FÉNIX

 

 

Maria Tomásia

 

 

SONHAR... SONHAR
Maria Tomásia


Nunca devemos deixar de sonhar
para nossa vida alegrar;
mas que sejam sonhos de amor,
em tempo algum de tristeza e dor.

Sonhemos com o verdume da relva
ou com as frondosas árvores da selva;
com o brilho argênteo da lua
que para os amantes se põe nua.

Não importa o tipo dos nossos sonhos,
desde que não sejam tristonhos.
Melhor será se forem coloridos
e com sentimentos nunca vividos.

Continuemos sempre a sonhar
para não deixar nossa vida soçobrar.
Mesmo que sonhemos acordados,
sempre seremos pelos sonhos acalentados.

Maria Tomásia

 

 

 

Mariana Hoffer Pagani

 

 

VIDA
Mariana Hoffer Pagani


Vida, por que me decepcionaste?
Arte, por que me deixaste
como tinta vermelha
que bombeia meu coração?
Coração, por que me abandonaste?
Arrancaste de mim
a chave de minha alma
Alma, por que estás tão angustiada?
Por que não me permite crer
e nem me deixaste sofrer?

Mariana Hoffer Pagani
Porto Alegre - RS

 

 

 

Mariana Loureiro

 

 

DOCE… ROSA SALMÃO
Mariana Loureiro


És suave… quente… sensual…do alto do teu palácio,
olhas-me num misto de ternura e compaixão…
e eu percebo na tua alvura, o que te vai na imaginação.
Nesta noite orvalhada, num banco de jardim,
onde me perco e me encontro, neste vendaval de emoções,
para as quais…já não tenho condições…

Abraças o brilho das estrelas e fazes brilhar
o meu olhar entristecido, na magia deste luar!
O teu aroma é o perfume da amizade,
minha linda rosa salmão, que me afagas o coração.

A suavidade das tuas pétalas aveludadas
têm uma textura de estranha beleza
nessa coreografia deslumbrante,
de pequenos fragmentos de tristeza.

És um cálice de doçura, desenhado no nobre sentimento,
suave afeição e encanto que me atrai o pensamento.

Rosa salmão, flor majestosa deste jardim,
as palavras que escorrem das tuas pétalas,
deslizam com simplicidade
trazem imagens,
texturas e sabores da tua dourada felicidade.

Soas com intensa harmonia, em momentos para recordar
contigo chego ao infinito da liberdade de sonhar.

Libertas uma lágrima orvalhada que aconchego com ternura
na saudade das tuas palavras revejo o sentimento que perdura.

Tu és a minha rosa salmão e eu sou a tua lágrima,
neste silêncio puro e perfeito no suave leito em que me deito.

Acordes compõem músicas que invadem os sentidos
E nas breves rajadas do vento,
damos as mãos e voamos pelas estradas do pensamento.

Nesta noite orvalhada, tu …, minha rosa salmão
com delicado perfume floral, abraças-me com emoção.

Suave… quente…doce…sensual, rosa salmão, pedaço de mim
serás sempre a principal e a flor mais importante deste jardim…

A tua lágrima rola e cai de repente
Mas não te digo adeus… digo antes… até sempre!

Mariana Loureiro

 

 

 

Marilene Martins Copês

 

 

BUSCA
Marilene Martins Copês


Naquela árvore que fizemos ninho
Tu foste a ave que dali voou...
Todo o inverno irei te procurar
P'ra que no verão contigo possa estar.
Fiz dos ventos, meus caminhos
Nas matas teu nome ecoou
Alço asas para te encontrar
Me guiam as corujas ao luar
Vaga-lumes iluminam-me
incessantes
Borboletas e cardeais revoando
a cada instante.
Todos os anjos
Para não me perder...
Estarei contigo antes do entardecer!
Ouves meu chamado:
Vens comigo neste revoar
Sobre as estações com seus encantos
Campinas, horizontes,
Todos os recantos.
Faremos da coxilha nosso lar
E aquela árvore de paz,
por certo irá florir!

Marilene Martins Copês
São Sepé - RS

 

 

 

Marilu Santana

 

 

PASSARINHOS
Marilu Santana


Ah, meus poemas passam assim tão ariscos!
Vêm, vem, vem... sequer pousam
Embora eu corra ansiosa me arrisco,
Num voo rápido pra pegar meu lápis,
tentar prendê-los em meus rabiscos,
E cadê? Lá se foram, bateram asas,
Tomaram chá de sumiço!

Eu? Eu fico aqui assim, assim...
Criança sem pirulito, sem pipa pra empinar,
Sem direito ao choro nem grito,
Só estico os ouvidos, olhos e nada avisto!
Então oro. - Venham, voltem pra mim!...

Nada! Só o céu me olha amarelo
Todo vestido de brumas brancas e brim...
num sorriso estrelado de flores a colorir;
Num infinito jardim onde piscam e brincam
Belos poemas num voo rasante da Poesia sem fim!

Marilu Santana
Recife-17/11/2010

 

 

 

Marilza Lemos Martini -Nina Martini

 

 

MOMENTO
Marilza Lemos Martini (Nina Martini)


Espero com uma ânsia quase incontida
Por outro momento de paixão
Quando nossas bocas se encontram
Nossas mãos se entrelaçam
E nossos corpos se enroscam
Quando meus olhos desvendam
Teu corpo nu.
Conheço e reconheço cada centímetro desse corpo
Que amo e me enlouquece.
Gosto do teu gosto, do teu cheiro
Das tuas mãos que passeiam
Pelas curvas do meu corpo
Mãos que me exploram, aquecem, incendeiam
Quando acho que já escalei o mais alto dos degraus do prazer
Tu me provas, me lambe, lambuza
Meu corpo se retesa e explode
em espasmos loucos de puro êxtase
Nesse momento me sinto amada, desejada
Nesse momento e em todos os outros
Sinto-me tua,
Mas só neste momento te sinto
Totalmente meu.

Marilza Lemos Martini (Nina Martini)
Restinga Sêca - RS

 

 

 

 

Livro de Visitas