FÉNIX

 

Edição Especial "Mulheres pela Paz" -  2017

 

Liliana Esperanza- Sensualidad VI

 
 
 

 Lilian Rose Marques da Rocha

 
 

MULHERES
Lilian Rose Marques da Rocha

Grata Mulher
Pela tua doce
E amarga presença.
Somos sobreviventes
Muitas vezes
Com um sorriso
Ou com uma lágrima
Molhando o nosso rosto.
Mas como guerreiras
Novamente
Viramos a página
E seguimos a história
Com amor, com afeto,
Com resiliência.
A vida nos exigiu presença
Pois então
Aqui estamos
Prontas, belas
Mães, filhas,
Trabalhadoras, cientistas
Essência feminina
No desabrochar
Sensível e forte
Da humanidade.

Lilian Rose Marques da Rocha
Porto Alegre- RS- Brasil


Farmacêutica-Bioquímica (UFRGS), Especialista em Homeopatia (ABH);Poetisa, Musicista (Liceu Palestrina);Facilitadora Didata de Biodanza (IBF);Formação em Educação Biocêntrica (CDH/UB)

 
 
 

Lin Quintino

 
 

MULHER
Lin Quintino

Que ser complexo e, ao mesmo tempo, simples
É esse a que chamamos mulher
Que traz em si as dores e as alegrias do mundo
Que faz seu tempo, sua guerra e paz

Às vezes parece casa envelhecida
Onde o musgo faz sua trama
Noutras animal vagando pela noite
E se fazendo insônia em sua cama

É raiz de frondosa árvore gerando frutos
Fonte cristalina matando a sede
Abrigo quando vierem as tempestades

Que ser complexo e simples
Que traz os olhos magoados
E, também, um sorriso cristalino
A enfeitar a linha do rosto
Quando as dores lhe assaltam

Mulher, Inventamos-lhe esse nome
E demos a essa pura essência
Que transgride todas as ideias de fragilidade
Mulher, artífice de todos os silêncios e palavras
Que tece com mãos inesgotáveis as colunas do seu tempo

Lindalva Silva Quintino - Lin Quintino
Belo Horizonte - MG - Brasil


Lin Quintino, mineira, escritora, poeta, professora e psicóloga. Academia das quais faz parte: ANLPPB- cadeira 99, ALPAS 21, sócia fundadora, cadeira 16; AMCL – cadeira 61; ALTO; ALMAS; ARTPOP; Academia de Letras Y Artes Valparaíso (Chile); Núcleo de Letras Y Artes de Buenos Aires; membro da OPB e da Associação Poemas à Flor da Pele.

 
 
 

Lindalva Maria da Silva Casteluber

 
 

MULHER E MÃE
Lindalva Maria da Silva Casteluber

M- de Maria, de mãe signo que não se esvazia.
Esculpida misteriosamente na palma de sua mão;
Mãos que afagam, curam, alimentam e agraciam.
Mãos que alegram e descolam abraços e abraçam.

Mãos, que agregam traduzindo o mesmo sentimento;
Mãos, muitas e tantas com singular modo de ser amor .
Mãos, que pelo filho é capaz de fazer-se esquecimento.
Mãos que para o filho é antídoto que lhe alivia toda dor.

Mãos únicas, de mulher que é mais que tudo coração .
Mãos de uma alma que docilmente, acaricia e enlaça;
Mãos de suavidade, de delicadeza, afeto e aceitação.

Mãe, cujo olhar é luz, estrela guia que não fracassa;
Mãe, colo de ouro acolhedor, presente da providência;
Mãe, cuja voz é partitura genial, do criador, prudência.


Lindalva Maria da Silva Casteluber
Alvorada do Oeste –Ro – Brasil
www.recantodasletras.com.br/autores/lindalvamaria


Gosta de escrever por hobby.
Professora pública no estado de Rondônia

 
 

 

Livro de Visitas