FÉNIX

Edição Especial "Mulheres pela Paz"

  2018

Sonia Nogueira - Mulher

 

 

Verônica Marzullo de Brito

 
 

AS TRÊS IDADES DE UMA MULHER
(Homenagem à pintura homônima de Klimt)
Verônica Marzullo de Brito

Da boca que contorna o queixo
Ao mais aberto sorriso;
Das mãos que lavam a loiça
Às luvas de cetim;
Dos jeans rasgados
À calcinha rendada;
Da cachoeira castanha solta
Às comportadas tranças;
Da jovem que invade as fotos
Às cãs pedindo pintura;
Da que procura por olhares
À que provoca carinho:
Ela é uma.
Ela é una.
Ela quer mais.
Ela contém todas.
Ela, elas... Menina, moça, mulher.

Verônica Marzullo de Brito
Rio de Janeiro - Brasil
https://www.facebook.com/poeta.veronica/


Verônica Marzullo de Brito é especialista em análise de dados informáticos e poeta. Seu primeiro livro de poemas chama-se "Moto Contínuo", publicado pela Editora do Carmo.

 
 

 

Vicentina Maria da Silva

 
 

DONA SENHORINHA
Vicentina Maria da Silva

Absorta
Dona senhorinha
Não acompanhou
O modernismo insano...
Da janela do espanto
Em tortuosa sofreguidão
Tristemente observava
Os valores éticos e morais
Como se moedas fossem
Rolar, serem perdidos
Pelos caminhos sinuosos...

Nos fragmentos dos enganos
Os amores improvisados...
O perdão desmerecido
Como entraves do destino
Alastrarem-se nas vereda
Carimbo dos seres humanos
Num rótulo marcado.
Dona senhorinha, mulher
Que abomina o erotismo
Devorador do romantismo
Que outrora a encantava.

Vicentina Maria da Silva
Uberlândia - Minas Gerais - Brasil

 
 

 

Vieirinha Vieira

 
 

DENTRO DE MIM
Vieirinha Vieira

Dentro de mim,
Foste página em branco.
Ao som do silêncio,
Pinto nesta folha,
Uma paz que voa, esvoaça
E como um todo.

Onde, um não pode ser melhor que um sim
E o sim, pior que um não!
Onde, desorganização pode ser organizada
E a organização, uma total desordem
Sinto-me indefesa perante a minha defesa
E toda esta ignorância preenchida por minha longa aprendizagem

Partilho todo este sentimento com egoísmo,
egoísmo generalizado pela falta da partilha

Onde simpatia carrega máscaras empáticas
E a empatia apenas uma sinceridade menos simpática.
Onde desorientada procuro não ferir
E a direção traz firmeza e cura.
Sinto uma compreensão incapaz de atingir
E a incompreensão fala como se tivesse conhecimento

Partilho uma intolerável tolerância mas dentro de mim
Carrego uma disciplina muito pouco disciplinada
De coração vazio
Ficam as marcas da paz que pintei.

Vieirinha Vieira “ALMA d’ MIM”

Vieirinha Vieira
Vila Nova de Gaia - Porto - Portugal


Nascida em 1976 Mafamude, V.N. de Gaia no distrito do Porto - Portugal
Como heterónimos assina nomes como Vieirinha vieira, Lo Escrita e Maria de Mais.
Curso Profissional / tecnológico de contabilidade e Gestão no Colégio de Gaia onde representar o Jornal "NASCENTE" na Semana Cultural / Exposição anual
Foi membro do Clube Juvenil Verbo 93/94
Colabora em revistas, rádios antologias e E-books online
Tem mais de 20 participações em livros colectivos
No dia 7 de Dezembro de 2016 lançou na casa Barbot, em Vila Nova de Gaia o Livro A MENINA QUE FUI, Uma Edição da Pastelaria Studios Editora- GMH.
Iniciou o projecto de voluntários à leitura. "Ginástica ao cérebro"
Curso/oficina de teatro e comunicação da FLUP lecionado pela Prof/Atriz Arlete Sousa e Prof. Luisa Malato
Lançamento em 2017 do seu livro, Vestigium d`Arbor - CHIADO Editora
Actualmente faz Teatro no Teatro experimental do Orfeão da feira.

 
 

 

Vilma Santos

 
 

MULHER
Vilma Santos

Mulher é obra prima de Deus
Vaso de cristal valioso
Que com o olhar encanta
Com o sorriso conquista
Com a boca determina
A felicidade infindável
Com os braços enlaça
A vida que nunca passa!

Mulher é força inesgotável
Saúde inabalável
Amor que cura
De habilidade secreta
Que o impossível acontece
E o brilho do dia estabelece!

Mulher é um mundo em si mesma!
É alegria e tristeza
Trabalho e preguiça
Jovem e velha
Bondade e justiça
Mãe e filho
Começo e fim!

Vilma Santos
Riacho Fundo II - DF - Brasil

 
 
 
 

 Flag Counter

Clique aqui para ver todos os detalhes e estatisticas do site