FÉNIX

 

 

Leninha Barros Tacon

 
 

PENAS... APENAS
Leninha Barros Tacon

Não quero ir à Roma,
Minha boca vai até a esquina de meu quarto apenas.
Da tempestade que me alaga meu vizinho não sabe;
Sei eu de mim apenas.
Minha boca fala por mim na pena – às vezes com pena de mim,
No crispar de uma boca em escárnio.
E escreve de mim apenas, cortante pena,
A duras penas, uma denúncia de mim.
Mas quando a boca fala de outrem,
Suporta a minha pena a pena
Quase sem tinta do outro.
E nessa hora o papel se encharca:
Tempestade!
E a pena escreve a dor
De ser e sentir,
De ver e não poder corrigir,
Apagar com borracha o traço que já se fez outra linguagem.
Minha pena borra o papel
E escorrem nele misturadas e amorfas as penas
Já nossas... mas são letras apenas...
E o sonho da alma que vive na pena é juntar-se a penas...
Mesmo pequenas, apenas penas...

Leninha Barros Tacon
Uberlândia - Minas Gerais - Brasil


Graduada em Medicina Veterinária e Psicologia pela UFU; cursou metade dos cursos de História e Direito. Poetisa e cronista. Há 10 anos mudou-se para uma chácara afastando-se das atividades profissionais acadêmicas.

 
 
 
 

Leunira Batista Santos Sousa

 
 

A BUSCA DO ARRELIQUE
Leunira Batista Santos Sousa

A pedra viva do tempo
Constrói a esperança
Lapida vida que caminha
Para encontrar a bonança.

Uma colorida estrada
Na pedreira da conquista
A princesa da realidade
Aproveitou as fragas
E revestiu a saudade.

O aroma da rocha nua acalma
Faz o extrato que exala
O corpo e também a alma.

A imaginação escorchante
Na caverna da existência
Com a pedraria do pensamento
escupiu o sentimento.

Leunira Batista Santos Sousa
Nossa Senhora da Glória - Sergipe - Brasil


Leunira Batista Santos Sousa nasceu em Nossa Senhora da Glória, SE, Brasil, onde ainda hoje reside. Escritora, poetisa e jornalista. Graduada em letras Português/Espanhol pela UNIT. De Professora/Educadora a Auditora de Tributos da SEFAZ- SE, aposentada. Coautora do livro Nossa Senhora Da Glória e Sua História (1978), marco dos 50 anos de Emancipação política. Autora do livro O Espelho da Felicidade (2014). Participou de 34 Antologias com poesias e de 12 Revistas com poesias e artigos. Membro Fundador da Academia Literária do Amplo Sertão Sergipano (ALAS), cadeira n° 3, Patrono Marcelo Déda Chagas. Membro Efetivo da Academia Gloriense de Letras (AGL), cadeira n° 16, Patrona Maria Helena de Andrade Pereira.

 
 
 
 

Ligia Tomarchio

 
 

CORAÇÕES SECOS
Ligia Tomarchio

Cântaros recolhem
pedaços de chão seco
onde a chuva
não conseguiu molhar.

Escorrem lamentos
de corações sedentos
almas secas
de tanto chorar.

Choro incontido
da fome a doer
corroer de mentes
onde as sementes?

Subsolo endurecido
tal os corações dos dirigentes
transviados sem direção
a carregar numerário desviado.

Rumo incerto para o povo
qual polvo e seus tentáculos
a procura dos caminhos
encontra destino e desatino.

O caminho longo a percorrer
com a fome a irromper
alimenta-se de esperança
o retirante ao anoitecer.

Dias e dias percorrendo caminhos
do desconhecido pensamento
querendo pão e engolindo vento
vendo o chão correr sob os pés.

Na bússola da memória
sudoeste marca imantada
desvão do coração ansioso
por labuta, recompensa da luta!

Fim do sonho.

Ligia Tomarchio
São Paulo - SP - Brasil
www.ligia.tomarchio.nom.br

 
 
 
 

Lin Quintino

 
 

EU PRECISO
Lin Quintino

Eu preciso desse estar entre palavras
escolher, catar, burilar o verso,
compor a rima
esmiuçar o sentido, até esvaziar a palavra.

Eu preciso desse tecer
e desse ver brotar no papel o poema
e vê-lo tomando forma,
crescendo.

Soltar suas asas e deixar a página em branco,
ganhando vida, se emancipando,

liberto da mãe,
adulto, solto no ar.

Lin Quintino
Belo Horizonte - MG - Brasil
https://www.facebook.com/linpoesias


Lin Quintino, mineira, escritora, poeta, professora e psicóloga. Faz parte das Academias: ANLPPB- cadeira 99, ALPAS 21, sócia fundadora, cadeira 16; ALTO; ALMAS; ARTPOP; AMCL, cadeira 61; ACLA; AVL; Academia de Letras Y Artes Valparaíso (Chile); Núcleo de Letras Y Artes de Buenos Aires; membro da OPB e da Associação Poemas à Flor da Pele. Escreve mensalmente para o Caderno Literário Pragmatha. Correspondente da Revista Poemas do Brasil, núcleo MG; Autora dos livros de poemas Entrepalavras e A Cor da Minha Escrita e Na Outra Margem de Mim

 
 
 
 
 

 Flag Counter

Clique aqui para ver todos os detalhes e estatisticas do site