FÉNIX

 

Edição Especial "Mulheres pela Paz" -  2017

 

Liliana Esperanza-- tecnica mista -MINA

 
 
 

Emanuel Medeiros Vieira 

 
 

MULHERES
(E Dia Internacional da Mulher)
Emanuel Medeiros Vieira

E eras luz – morena, negra, loira (sempre mulher).
Afago, doçura, ânsia, inquietude, espera,
lágrima – e olhavas o mar num dia de outono.
E eu queria te entender.
Eras muitas, e na multiplicidade eu queria encontrar
– em ti – o paraíso (finito).
Paixões, dores de cada dia, o rosto liso na juventude
– e o tempo escoando, passando por cima de todos nós,
invernos, verões, outonos, primaveras – sempre em frente,
até à Terceira Margem do Rio.
Serenamente bela na maturidade.

Freud perguntou: “O que querem as mulheres?”
O que querem todos os seres humanos.
Amor para todos.
(Eis a minha terrestre reivindicação.)
Eis que posso proclamar: Viva o teu dia!

E repito o bardo inglês: “E por amor de ti, em guerra o tempo enfrento:
Quanto ele em ti suprime, é quanto te acrescento”.

Emanuel Medeiros Vieira
Brasília - DF - Brasil


Nasceu na cidade de Florianópolis, Estado de Santa Catarina, BRASIL. Tem 23 livros publicados e participou de mais de 50 antologias. É detentor de diversos prêmios nacionais e internacionais.
Sua obra foi elogiada por escritores como Carlos Drummond de Andrade, Mário Quintana, Caio Fernando de Abreu, Moacyr Scliar, Paulo Leminski e outros.Reside actualmente em Brasília - DF - Brasil

 
 
 

Érica Azevedo

 
 

CURRÍCULO
Érica Azevedo

Não tenho corpo de modelo
Nem seios de escultura
Não tenho nariz, bunda, boca e pernas
de porcelana.

Não nasci flor
Não cresci boneca
Nem fui transformada em princesa.

Meu canto
não é de sereia.

Brinco com versos
Transformo minha lágrima e meu riso
em percurso.

Sou mulher
num mundo cheio de espinhos.

Ás vezes sou luva,
Outras beija-flor.

(In: Confraria poética feminina, Penalux, 2016)

Érica Azevedo
Santo Estevão - Bahia - Brasil


Érica Azevedo é graduada em Letras Vernáculas e mestre em Literatura e Diversidade Cultural pela Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS). Participou da coletânea Sangue Novo: 21 poetas baianos do século XXI (Escrituras, 2011) e Confraria Poética Feminina (Penalux, 2016). Edita o blog Outros Diálogos (ericazevedo.blogspot.com). Seu livro mais recente é Outros Eus (Kalango, 2013).

 
 
 

Fátima Sampaio

 
 

MULHER QUAL É O SEU NOME?
Fátima Sampaio

Mulher, qual é o seu nome...
A sua graça,
O seu jeito.

Qual é a sua sina,
Seu caminho,
Seu percalço com entraves e passagens.

Em que momento da história
A sua memória e glória
Resplandeceram sua marca,
Seu nome,
Seu suor,
Sua raça.

Mulher, qual é o seu nome...

Maria de todos os tempos,
De todos os cantos
E todos os encantos.

Maria de todas as canções,
Todas as melodias,
Todas as notas e sinfonias.

Maria de todos os desejos,
De todas as bocas
E todos os beijos.

Maria de todos os filhos,
Todos os homens,
Todos os santos.

Maria de todos os medos,
Todas as dores,
Toda perseguição.

Maria de todos os prazeres,
Toda meiguice,
Toda sedução.

Maria-flor, pétala suave...
Maria-felina, fera indomável...
Maria-mulher...
Maria, Renata, Fernanda ou Ana???

Mulher, qual é o seu nome?...

Fátima Sampaio
Belo Horizonte – MG - Brasil


Filósofa, professora, educadora ambiental, Acadêmica Correspondente da ALTO - Academia de Letras de Teófilo Otoni; Embaixadora CUAP - Cercle Universel des Ambassadeurs de La Paix - Suisse/France; Supervisora Internacional do Movimento União Cultural de Taubaté/SP. Vários prémios e distinções.

 
 

 

Livro de Visitas