousa Moura
São Luis - Maranhão - Brasil


Gilberto de Sousa Moura, Licenciado em História (UEMA). Bacharel e Licenciado em Geografia (UFMA). Professor liberta as pessoas da ignorância, por isso optei por essa profissão.

 
 
 
 

Gilberto Nogueira de Oliveira

 
 

COISAS CÓSMICAS
Gilberto Nogueira de Oliveira

Numa estupenda noite que não mais parecia ter fim
Houve a explosão de estrelas, explosões irônicas,
Era a Terra a contemplar a Lua
Num amor distante e impossível,
Num impetuoso flerte lésbico,
Onde só havia troca de olhares e de esperança.
A Lua queria ir ao encontro da Terra,
Beijá-la e abraçá-la e não pensar nas consequências.
As estrelas que as observava irônicas,
Uma a piscar o olho e outras a responderem.

O sol com seus olhos de fogo, com sua luz de ouro,
Punha tudo à mostra.
E as duas amantes se desejavam,
Mesmo apesar da distancia que a separavam,
Como uma barreira de cristal, intransponível.

Júpiter e Marte apreciavam a cena, sombrios.
Mercúrio estava melancólico, Plutão não menos.
Vênus querendo participar, Saturno irava-se de ciúmes
Por não poder construir uma barreira mais sólida.
Mesmo assim ficou feliz ao ver a impossibilidade.

Urano e Netuno divertiam-se. Confiavam na intriga
Feita pelas irônicas estrelas,
Daquele amor impossível.
E o espaço mudou sua estrutura mediúnica e espiritual.
E o espaço virou mar,
Um mar muito agitado
Que parecia até o fim do mundo.

Gilberto Nogueira de Oliveira
Nazaré - Bahia - Brasil

 
 
 
 

Gilberto Peter Caramão

 
 

PROCURO
Gilberto Peter Caramão

Procuro
Por estradas e caminhos
Esta tal felicidade,
Não consigo encontrar.

Procuro
Na janela da minha vida
Uma luz que ilumine
O cansaço de esperar.

Encontro
Uma saudade matreira
Alojada num recanto do peito
A espreitar.

Encontro
Uma ânsia que é ferida
Incontida em seu gesto
Tão constante em machucar.

Procuro
Encontrando no meu nada,
Envolvida em névoa densa,
Uma réstia de esperança.

Gilberto Peter Caramão
São Sepé - RS - Brasil


Gilberto Peter Caramão, mora em São Sepé é poeta, ex-bancário e participante em várias Antologias poéticas e premiado em concursos Literários. É Acadêmico da Academia de Letras e Artes Sepeense-ALAS

 
 
 
 

Gilda Pinheiro de Campos

 
 

TEU CHEIRO E TEU SABOR
Gilda Pinheiro de Campos

Tens meu amor a mais rara das essências...
A do amor esperado, consagrado e ansiado por tanto tempo...

É algo de forte, diferente, as vezes suave e terno, outras
um furacão passando e revirando tudo até que vem a bonança
o descanso do bom cansaço, a languidez...

Ah meu amor, como amo te amar, esperei tanto por isso, até
me assustei quando chegaste, nem acreditei, me belisquei...

Foi como uma criança ganhando um presente que já tinha até desistido...
E veio perfumado, com a mais exótica e rara fragrância...

Amo teu cheiro, teu sabor, tua maneira de amar gostoso e tântrico...
Se partir amanhã, parto feliz, sem nada a cobrar , nem nada a desejar mais...

Finalmente posso dizer que estou feliz, valeu tudo que passei, chorei, lamentei...
Passou, graças a Deus...Agora é só love..

Registrado no Recanto das Letras
Código do texto:T3793530

Gilda Pinheiro de Campos
Rio de Janeiro - Brasil

 
 
 
 
 

 Flag Counter

Clique aqui para ver todos os detalhes e estatisticas do site