FÉNIX

 

LOGOS Nº 9

JULHO 2014

= POESIA =

 

 

 

Rozelene Furtado de Lima

 
 

DELÍRIOS DA SAUDADE
Rozelene Furtado de Lima


Palavras espalhadas no diário empoeirado
Páginas escritas pelo tempo passado
Abertas e lidas com emoção pela saudade
Atrás da encantada e fugaz felicidade

Quem sabe? Um encontro informal, não marcado
Concebido na intransparência do destino
Sempre esperado no delírio do sonho acordado
Dar de cara com teu sorriso divino

Que chega salgando e regando meu corpo por inteiro
Ao som do eco da energia dos suspiros sonantes
Dedilhando e compondo a canção dos meus ais

Imersos no lago dos desejos, livres, sem roteiro
A ilusão na tensão da lembrança constante
Que vibra num tempo que ficou para trás

Rozelene Furtado de Lima
Teresópolis – Rio de Janeiro - Brasil

 
 

 

Rubi E. Scheffel Filho

 
 

PREITO
Rubi E. Scheffel Filho


C  álidos sopros te embalaram a essência
O  stenta o garbo dos simples e vitoriosos
N  o teu cerne, do clã dos venturosos
D  ádiva divina, perene, na existência
O  preito, do humilde pedo desconhecido,
R  ogando aos céus, em sua plenitude
C  erteza de paz na eternidade
E  mistérios de luz na eternidade,
T  e cubram de louros, na beatitude!

A  rguto, empreendedor, estudioso
R  ico de sonhos e pleno de metas
Á  rduo na pesquisa (suas diletas)
N  a poesia, seu estudo criterioso
H  umana e perene (ideal valoroso)
A  aura simples moldura dos poetas!

Rubi E. Scheffel Filho
Restinga Sêca- RS - Brasil

 
 

 

Ruth Farah Nacif Lutterback

 
 

MAGIAS DO LUAR
Ruth Farah Nacif Lutterback


Surgindo meiga, serena
e por muitos esperada,
tão formosa, a Lua plena
em serenata é cantada.
Mas, se acaso, o Plenilúnio
atua de outra maneira,
leva o sábio ao infortúnio
sendo a musa traiçoeira.
Espelhando-se no mar,
que a soluçar esbraveja,
faz a maré lhe provar
o quanto o ama e deseja.
Revoltado, o rio sente
não levar a sua imagem,
porque o vento insolente
desfaz , sorrindo, a miragem.
Juntamente com as estrelas,
orgulhosa a desfilar,
inspirou Beethoven, ao vê-las,
bela “Sonata ao Luar”.
Tranquila, feliz acata
amantes em ritual
que improvisam ao Sol de Prata
o seu leito nupcial.
A Lua é para os poetas
bálsamo de poesia
em doces paixões secretas
_ frutos da sua magia.
Quando um poeta falece
perto dela vai ficar,
mergulhado em doce prece,
eternamente a sonhar...

Ruth Farah Nacif Lutterback
Cantagalo - RJ - Brasil

 
 

 

Ruy Serrano

 
 

ISTO É DE POETA...
Ruy Serrano


Palavra enfeitada com ritmo e harmonia
De poesia pura ou metáforas à mistura
Rimada ou arrumada em escrita madura
Isto é de poeta, escrever assim da vida

Fingir ou contar a realidade sem receio
Com críticas ou comentários concisos
Protestar reivindicar como mensageiro
Isto é de poeta com seus ditos escritos

Cantar o amor vivido ou fingido com calor
Apontar culpas ou razões com argumentos
Despir o véu da hipocrisia em momentos
Isto é de poeta escreve com saber e valor

Idealizar um Mundo de justiça e ambiental
Em que todos seres vivos tenham um lugar
Para viver sãos e salvos sem ter que lutar
Isto é e será assim de poeta transcendental

Não há nada nem ninguém como o poeta
Que canta a vida a morte e o sofrimento
Do homem que na terra procura sua meta
Isto é de poeta no seu constante lamento

Ruy Serrano
Tomar - Portugal

 
 

 

Salete Caramão

 
 

QUERIA
Salete Caramão


Neste inverno d’alma
Queria migrar
Pra junto de ti...

E depois
De sentir teu perfume,
Me acender em lume
Esquecerei esse estilo.
Me esquecerás desse frio
Que ronda meus dias de tapera....

Vou colher frutos de quimeras,
Aninhar-me em teus afagos,
Como se fosse meu pago
Vou te cantar em canções...

Quando dormires entregue
Em sono profundo em meu regaço,
Vou embrenhar-me em teus braços
Desbravando com desvelo
Teus sonhos mudos
E acariciar teus cabelos
Consentida,bocejando estrelas.

Salete Caramão
São Sepé - Rio Grande do Sul -Brasil

 
 

 

 

 

Livro de Visitas