FÉNIX

Edição Especial "Mulheres pela Paz"

  2018

João Timane

 

 

Francisco Martins Silva

 
 

PAZ
Francisco Martins Silva


Por caminhos na vida se almeja a paz.
Caminhos movidos de sonhos, lutas e esperanças.
Mulheres de mãos dadas cantam pela paz. Convidam-nos à paz.
E assim nos motivam para a paz.
Então seguiremos sempre com o grande objetivo humano, a paz.
A solidariedade uns com os outros e a prática do perdão são atitudes que promovem a paz.
O abraço e a inclusão são gestos de paz.
E unindo-nos à luta, o exemplo e a força das mulheres nos inspiramos pela busca da paz,
Elas são verdadeiras manifestações de paz.
E nos ensinam que a prática do amor é a maior força do mundo a nos levar à paz,
E assim caminhemos...
É nossa bênção maior a conquista da paz.

Francisco Martins Silva
Uruçuí - Piaui - Brasil
http://framsilva.blogspot.com.br/


Francisco Martins silva (10 de dezembro de 1974), São Félix de Balsas – MA. Reside em Uruçuí – Piauí – Brasil. É professor, escritor e poeta. Compõe poemas, contos, crônicas e ensaios. Tem participação em antologias por diversas editoras e é autor do livro Um tributo à natureza e da peça de teatro Uma ciranda no bosque. É membro de várias academias de letras no Brasil.

 
 

 

Gaiô - Maria Ap.de R.Gaiofatto

 
 

O ESPAÇO É A PAZ
Gaiô (Maria Ap.de R.Gaiofatto)

Transformar...eis a questão.
Sonhos e intuição
Silêncio e calma, espaço dentro.
Dentro é o lume onde ocorre
A dança da criação
Farol que a tudo ilumina.
Ao coração dita:
Alma forte, firme aguenta
Em tempo de ruptura,
Equilibra o que soçobra
Em destruição.
Escuridão? Luz e sombra
A carne se faz verbo, poesia,
Se fazem canção
Primavera se faz promessa
Portal, o que apraz?
Reparos nas brechas, arrume a casa;
Mudança jorre e possa
Em poder de transformação.
Eis a fonte! Consciência se expande
O espaço é a Paz,
Contemplação!

Gaiô - Maria Ap.de R.Gaiofatto
Ribeirão Preto – São Paulo – Brasil
Perfil no Facebook – “Gaiô Escreve”


Gaiô - Pedagoga e Artista Plástica. Arte-Educadora fez das Artes Visuais e da poesia sua expressão junto à Educação (Pós Graduada). Participou de várias exposições e premiações. Várias Antologias, entre elas pela Scortecci, “Encontro Pontual” lançada na Bienal Internacional do Livro em São Paulo (2010). IX prêmio Literário Livraria Asabeça (2010) , e em Belo Horizonte, a Antologia de Ouro do Museu Nacional da Poesia-(2010- 2012).Pela FUNPEC (Ribeirão Preto-2013) as Antologias PONTO & VÍRGULA nº2, 3, 4. Seu primeiro solo “VERSO-UNI-VERSÁTIL-DI-VERSO” (2013) ilustrado pela autora, transita pelos vãos das interações e percepções da ALMA HUMANA. Menção Honrosa no Varal do Brasil 2013- Genebra- Mostras 2013/14. Menção Honrosa - 3º Concurso Literário Internacional A.C.I.M.A. 2014 "NAVEGANTES" na Associazione Mandala em Torino, Itália com o poema ”O Poder da Imagem”; Antologia Bilíngue Navegantes – Itália; “Varal Antológico 4 “ lançado na Mostra Literária em Genebra- 2014; Antologia “Voando em Bando” da Varal do Brasil-2014; 1º Lugar II Concurso Literário Varal do Brasil em Genebra-Suiça com poema “De Vida, Mágica e Mistério”; Antologia Fernando Pessoa e Convidados em Lisboa – Fundação do Oriente Museu pela Ed.Mágico de Oz (2014). 2015- Varal Antológico 5- Feira do Livro em Genebra-Suiça. Publicação do poema “De Vida, Mágica e Mistério”
2015- convite da escritora- literatura Infantil (Preces à Mãe Terra) (Paz e Ecologia) -Alexandra Magalhães Zeiner, brasileira radicada em Augsburg, Alemanha, Embaixadora Universal da Paz, pelo Cercle de Les Amabassadeurs Universeles de La Paix, para participar do “MULHERES pela PAZ” - Antologia “FÊNIX” de Portugal. 2015- participação no “Artes pela Paz” a convite da poetisa Cléo Reis no lançamento de seu livro-BRASIL. Antologia “ENTÃO É NATAL” da REBRA. 2016-Antologia Bilíngue A.C.I.M.A.-Itália- “Madre Terra”.

