FÉNIX

Edição Especial "Mulheres pela Paz"

  2018

Juraci Martins - MULHERES

 

 

Sanjo Muchanga

 
 

DECLARAÇÃO DE AMOR
Sanjo Muchanga

Minha mulher, para ser sincero
muitos contemplam as estrelas, o mar
e até fazem promessas perpetuas
em poemas e poesias
outros serenatas de amor
ao contrario de mim, que sempre
contemplo o brilho dos teus olhos,
as curvas do seu corpo esculpido,
o doce perfume dos teus cabelos negros
que daqui ao infinito
atrai as borboletas e os pássaros
fazendo juras de amor infinito
entre o calce do vinho
ao nosso leito enfeitado de rosas
para o frescor da sua beleza.
Permita-me ser também singelo
como os músicos e os poetas
para lhe dizer que és
a minha flor de mel
tão doce como o seu próprio sorriso
tão encantadora como a serenata
dos grilos depois da chuva
Amor, penso em ti quando durmo
e quando acordo,
para mim não existe melhores poetas capazes
de descrever-te melhor que os meus olhos.

Sanjo Muchanga
Maputo - Moçambique


Sanjo Muchanga, nascido em Moçambique, província de Maputo, residente na Cidade de Maputo, funcionário Público, poeta e escritor, com participações em Antologias da Solar de Poetas, ALPAS, Colectânea Horizonte, Colectâneas Leveza da Alma, Colectânea Som de Poetas, Colectânea Palavras de Veludo, Colectânea Poetizar o Mundo, Revistas Literárias Trupe Reticencias em Versos, Folhinha Poética e Entrementes. Distinguido duas vezes pela Solar de Poetas e reconhecido pelo mérito pela Solar dos Poetas, e certificado pela Sociedade Mundial de Poetas pela participação na colectânea Leveza da Alma. É Membro e criador do Movimento Literário Ensaísta Kamubukuane. Leitor da Associação de Escritores Moçambicano, Membro da Sociedade de Direitos de Autores – SOMAS

 
 

 

Sidnei Piedade

 
 

MULHERES PELA PAZ
Sidnei Piedade

Mulher é ternura, pecado e luxúria vivendo um sonho encantado
anulando seus planos para agradar seu amado,
ela tira a roupa, faz a cama, vira a mesa
e por onde passa algo acontece.
Ela veio do paraíso encantando nossos olhos,
prendendo nosso coração, sendo alvo, caça e caçadora.
És salutar no amor e natural no afeto,
onde tem o poder de moldar o caráter de um ser.
Mulher no jardim da vida é a mais linda rosa...
rosa-mulher, pois são flores dos amantes...
é a criatura mais amada e adorada,
estrela divina e natureza viva....discreta no sorriso e prazer.
Sua pureza e beleza, sua curva e desejo,
é a pérola cristalina que se chama mulher.
És amiga e companheira e por todos são adoradas,
onde as honras são dedicadas, todas flores são dadas a ti mulher.

Sidnei Piedade
Assis - S Paulo - Brasil

 
 

 

Silvana Mello

 
 

SAGRADO FEMININO
Silvana Mello

Somos tantas vezes, a palavra dita no olhar,
O sorriso perdido no ar,
O perfume de memórias distantes,
As lembranças imbuídas de nós.
Somos o alimento da vida,
O alicerce da alma,
A personificação da palavra falada, escrita, cantada, chorada, sofrida ou somente clamada do mais profundo de nós.
Somos acalanto, encanto, encantamento,
Somos abrigo em todos os momentos,
Mas também somos tormento,
Avalanche, enchente,
Somos torrente de lágrimas, riso e dor.
Somos paraíso, solo fértil que o mar tocou.
Somos a força da natureza, em toda sua beleza
Exuberância e esplendor.
Somos o sal da terra, a lua que nua encerra
Toda vida que o ventre gerou.

Silvana Mello, IWA
Curitiba - PR - Brasil


Silvana Mello, jornalista, professora, participou da Feira do Poeta nas décadas de 80 e 90. Foi uma das vencedoras dos Concursos de Poesia, Marilda Confortin em 2015 e Alice Ruiz em 2016, e teve seus poemas publicados em livros com os outros vencedores. Participou das Antologias Conexão I, II e III. Foi uma das coordenadoras da Antologia “Parnaso Poético”, edição independente, lançada em Curitiba em 2017. É membro da International Writers and Artists Association – IWA e Acadêmica da Academia Poética Brasileira - APB.

 
 

 

Simone Aguiar de Santana

 
 

PAZ NA SÍRIA
Simone Aguiar de Santana

Síria, dos escombros e ruínas de prédios e gente.
Das imagens que correm o mundo banhadas em sangue.
Da dor retratada, dos olhos de crianças em lágrimas.
Daqueles que não tiveram tempo de sorrir e brincar.
De viver, sonhar.
E que nem sequer compreendem o porquê de chorar.
Estão partindo, no caminho da morte, meus anjos.
Desarranjos do mundo.
Toda a dor e sofrimento entra em mim como rio de fogo e transborda.
Aborda meu desejo crescente.
De paz, urgente, para um contigente.
Trégua em nome da dor, do desamor.
Para aqueles que não pediram, não merecem, mas que carecem que clamem por eles.

Simone Aguiar de Santana
Recife - Pernambuco - Brasil


Meu nome é Simone Aguiar de Santana, tenho 52 anos, sou médica. Resido na cidade de Recife, estado de Pernambuco, no país Brasil.Sempre gostei do mundo dos livros, mas há uns 5 meses retomei o gosto pelas letras.
Comecei a enviar prosas poéticas para meus amigos pelo Facebook e daí houve uma resposta imediata por parte deles: eles gostaram muito e eu me encantei de novo, pelo mundo das letras, da prosa e dos versos.
Estou me aperfeiçoando para escrever meu primeiro livro e estou participando de Antologias Poéticas.

 
 
 
 

 Flag Counter

Clique aqui para ver todos os detalhes e estatisticas do site