FÉNIX

 

Edição Especial "Mulheres pela Paz" -  2017

 

 
 
 

 Ademar Inácio da Silva (dema)

 
 

MULHER
Ademar Inácio da Silva (dema) 

Já tinha cacho,
todavia, na falta de gente,
macho indiferente.
Um tanto infeliz,
nenhum afeto, porém, dono
do próprio nariz.

_ Obra fajuta?
Ah, nem!
Com minha batuta
dar-lhe-ei um bem.
Espero que mereça,
no entanto, com ele, vêm
dores de cabeça.
Que sejam felizes,
se tornem matrizes
no Éden e além.

_ Obrigado, Senhor,
que coisa mais linda,
esta flor tão cheirosa,
de afeto, de amor,
dedicada, bondosa
e comporta, ainda,
o que carece em mim.
Sou feliz enfim.
Contudo, Senhor
de grandeza infinita,
dela sinto temor;
de quão esquisita
não sei donde vem.
Por ela eu peco,
eu mato e sapeco,
não temo ninguém.
Só por cremes, perfumes,
me causando queixumes,
(por que assim perdulária?)
vai até o fim do mundo;
fica a conta bancária,
é claro, sem fundos.
Uma vez me disseste
que de mim a fizeste.
Duvido que sim.
Penso que a tiraste,
pra dar a este traste,
de um outro jardim.
Ao que me parece,
nada tem de terrestre.
Mesmo se reclamo,
Tu sabes que a amo.
‘Stou sempre a dizer,
inda que sem querer,
“pois não, sim, senhora”.
Humilde, suplico:
nunca a leves embora.

Ademar Inácio da Silva
Uberlândia – MG - Brasil
http://www.demasilva.com.br/
http://www.dema-neverlateland.blogspot.com


dema – Ademar Inácio da Silva, 63, Uberlândia, MG, Brasil. Graduado em Filosofia, Estudos Sociais e Direito. Publicou “Devaneios”, “Sabor de Pecado e outras essências”, “Solidão e outras tristezas” e “Conjecturas Poéticas”. Participação em antologias diversas.

 
 
 

 Adilson Tinoco

 
 

MULHER
Adilson Tinoco

Não há no universo,
Um ser mais doce, terno e
Sensível que a mulher.
Ser divino.
Suave presente do céu.
É sobremesa, que não deglutimos,
com talheres.
Néctar que sorvemos,
Com talento e paciência.
Fruto suculento.
Morango ao chantilly, vinho e mel.
Mulher... Musa poética.
Dádiva suprema, de Deus...
Fonte real, do mais puro amor.
Não há outro ser...
Que ame, de maneira singular e,
Sublimar...
Quanto uma mulher.

Adilson Tinoco Rezende
Barretos SP Brasil


Adilson Tinoco Rezende conhecido nos meios e grupos poéticos como Adilson Tinoco.Recentemente publiquei meu primeiro livro solo.A Mão Mãe do Poeta um sonho realizado. Tenho algumas poesias em antologias, em alguns grupos e também escrevo para uma revista virtual poemas do Brasil.E continuo em passos curtos pelas veredas poéticas.Reside em Barretos SP Brasil

 
 
 

 Adriana Quezado

 
 

MULHER
Adriana Quezado

Parece sexo frágil.
Mas é forte demais!!
Sustenta o bebê dentro de si por 9 meses e a vida toda.
Na hora do parto: normal ou cesária,
Dores intermináveis suporta.
Parece que não vão terminar jamais.
Logo esquece, porque o fruto do amor nasceu e é também amor.
Que fragilidade é essa?
Por amor, aguenta todo peso que vier.
Trabalha, amamenta, cuida do lar, pinta, dança, borda, escreve, atua...
Isso é ser frágil?
Oh mentira absurda!
Resposta de Erasmo Carlos.
Realmente é verdade.
A mulher tem que ser tratada como Rainha, Princesa.
Toda a realeza encantada pelo amor.
Porque sem a Mulher, o amor não nasce, nem sobrevive.

Adriana Quezado
Fortaleza - Ceara - Brasil
http://www.recantodasletras.com.br/autores/adrianaquezado
http://www.recantodasletras.com.br/e-livros/5580800


O hábito e o prazer de ler fizeram-me sentir que precisava desabrochar algo que estava em mim. Descobri o início do talento e o esforço da dedicação. Assim, comecei a escrever. Redijo textos no site Recanto das Letras, e publiquei um livro de minha autoria e, outros em parceria com diversos escritores. Depois da escrita, surgiu o gosto por outras artes: designer, artesanato e fotografia, fazendo-me uma artista com vários talentos, mostrando que a literatura e a arte são o meu lugar.

 
 

 

Livro de Visitas