 
 

 

Géminis

 
 

8 DE MARZO
DÍA INTERNACIONAL DE LA MUJER
Géminis

El 8 de marzo,
Día Internacional de la Mujer,
un sinnúmero de eventos se realizan
para festejarla en su día,
para recordar sus cualidades, sus virtudes…
Pero, ¿qué opinan las mujeres
las campesinas, las obreras,
o las que trabajan en casa
que mantienen a su macho
que es borracho
y las golpea y denigra?
¿Las que son secuestradas y violadas?
¿Las que desaparecen en las fronteras?
¿Las muertas de Juárez?
¿Las que son recluidas en penales
porque se vengaron de los
violadores de sus hijas
y cumplen condenas injustas?
¿Las que por accidente o enfermedad
tuvieron que abortar
y en Los Cerezos pasan sus vidas?
¿Las que caen en las redes
de trata de blancas y las venden
cual mercadería para prostituirlas?

¿Dónde está la Ley que defiende y ampara
los derechos de las mujeres?

El olvido a las mujeres ancianas,
la discriminación a la indígena,
a la inmigrante, a la divorciada,
a la madre soltera,
la homofobia a la lesbiana,
el acoso laboral persistente,
la corrupción e impunidad
galopan a plena luz del día…
Los Gobiernos, las autoridades,
los empresarios y la sociedad
deberán de vigilar y trabajar
por la equidad de género
porque la igualdad de salarios
y oportunidades
se convierta en una realidad,
no en un discurso,
no en dádivas, ni sonrisas.

Prohibir la ablación del clítoris
que sufren niñas y jóvenes de
más de 30 países de África,
Oriente Medio y Asia,
debe ser una prioridad,
esta práctica es una vergüenza
para toda la humanidad
¡y la quieren aplazar
hasta el año 2030…!

¡NO a la Discriminación!
Una nueva educación se debe gestar
desde el seno familiar.
Es tiempo de cambiar.
La voz de la mujer se debe escuchar.
Erradicar la prepotencia,
la soberbia, el despotismo,
los golpes, la barbarie,
el machismo.
Que ningún hombre silencie
este festejo internacional.
Que se acaben los discursos,
los buenos deseos.

Señores, queremos hechos.
¡Vivan las mujeres de todo el orbe!
¡Vivan las que sostienen sus hogares!
Vivan las que son madres y padres!

Géminis
Cidade de México - México


Géminis nace en Veracruz, Ver. y actualmente reside en la Ciudad de México. Publicó en 2017 su libro de prosas poéticas Plenitud en Privamera. Miembro activo de The Cove/Rincón Internacional desde el 2013. Su obra está compilada en varias antologías: Al caer la tarde (2015), Vuelo de mariposas (2016), Canto a Chiapas (2017). Es Delegada para México de la revista internacional multilingüe Tribuna de la Cultura desde 2014, editada en Las Palmas de Gran Canaria, España y colabora en dicha publicación desde 1996.

 
 

 

Georgina dos Santos Bezerra

 
 

FÊMEAS
Georgina dos Santos Bezerra

Mártires na vida
Lutas marcadas pela história
Da fragilidade fortaleza
Guerreiras por natureza

Submissas sociais revertem
Os valores morais, nasceram
Lutadoras incondicionais
“Fêmeas transcendentais”

Deusas de supremacia mitológica
No Olímpio estabeleceram, sabedoria
Feminina, ética e vasta disciplina
“Representações divinas”

Firmaram-se na antiga nação
Emanaram social organização
Vasto acervo cultural, fortalecendo
A razão, originando organização

No âmago de uma mulher, ela sabe
O que quer. O brilho no olhar plenitude
Transbordar, do amor a razão, sabedoria
O coração em vasta sapiência na essência
Da emoção

“Privilegiado ser”, intrínseco
Órgão reprodutor, um embrião
Faz florescer a luz em seu favor
Amamentam com doce mel em
Seu seio puro véu a força vital
“Plenitude universal”

Libertárias das idéias de fragilidade
Oposta pela ação dominante, dos valores
Culturais errantes, rebelando dogmas
Ultrapassando as provas

Tipo sanguíneo revolucionário
Da labuta desmedida não importa o tempo
Toda época é contento sempre avante depois do levante
Seguindo adiante

Emancipadas da lida da casa grande
“Senzala” pluralidade racial da massa
Social. Branca, negra e amarela iguais
São elas, abolicionistas natas da razão
Universal “Constitucional”

A feminilidade gritante, altiva e
Atuante, refutando padrões obsoletos
Imposta por valores devassados
De mentes abusivas da sociedade alucinada
“Oh! Tirania exacerbada”

Oh! Marias santificadas, virgens
Imaculadas, lágrimas
De dor da perda do Redentor

As Madres de Calcutá seu coração
Fez inundar, o amor pacificador, paz
Interior

Joanas Darcks enclausuradas lutam
Pela manumissão pelo bem da
Nação, se fez cinzas a canonização
“Fêmeas”.

Georgina dos Santos Bezerra
Rio Branco - AC - Brasil


Georgina santos nascida em Rio Branco- Acre. Residência atual.
Professora ensino infatil, conhecimentos artes cênicas- teatro, apreciadora de literatura em geral. O primeiro conto publicado "o rebento"coletânia as faces da morte.

 
 
 
 

 Flag Counter

Clique aqui para ver todos os detalhes e estatisticas do site