FÉNIX

 

Edição Especial "Mulheres pela Paz" -  2017

 

Liliana Esperanza- Rojo

 
 
 

 Igor Soares Veiga (PERIGOR)

 
 

AQUELA MULHER
Igor Soares Veiga (PERIGOR)

Aquela mulher judia
judia de mim
com a sua agonia
muda no jardim,
por seu olhar amargo
de desespero
sem fim...

Aquela mulher judia
judia de mim
pelo modo como vive
sem liberdade, enfim,
por ter que sempre se explicar
pelo que fez ou não fez -
tim-tim por tim-tim.

Aquela mulher judia
judia de mim
por ter que suportar o peso
de uma convenção imposta
- mesmo que ruim -
e ter que achar bom
sobreviver assim.

Aquela mulher judia
judia de mim
por sua beleza escondida
em seu traje chinfrim
e pelo modo como encara
a própria desgraça
com alma de querubim.

Aquela mulher judia
judia de mim
pelo jeito como desfila
tal qual uma manequim
na passarela do meus sonhos,
com seu perfume de jasmim
embalando meus neurônios ...

Igor Soares Veiga – “PERIGOR”
Curitiba - Paraná - Brasil
https://perigorforever.blogspot.com.br/


Nascido em 6 de novembro de 1981, em Curitiba-PR. Participou em 2015 da Exposição “Poesia Agora” no Museu da Língua Portuguesa, em São Paulo, na seção “Desafio Poético” com o poema “Valsa”. Em 2016 contribuiu com seus escritos na coletânea “Talento Poético 2016” e em 2017 participou com os poemas “Esperando na estrada”, “Ceia” e “Uni ver (SOS)” e com seu trabalho de consultoria na Antologia “Poesias Encantadas X”, ambas pela Editora Becalete.

 
 
 

Ione Perez

 
 

MULHER
Ione Perez

Falo o que penso,
Não espero que me compreendam, nem tampouco
que me aceitem
Sou gaia, sou flor de lis, sou mãe de mim!
Detesto rótulos,
sou portadora dos sonhos que eu mesma criei.
Se os realizei, não sei.
Compreendo a dor e a ilusão, como meras
expectadoras do ser em questão.
Sou busca incessante de argumentos que procuro
para me entender...
Satisfaço os meus desejos. Não tenho medo. Para
isso uso a poesia, a imaginação.
Mas carrego dentro do meu coração
inconfessáveis segredos,
que só a mim dizem respeito.

Ione Perez
Curitiba - Brasil


Sou Poetisa, do Recanto Das Letras, gosto de escrever Poesias, Contos, e Pensamentos. Já escrevi uma peça teatral e participei de alguns Concursos de Poesias. Tenho dois Poemas publicados no Livro Antologia Conexão, dando boas vindas a reabertura da Feira Do Poeta em Curitiba.

 
 
 

Irane Castro (Beco da Preta)

 
 

“...DA COSTELA DE ADÃO AO AGORA'S.
Irane Castro (
Beco da Preta)

Brota atuante multidão em si.
De plural una fêmea.
Tão singular cabeça aos pés.
Abrolha estado do ontens.
Adestra tal nação missão.
Vem ideada infante instante.
Vai menarca prenda mês.
Vir edificada tal reinante.
Ir minúcia dessa senilidade.
Edificada etapa natural da casa.
Comparte permanência papel.
Vestida mudança da hora.
Alinhada não desiste.
Enfeitada nunca desanima.
Melodia caminho luz.
Desfila corAçÃO leve.
Peregrina sem pressa.
Marcha o choro dia.
Arrisca o riso noite.
Ser agigantado calor ousadia.
EstAR intensa chuva alegria.
Tão viagem do porque quer.
Tal viajante jeito que quiser.
É senTIDO viceVERSO.
Fruído resPEITO história.
Esparge valoração cotidiana.
Dentro inunda truques de amorESia.
Fora descreve mistérios de TEMPOesia.
DiVERSO guerreira confusão e equilíbrio.
ResPIRA eu’s-mulher cores e tentações.
Bocada armadilha de suas particularidades.
Enfeita singelo cantão com vIDA.
ProsSEGUI livro pleno pela VIDA.
Dissemina coragem imediatamente, pra já.
Alimenta receitas de uniVERSO paz.
Baliza 1, 2 10MAIS logo aqui, ali e acolá - em hoje’s!”

Irane Castro
São Luís - Maranhão - Brasil
Irane da Conceição Ribeiro de Castro, Pseudônimo: Beco da Preta.


Pequenos-grandes detalhes:
“… longe perto tão jeitinho do meu jeito JUNTAda cabeça maluquete, SOMAda pés irreverentes.Tão metades prosSEGUIda ousaDIA poeAMO eu’s_Irane dentro e fora
10MAIS vIDA, com vIDA, pela vIDA – imediatamente, pra já, logo em meu hoje’s.”

 
 

 

Livro de Visitas