FÉNIX

 

 

María Cristina Garay Andrade

 
 

MONÓLOGO DE AMOR
María Cristina Garay Andrade

Aislamiento de amor sin ningún desengaño
Por una apresurada decisión es que te extraño
Monólogo del amor sucumbe en preguntas
Dudas lo abruman por respuestas presuntas

Te escribiría atraída por las madrugadas
Sentimientos en rimas de poesía inspirada
No por estar enamorada me tienes que amar
Eres el sonido de mis versos declamando soñar

Cierro mis ojos para cautiva imaginarte
Monologo de amor y en reserva preguntarte
Tú puedes hacer hablar mis silencios escondidos
Sólo él alcanza silogismos pasionales sostenidos

Abro mi alma para imaginarte en fantasía
Romance del monologo convertido en alegoría
Me hechiza tu perfume huele a tinta de artesanía
Por tus letras poéticas recién escritas me elevaría

Pero sólo es mi pretexto porqué hueles a poesía
Irresistible te siento acompañándote en sintonía
Monologa mi amor recitando en la noche sombría
Taciturnidad enamorada porqué hueles a poesía

María Cristina Garay Andrade
Monte Grande - Buenos Aires - Argentina
http://mariacristinadesdemissilencios.blogspot.pt/

 
 
 
 

Maria da Fonseca

 
 

PERTENÇO A TI, NATUREZA
Maria da Fonseca

Pertenço a ti, Natureza,
Como vós, filhos de Deus!
Nunca sozinha serei
Ao lado dos irmãos meus.

Eu pertenço-vos enquanto
Todos vós me pertenceis.
Nossa origem foi a mesma,
Variados os papéis.

A vida vive em redor,
Em toda a parte ela habita.
O nosso Deus projetou
E criou-a infinita.

Venho rogar ao Senhor,
Que de mim se compadeça,
Concedendo-me outras vidas,
Em que a musa não esmoreça.

Sobrevivo a dar-Lhe graças
P’lo mundo e sua beleza.
Minha alegria é imensa
Perante a irmã Natureza.

Sei que dela faço parte
E jamais a deixarei.
Deus, o Todo-Poderoso,
Agora e sempre amarei.

Maria da Fonseca
Lisboa - Portugal
http://poesiadanatureza.blogspot.pt

 
 
 
 

Maria da Glória Jesus de Oliveira

 
 

RECORDAÇÕES
Maria da Glória Jesus de Oliveira

Quando volto o olhar para a estrada percorrida,
Vislumbro marcos a me sustentar a vida.
Sobre cada qual há flores desabrochadas
Saudando meus passos pelas tantas trilhadas

Não me detenho, pois à frente me espera
As lembranças tão doloridas da tapera
Onde gritava a dor da fome, nas crianças,
E pululavam de alimentos as lembranças.

Salto para o hoje, à vivência colorida
As tantas bênçãos que povoam minha vida
E até cogito em chorar com as alegrias

Cantando louvor nos desfiles da abundância
Cicatrizados os amargores da infância
A bendizer ao grande Deus a primazia.

Maria da Glória Jesus de Oliveira
Porto Alegre - RS - Brasil

 
 
 
 

Maria de Lourdes Schenini Rossi Machado

 
 

SERENIDADE...
Maria de Lourdes Schenini Rossi Machado

é tudo o que sinto
quando estou ao lado
de meu amor.
Seus abraços confortam-me
tais quais seus beijos.

Tranquila e segura,
sinto-me pronta
para viver um amor
para toda a vida.
Serenidade, paz interior.

Maria de Lourdes Schenini Rossi Machado
Porto Alegre - RS - Brasil


Maria de Lourdes Schenini Rossi Machado - L’Ambassadeur et Membre d’Honneur da Divine Académie Française dês Arts. Lettres et Culture; Membro Efetivo da Academia de Artes, Ciências e Letras Castro Alves, Porto Alegre/RS; Academia de Letras dos Municípios do Rio Grande do Sul; e Academia de Artes Literárias e Culturais do Estado do Rio Grande do Sul; Academicus Praeclarus do Clube dos Escritores de Piracicaba/SP; Presidente da Academia de Letras Machado de Assis, Porto Alegre/RS. Em março de 2014, no Salon du Livre de Paris, lançou Retalhos D’Alma; em dezembro; recebeu o Prêmio Destaque Victoria, pelo Comité de Ciudadano da Asociaciones Civiles, em Montevideo/Uruguay. Em 2017, recebeu o Troféu Castro Alves, em Itabira/MG.

 
 
 
 
 

 Flag Counter

Clique aqui para ver todos os detalhes e estatisticas do site