FÉNIX

Edição Especial "Mulheres pela Paz"

  2018

Cirlene Setubal - Semente de paz 1

 

 

André Flores (aprendiz de poeta)

 
 

TRIBUTO A MULHER
André Flores (aprendiz de poeta)

És forte por natureza
Deus te deu a benção de ser mãe
Passaste por muitas lutas
Foste firme em teus propósitos
Tiveste um caminho árduo
Para conquistar os teus direitos
Atravessaste um labirinto
De obstáculos tortuosos
Conquistaste teu espaço
Hoje é o teu dia
Resta-nos prestar
Uma singela homenagem
Para vocês que são
Motivo de amor, carinho e respeito
Porque tu mulher
És infinitamente eterna
Nesse dia especial
Que é o dia internacional da mulher.

André Flores (aprendiz de poeta)
Portão - RS - Brasil


André da Silva Flores, natural de Novo Hamburgo – RS, residente da Cidade de Portão – RS. Criado na cidade de São Sebastião do Caí, aonde muito do material de inspiração para seus poemas, vem de experiências e vivências nesta linda, amada, pacata, simpática e acolhedora cidade. Formado em setembro de 2010 em Administração de Empresas pela UCS - Universidade de Caxias do Sul, Pós Graduando em Especialização em Educação a Distância pela UNOPAR. Trabalha no Setor de Faturamento do Hospital Nossa Senhora das Graças em Canoas – RS. Premiado em concurso realizado pela Academia de Letras e Artes de Porto Alegre e Expresso das Letras, em Agosto em 2011. Premiado em Concursos realizados no estado do Rio de Janeiro (Oliveira Caruso) em: 2013, 2014, 2015 e 2016 assim como nos concursos Artífices da Poesia, da Editora A.R Publisher em 2016, Ancguedes 2016, Mérito Cultural da FECI, (Fundação Educacional do Sport Club Internacional), em 2016, 2017, Prêmio ABAS em Feira de Santa – BA (Março/2017) entre outros. Atua ativamente em blogs e jornais literários (Cabeça Ativa – RJ, Poemas do Brasil - SE e Recanto das Letras - SP). Participou de 12 antologias no Rio Grande do Sul, Paraná, São Paulo e Sergipe, 10 e-books, onde em três oportunidades escreveu o prefácio. Atualmente escreve para as revista literária de Portugal (PORTAL CEN), como também para a (Logus da Fênix). È correspondente do Estado do Rio Grande do Sul da revista e grupo literária eletrônica Poemas do Brasil, colunista da revista literários Inversos em Feira de Santana - BA. Participação em antologias no estado de Sergipe (Poemas do Brasil), onde será lançado dia 15/04/2017, lançou o seu livro Aprendiz de Poeta, Simplesmente uma História em Maio de 2017, MEMBRO DA ALB-MS (ACADEMIA DE LETRAS DO BRASIL – SECIONAL MATO GROSSO DO SUL) CADEIRA 49, MEMBRO DA CAPOLAT (CASA DO PEOTA LATINOAMERICANO – RS) E MEMBRO DA SOCIEDADE PARTENON LITERÁRIO DE PORTO ALEGRE.

 
 

 

António Alves

 
 

DA PAZ
António Alves

Do universo, dos planetas e das estrelas
da terra do mar, da natureza
dos homens e da vida
da consciência e da paz

Das cores, de todas as cores
branca, preta, mulata, amarela
de continentes e de religiões
dos deuses e de Deus, da paz

Das árvores e da seiva
dos frutos e das sementes
da renovação
das flores que nascem e morrem todas as estações
do seu perfume e da paz

Da água
da que cai do céu e da que vive nos mares
da que corre nos rios
dos peixes e de todos os animais que vivem neles
da cadeia alimentar, da vida e da paz

Dos deuses
dos novos e dos velhos
dos gregos, romanos e troianos
dos que existem e dos que inventamos
dos que vilipendiamos ou adoramos
dos que acreditamos na ressurreição
noutra vida, na paz

Das estrelas
na da manhã e na da tarde
na polar
nas que formam galácticas e nas que vivem em solidão
nas que brilham e nos aluminam
nas que nos aquecem o corpo e alma
no sol e na lua
naquelas que nunca vemos mas que sabemos que existem
que alimentam a nossa imaginação nos dão paz

De todos os seres vivos
dos que nos matam e dos que nas dão vida
dos que nos habitam e dos que nos acompanham
dos que nos amam e são caminhos de paz

Dos homens
de cada um e de todos os homens
dos que vivem no nosso tempo e nos que nos procederam
dos vivos e dos mortos
dos mais velhos
dos ensinamentos e da sua sabedoria
da paz que os acompanha

Das crianças
de tantas crianças
crianças novas e crianças velhas
das crianças que são futuro
das que esperamos melhorem o mundo
das que lutam pelo amor e pela paz

Daquela criança que ao colo de sua mãe se alimenta do seu leite
se sente protegida e amada
que recosta a cabeça ao peito, fecha os olhos
e dorme em paz

Também daquelas crianças que desprotegidas são carne para canhão
filhas do ódio e das guerras
muitas sem pai ou mãe
outras com pais mas sem amor
daquelas que vitimas da nossa incúria e insensatez vivem desprotegidas
e mesmo assim nos ensinam o a viver em paz

E ainda daquelas que seguem de mãos dados com os pais
que sorriem e são a imagem da felicidade e da paz

