FÉNIX

Edição Especial "Mulheres pela Paz"

  2018

António Alves  Óleo sobre tela - Alvorada

 

 

Alfredo dos Santos Mendes

 
 

DIA DA MULHER
Alfredo dos Santos Mendes

Hoje se cantam odes à mulher,
Dizem ser o seu dia especial.
Hoje a mulher é glória nacional,
É superior a tudo e a mais que houver!

O dia chega ao fim, não é sequer,
Lembrado o seu carinho maternal!
Tudo volta à rotina natural...
Mais um ano virá…Se Deus quiser!

Sendo por este ou por aquele motivo,
Se foi criando um dia mais festivo,
Ao sabor do que mais se lhe aprouver...

Os homens podem dias inventar...
Mas por mais voltas que lhes possam dar...
Sempre os dias serão: de ti, mulher!

Alfredo dos Santos Mendes
Lagos - Portugal

 
 

 

Alicia Borgogno (GOLONDRINA)

 
 

ESA MUJER...
Alicia Borgogno (GOLONDRINA)

Su furiosa danza me levanta
hasta los quietos cielos
donde vibra el instante.
Octavio Paz

Sos esa mujer
de ojos sombreados hambrientos de luz,
cuando los velos te cubren
como máscara obligada.
Ellos envuelven tu belleza
borrando tu contorno sutil.
Con suavidad seductora agilizas la danza
soltando tus cabellos que ondulan el aire
e iluminan tu rostro relajado.
Tu vientre tembloroso
dibuja círculos a su alrededor.
Entre gasas y brillos,
tu sensualidad y tu gracia
se espejan en esa danza…
esa danza animada que te libera.

Alicia Borgogno (GOLONDRINA)
Cañada de Gómez (Sta.Fe) Argentina


Alicia Borgogno nació y vive en Cañada de Gómez (Sta.Fe) Argentina.
Concurre a encuentros de escritores y publica en Antologías y Blogs de reconocidos autores y Grupos Literarios, como : Mis Poetas Contemporáneos de Gustavo Tisocco, De Literatura y algo más de Betty Badaui, etc.. Participa en Concursos nacionales e internacionales obteniendo numerosos Primeros Premios y Menciones en Poesía , Narrativa y Trova en distintos países…
Argentina, Uruguay, Francia, Méjico, España, Perú, Brasil, Chile, Panamá, Japón, E.E.U.U. e Israel. Los más importantes entre los Primeros Premios: en 2005, la publicación de su primer libro de poemas “Madura de Sueños” en un concurso organizado por Editorial Dunken de la ciudad de Buenos Aires (Arg.), y en Julio 2015, su Libro Virtual “Hasta tu orilla” en el 1er. Concurso de Trova de México, compuesto por trovas y poemas, ya editado en papel.
Pertenece al Grupo Alternativa con el que publicó la Antología “ En este espacio que somos”(2016)
Además es Miembro de REMES (España), Embajadora del Museo de la Palabra (Toledo-España) , Miembro de Naciones Unidas de las Letras (Colombia) e Integrante de Poetas del Mundo.

 
 

 

Alunos da Profª Glorita M. Mesquita

 
 

VIDA E OBRA DE CAROLINA DE JESUS
Alunos da Profª Glorita Martins de Mesquita

De Sacramento migrou
No final da sua infância
E em São Paulo chegou
Com muita garra e esperança

Sem recursos e pouco estudo
Como doméstica trabalhou
Não se adaptou, contudo
E aquela vida ela largou

Nascida em Minas Gerais
E filha de lavadeira
Naquela época era demais
Carolina mãe solteira

Mulher forte e valente
Não parou de trabalhar
Não sei se triste ou contente
Papel começou catar

Pouco estudo ela tinha
Mas tinha inspiração
E quando a vontade vinha
Escrevia a "modernização "

E seu cotidiano
Em um livro foi parar
Foi falando da favela
E nele a siciedade criticar

Foi em "O Quarto de Despejo"
Que Carolina se fez
Escrevia seu desejo
Em diário toda vez

Foi então que essa obra
Um repórter publicou
Competiu com Jorge Amado
E em venda superou

Comprou então um sobrado
Com o dinheiro que ganhou
Mas precisou ter cuidado
Pro ambiente que mudou

Negra, pobre e favelada
Dela ali ninguém gostava
Ela não ficou calada
E outra obra ela lançava

"Casa de alvenaria "
Escreveu e foi além
"Pedaços da fome" iria
Ser um seu livro também

Expôs pra sociedade
Seu talento sem defeitos
Buscou sempre a verdade
Mas enfrentou preconceitos

Eta mulher de visão
E pra todos respondia
"Preta é a escuridão "
E a assim que ela dizia

Fome, angústia e dor
Estavam em seus sentimentos
E os momentos de amor...
As vezes eram tormentos

Sua crítica social
Nas obras sempre presente
E o preconceito racial
Dela nunca esteve ausente

Tentamos aqui contar
Uma história que é triste
De Carolina a lutar
Por algo que ainda existe.

EMEF Valdenia Acelino da Silva
6°anos A,B,C
Profa. Glorita
Fortaleza - CE - Brasil

 
 

 

Alvaro Danjo Reis

 
 

MULHER
Alvaro Danjo Reis

A mulher é um troféu
De todos os tempos
É uma dádiva
Que floresce os momentos
É a embriaguez delirante
É o calce
Perpetuo do poeta
É o vestido do noivado
Inédito da própria dona
Palavras melhores
No mundo existirão
Para descrever a mulher
De que todos os homens
Dedicam a cada poema.

Alvaro Danjo Reis - de Moçambique
em São Paulo - Brasil


Álvaro Danjo Reis, nasceu talvez em Moçambique, descendente da arte Brasileira e filiado a cultura lusitana, nas escritas de Fernando Pessoa, Luís de Camões, entre a imaginação de um poeta emergente na fase revolucionária, não teve pai e nem mãe, senão o bastardo que o crio e o fez gente. Estudou o nível médio. Tornou-se poeta por amor aos livros líricos e a arte de escrever palavras. Ainda não tem livro publicado, senão poemas espalhados pelo mundo fora em diversas línguas. Vive na sepultura duma mente crua na poesia de rua do mundo da lua que o aprisiona.

 
 
 
 

 Flag Counter

Clique aqui para ver todos os detalhes e estatisticas do site