FÉNIX

 

 

João Coelho dos Santos

 
 

EM TI PENSEI PENSANDO
João Coelho dos Santos

No tempo em que ambos valsamos
Em ti pensei pensando
Que querias saber de mim.

Abracei a saudade minha companheira
Que ajudou a afagar o meu ego.
Não quis perder voz nem vez,
Nem quis viver de venda nos olhos.
Eis o presente inconsciente
A baralhar memórias de reais saudades
Que ainda hoje sinto com ardor.

Estreito é o caminho para a glória
Que poderá surgir
A todo o instante.

Cedo aprendi a sorrir
E iniciei meu caminho
Em busca de um tesouro.

Sem saber o que significava o tempo
Procurei ser virtuoso,
Acreditei, lutei, perdoei, venci,
Engoli lágrimas, soltei sorrisos,
Fui vítima indefesa de tiranias.

Minha vivência é bússola e farol
De tudo o que se passou.

- do livro FINITO INFINITO -

João Coelho dos Santos, Prof Dr
Lisboa - Portugal


Nasceu em Lourosa, Santa Maria da Feira, a 14 de Agosto de 1939. Estudou no Colégio “O Académico”, no Liceu Camões e na Faculdade de Direito de Lisboa. Foi, durante quase vinte e dois anos, Secretário-Geral do ACP - Automóvel Club de Portugal e Vereador na Câmara Municipal de Lisboa durante dois mandatos, membro do Instituto Nacional de Qualidade, do Conselho Geral da Publicidade, membro dos corpos sociais da F.F.A.K. – Federação Portuguesa de Automobilismo e Karting e da F.P.C.C. – Federação Portuguesa de Campismo e Caravanismo, Juiz do Tribunal de Menores. Tem ainda o curso de Formação Pedagógica de Formadores.
Colaborou em dois livros das Seleções do Reader’s Digest. Foi voluntário em diversas instituições: Secretário – Geral dos Amigos da Rádio Renascença, da Liga Portuguesa dos Deficientes Motores, da Comunidade Vida e Paz. É Cavaleiro da Real Confraria de São Teotónio, membro da Confraria do Apóstolo de Santiago, da Sociedade de Geografia de Lisboa, da A.L.A. – Academia das Letras e das Artes, da SPA, Sociedade Portuguesa de Autores, da Academia Ex-Líbris, da Sociedade Histórica da Independência de Portugal, da A. P. P. – Associação Portuguesa de Poetas e de várias outras em Portugal e no Brasil. Leciona como professor convidado, em regime de voluntariado, desde 2002 na ULTI – Universidade de Lisboa para a Terceira Idade as disciplinas de Teatro / Jograis, A Arte de Comunicar e História e Poesia de PortugalTem publicados (até Novembro de 2017) trinta e oito livros (poesia, teatro, biografias históricas e didáticos). Alguns prefaciadores: Nuno Kruss Abecasis, Jorge Sampaio, Maria Barroso, Ana Maria Caetano, Manuela Eanes, Nicolau Breyner, Paulo Portas, Marcelo Rebelo de Sousa, Mário Cordeiro.

 
 
 
 
 

João Silva Souza

 
 

NÃO POR ACASO NO BRASIL
Por João Silva Souza


Espera dessa “gente” criada (crescida) à base da dita cultura esperteza, descompromissada com evolução, a grande e quase todas mídias, por seus turnos -- têm máxima-culpa -- a partir de clara e propositada apologia a absurdos — tantos à observação, não notados pela multidão — constatados mediante simples análise de perfis (gabaritos) de produções (apresentadores etc.) radiofônico e televisivo, isto, nascidas desde anos 1.980, destinadas inclusive e principalmente a infantis e juvenis, cujo curriculum vitae (verbal ou linguagem, além de ingredientes como “artísticos”) ofertados conforme público-alvo, e quando se pensou que aquela era seria o fim da tenebrosa fase (ledo engano), surgiu (impingiram-nos) terror de “conteúdo musical” efetivamente massificante, que, induvidosamente, gerador de mazelas, dentre as quais contribuição na formação de comportamento popular selvagem — animais de outras espécies não são ofensivos gratuitamente –, como a “briga por batatas-fritas” na capital do Ceará, dia 7 desse janeiro 2018, a demonstração de concepção coletiva resolver (dissolver) diferenças à base da pancadaria, ou seja, perfeita assimilação do contexto audiovisual midiático?
A guisa de exemplificação: decorrido considerável prazo de renúncia à audiência de emissora de radiodifusão, na manhã de sábado (13/12), ouvi “exclusiva entrevista”, com “subliminar” objetivo de elevação (promoção) pessoal e eleitoral-futura-breve de ex-governador, atual senador de Minas — denunciado, criminalmente, perante o STF, por prática de corrupção ativa, beneficiário da MALA da JBS com 500 mil reais, parte do pedido de dois milhões –, igualmente fizera meses antecedentes às eleições anteriores (2015) em relação ao então senador Eduardo Azeredo — que, se elegera deputado federal, conforme programado –, para, posteriormente, renunciar ao mandato e causar mudança de foro-judicial e, consequentemente, procrastinar (atrasar) andamento do processo “Mensalão Mineirão”, como tentativa frutífera de obter prescrição da pena (condenação) ou dos crimes — certamente, acontecerá em setembro próximo vindouro –, quando o condenado a 20 anos e 1 mês, em segunda instância (TJMG), completará 70 anos — reduzir-se-á à metade o tempo do benefício prescricional –, embora, sentenciado à reclusão (prisão), portanto, por essas e outras, “orgulho de ser mineiro” (brasileiro)!

João Silva de Souza
Belo Horizonte - MG - Brasil


João Silva de Souza é advogado, escritor, jornalista, compositor

 
 
 
 
 

João Victor Chaffe Scomazzon

 
 

O MAR
João Victor Chaffe Scomazzon

Com seu vem e vai,
traz-nos paz
com sua brisa gostosa.
Não tem quem não fique alegre
junto ao mar.
Água gelada... dias quentes...
Os nossos melhores momentos.

João Victor Chaffe Scomazzon
Porto Alegre - RS - Brasil

 
 
 
 

Joaquim Marques

 
 

ENVELHECER
Joaquim Marques

Sinto que estou a envelhecer…
Quando vejo a luz do novo dia
Quando ouço uma antiga melodia
Quando olho o Sol no seu entardecer.

Sinto que estou a envelhecer…
Quando vejo fontes a dessecar
Água dos rios, muito devagar;
Em minha volta, ver tudo arder!…

Sentir-me velho, é ter saudades...
De sonhos lindos, que realizei
E dos que ficaram por realizar…

Sei que é triste sentir-me velho
Mas com este lamento vou acabar
Porque em casa tenho um espelho!...

Joaquim Marques
Gaia - Porto - Portugal

 
 
 
 
 

 Flag Counter

Clique aqui para ver todos os detalhes e estatisticas do site