E também daquelas que quase sempre estão sozinhas
que mesmo na guerra sorriem
que todos os dias morrem
que veem os pais ir para aos cemitérios
ou que simplesmente ficam debaixo de monte de entulho
e que mesmo assim trazem flores nas mãos e na alma
sorriem mesmo perante a tristeza dos adultos
e que com doçura própria da sua idade perguntam
quem morreu hoje? E que mesmo perante a morte
irradiam vida e são paz

Apetece dizer
que, mesmo nesses e nestes dias de frio interior
de antepassados
de nuvens escuras e de chuva
de momentos
olho à minha volta e que mesmo assim vejo paz
nos homens mais velhos
nos pássaros
até nas flores que ornamentam as tumbas sinto paz

Vejo paz naquela criança que descalça joga à bola
naquela outra que corre pelo jardim atrás de uma pomba branca
e que que sorri e voa

Também eu sei que estou vivo
e estou em paz…

19/03/2018

António Alves
Leiria - Portugal

 
 

 

António Barroso (Tiago)

 
 

A MULHER É TUDO
António Barroso (Tiago)

A mulher é uma flor
que se entrega, por amor,
que nasce da natureza
com a magia dos laços
que transformam a beleza
em carinhos e abraços,
e a mulher tem o que quer
porque é tudo, ela é mulher.

Mulher é fruta fresquinha
colhida, de manhãzinha,
mesmo não estando madura,
sabe sempre a malvasia,
tem mãos cheias de ternura,
no sabor, tem poesia
que anda, no ar, a correr,
porque é tudo, ela é mulher.

Mulher é planta selvagem
que vai lançando, na aragem,
odores de raro perfume,
e a pequena erva nascente
sem protesto, sem queixume,
lança aromas, de repente,
do modo que ela souber,
porque é tudo, ela é mulher.

Mulher é mãe, avó, filha,
e uma grande maravilha
que Deus criou p’ra, na vida,
quando a segurança tarda,
com a força desmedida,
ser o nosso anjo da guarda,
que ela pode o que quiser
porque é tudo, ela é mulher.

Mulher é quadro, é moldura,
é, um livro, uma brochura,
é a sublime aguarela
que se pinta, de memória,
pois será, sempre com ela,
que se irá fazer a história,
esteja ela onde estiver,
porque é tudo, ela é mulher.

Mulher é trabalhadora,
mas também dama e senhora,
do marido, companheira,
com sacrifício inaudito,
acorre sempre primeiro,
ao amigo que está aflito.
P’ra ela a glória que houver
porque é tudo, ela é mulher.

António Barroso (Tiago)
Parede - Portugal


António Barroso (Tiago), poeta português, nascido en Vila Viçosa, terra-mãe de Florbela Espanca, dir-se-ia ter herdado o espírito poético latente nessa atmosfera alentejana, tendo já obtido inúmeros prémios, desde primeiros até menções honrosas, em Portugal, Brasil, Itália e República Dominicana, para além de poemas em centenas de cirandas e antologias.
Por convite, que muito lhe honrou e aceitou, é membro correspondente da Academia Cachoeirense de Letras, em Cachoeiro do Itapemirim; Academia Rio-Grandina de Letras em Rio Grande e sócio do Clube dos Poetas Livres, em Florianópolis, e, ainda, membro da AVSPE – Academia Virtual Sala de Poetas e Escritores; (todos no Brasil) Também, de "Os Confrades da Poesia” – Amora / Portugal; e associado do Clube da Simpatia, em Olhão. Colabora no Boletim da Associação dos Pupilos do Exército, na Revista Virtual Eisfluências e Antologias LOGOS (Portugal), na Revista Ventos do Sul (Brasil) e do jornal "Agora" de Porto Alegre, Brasil.
LIVROS ARTESANAIS DE POESIA: - Memórias do tempo que passa;Devaneios de Outono;Último Fôlego:"... antes que chegue o inverno "

 
 

 

Antonio Cícero da Silva (Águia)

 
 

MULHER CIDADÃ
Antonio Cícero da Silva (Águia)

A mulher é cidadã
a mulher é rainha
e onde quer que esteja
simboliza a brilhante vida.
A mulher é inteligente...
na vida social, profissional
e familiar...
ninguém, nem nada a ela
vai se igualar,
por ser a procriadora da vida...
mulher, perfeita flor,
que veio a desabrochar no mundo,
no jardim do Criador...
é jóia cintilante, formosa e exuberante...

Antonio Cícero da Silva (Águia)
Carapicuíba - SP - Brasil
antoniocicerodasilva-aguia.blogspot.com.br


Antonio Cícero da Silva, que também passou a assinar suas obras, a partir do dia:
05/06/2010, como Antonio Cícero da Silva (Águia), por terem surgidos outras pessoas com o mesmo nome, causando assim, confusão aos seus leitores. Nasceu em São José do Belmonte/PE, no dia 02/12/1962 e reside atualmente em Carapicuíba/SP. Filósofo, romancista, contista, cronista, poeta, palestrante, ambientalista e fotógrafo amador.
Acadêmico – Membro efetivo da ALM – Academia de Letras da Madalena – Recife/PE, como titular da cadeira número 17; Membro efetivo da AVSPE – Academia Virtual Sala dos Poetas e Escritores; Participou de vários concursos literários, sendo agraciado com prêmios e menções honrosas em vários deles. Tem poemas publicados em jornais e revistas São Paulo e Rio de Janeiro. É autor de quatro livros e conta com participação em mais de 300 Coletâneas, Antologias e obras do gênero.

 
 
 
 

 Flag Counter

Clique aqui para ver todos os detalhes e estatisticas do site