FÉNIX

 

Edição Especial "Mulheres pela Paz" -  2017

 

 Clevane Pessoa -  Anne

 
 
 

Mercêdes Pordeus

 
 

MULHERES QUE ESCREVEM
Mercêdes Pordeus

Mulheres que escrevem... Com a alma!
Expõem seus anseios e sentem a calma
Por terem evadido delas tantos traumas
Com o tempo as suas alegrias restauram.

Mulheres que escrevem... Com o coração!
Liberando então limpidamente a comoção
Elevam-se em desejos, ânsias e solidões
Traduzindo em vivência as suas emoções.

Mulheres que escrevem... Com a mente!
O que às vezes os corações desmentem
Outras revelam uma emoção diferente.
Daquelas que, na realidade elas sentem.

Mulheres que escrevem... Com o olhar!
E por ele às vezes se deixam acompanhar
Olhares de alegria, tristezas tentam captar.
Daquilo que as cerca tentando lhes ameaçar.

Mulheres que escrevem... Suas histórias!
Tantos momentos de muitas lutas inglórias
Mas outras vezes persistem nas memórias
Experiências transformando-as em glórias.

Mulheres que escrevem... Na opressão!
Sentem na pele a dor da discriminação
E ainda assim transtornadas pela aflição
Tiram delas para suas vidas uma útil lição.

Mulheres que escrevem... Com a lua!
Tirando-lhe um pouco da luminosidade
Escrevem na história, a realidade nua e crua
Reafirmando constantemente suas identidades.

Mulheres que escrevem... Com as estrelas!
Tecendo com seus brilhos as suas defesas
E com o encantamento pela sua singeleza
Transformam as suas vidas numa fortaleza.

Mulheres que escrevem... Com sabedoria!
Apesar de alimentarem suas fantasias
Como uma mistura de magia e utopia
E mesmo na realidade vivem a alegoria.

Mulheres que escrevem... Com pena de ouro!
Verdadeiras tecelãs dos mais belos tesouros
Conseguem transformar na mais fina renda
O legado que aos seus passará como prenda.

Mulheres que escrevem... Com autenticidade!
O que lhes chega à inspiração... A Felicidade!
Transportam para o papel a responsabilidade
Que lhe impõem, mesmo com sua fragilidade.

Mulheres que escrevem... Com suas vidas!
Através das inúmeras experiências vividas
Ainda que com todas as decepções sofridas
Transcendem o entendimento de suas lidas.

Mulheres que escrevem... Com as mãos!
As mesmas mãos que afagam os irmãos
Que ora sofrem por viverem na solidão
Outras vezes, por faltar na mesa o pão.

Mercêdes Pordeus
Recife - Pr - Brasil


Mercêdes Pordeus nasceu na cidade de Olinda e vive em Recife/PE/Brasil, possui formação em Pedagogia pela Universidade Federal de Pernambuco. Casada com o poeta português Victor Jerónimo iniciou a escrever poesia incentivada por ele, apesar apreciar a literatura desde muito cedo. Participação em diversas Antologias e Concursos Literários.Tem vários prémios e menções honrosas.

 
 
 

Mhario Lincoln

 
 

A FORÇA DO AMOR POR UMA MULHER
Mhario Lincoln

O que serve para abrandar, de uma Mulher, o AMOR?
Outono, Primavera, Verão e ou muito CALOR?
Esse amor de Outono, que começou DOÍDO
Amor de gente grande, com coração PARTIDO.

JÁ ME mandei benzer, comprei florais de Bach
CONSUTEI-me com psicóloga. Deu duro achar
UMA QUE entendesse de sofrimento e dor
E TIVESSE passado por todos os casos de amor.

Fui parar numa farmácia bem POPULAR
E lá fui ouvir a minha velha 'Xica' FALAR...
Essa parece entender de amores MEDICINAIS
E logo me deu uma lista grande de CHÁS...

- MEU menino, vira e mexe, não se apoquente
TU PRECISAS tomar esses chás bem quente
PARA ESSA dor de amor aliviar. E eu sei certinho
QUE essa dor é de lascar, mas passa devagarinho.

Tem Chá de Espinheira Santa, de folha de MARACUJÁ
Tem chá de Camomila, de Boldo e de UMBUZÁ
Tem Chá de Erva-Doce, de Louro e de Pau-D'ARCO ROXO
Tem chá de folha de pimenta. Esse não é pra 'caba' FROUXO.

TEM CRAVO da Índia, Eucalipto, Sene, Violeta e Urtiga
TEM OS que tomam Valeriana, Louro com Mel, há quem diga.
TEM GENTE tomando Salsa, Chá de Rosa, folha de Laranjeira
APAIXONADOS, que são loucos pela flor da Bananeira.

Tem chá de dar em doido, tem folha de Aveia, de AGRIÃO
Cânfora se passa em cima, para a dor passar no CORAÇÃO.
Se romântico quiser chorar, toma Funcho, Gengibre e MATE
Se quiser ser um homenzarrão, toma Ginseng pro ARREMATE.

TEM CHÁ de Lavanda, Fucus, Estigma-de-Milho e Limão
PARA amor perdido é indicado Damiana, Cavalinha e Dente-de-leão
PARA ARREPENDIDOS, tem Alcaçuz, Atemísia, Alho e Cardo-Santo
DEPOIS é só tomar Calêndula e Guaiaco, cortando o pranto.

Se não der mesmo certo, nem com Hanamélis, Ginseng e GINARA
Mande um recado para ela, num maço ungido de Capim-LIMÃO,
Diga que ela está perdoada e que ainda tem aceitação na CARA!

AMAR uma mulher é assim tão dolorido, sofrido, com tanta emoção,
POIS amar uma mulher não tem dia, nem hora, nem chá, nem paradeiro
UMA mulher é sempre assim: Preciosa, verdadeira, pra se amar o ano inteiro...

Mhario Lincoln
Curitiba - Brasil
www.mhariolincolndobrasil.com
www.acervum.com.br


Mhario Lincoln é jornalista, poeta e presidente da Academia Poética Brasileira.Editor-sênior da Revista Poética Brasileira e do Suplemento Nacional de Literatura e Artes, ACERVUM. Embaixador da Paz/Brasil.

 
 
 

Moacir Luís Araldi

 
 

MULHER
Moacir Luís Araldi

Eu te bendigo
Porque há uma graça tua
Crescendo em mim.

Bendigo ainda mais
Porque há uma luz dos teus
Iluminando os olhos meus.

Bendigo a ternura e a paz
Pois toda a mulher nesse dia
Deve ser amada ainda mais.

Te bendigo, enfim,
Porque te abrigo
Dentro de mim.

Moacir Luís Araldi
Passo Fundo - RS - Brasil


Moacir Luís Araldi tem participações em mais de vinte antologias poéticas nacionais, e dois livros solo: Cabernet e Interlúdios. Publica em vários sites literários nacionais.

 
 

 

Livro de Visitas