FÉNIX

 

 

Edição Especial "Mulheres pela Paz"

 

Clevane Pessoa

 

 

 Isabel Cristina Silva Vargas

 

 

MULHER, AGENTE FUNDAMENTAL PARA A PAZ
Isabel Cristina Silva Vargas


As mulheres desde que nascem são preparadas para serem as senhoras do lar. Por que digo isso? Foi desta forma que várias gerações foram criadas e educadas. A vocação primordial das mulheres deveria ser o casamento. Uma perfeita dona de casa. Deveria saber cozinhar, lavar, passar, bordar, tricotar, fazer crochê ser atenciosa com o marido, não desobedecê-lo, atendê-lo quando ele desejasse e não tomar a iniciativa nos deveres sexuais. Gerações foram assim. E assim a mulher manteve a paz no lar muito tempo.
O que era consenso na família e na sociedade é que ela poderia ter como atividade externa, a muito custo o magistério. Com seu jeito feminino, sua candura e vocação para a maternidade, certamente seria boa professora. E todos seriam felizes. Também foi assim.
Esqueceram que a mulher é um ser desejante por natureza, pois tantas coisas desejou e tanto foi tolhida. Aprendeu a ter paciência e conquistar as coisas sem conflitos, com força de vontade, disciplina, inteligência e esperança de dias melhores. Sim, as mulheres são esperançosas por natureza. Quem carrega um ser em seu ventre por nove meses e o sente crescendo tem a esperança internalizada. A mulher tem a tranqüilidade da espera que sente será bem sucedida. A mulher é a poesia e o amor materializados no fruto de seu ventre.
É paciente, conciliadora, abnegada e sabe ser altruísta, tirando de si para beneficiar o outro. A maternidade desperta na mulher todos estes atributos que são utilizados para o bem viver na família, na comunidade e na sociedade em geral. A mulher entende das coisas da alma, entende o silêncio, lê olhares, interpreta silêncios e emite a resposta adequada, aquela esperada e que é capaz de tocar e enternecer a alma.
Não estou a falar de mulher como ser perfeito, mas como ser sensível, perspicaz.
E capaz de lutar por seus desejos e seus sonhos. E, por isso mesmo sua competência extrapolou os limites do lar e ela foi lutar por uma posição na sociedade compatível com seus anseios. E a mulher venceu neste campo também e, na atualidade, podemos dizer que a mulher está em todos os setores, todos os campos todos sem abandonar a doçura, aliando competência com sensibilidade, sabendo colocar-se no lugar do outro, atributo essencial para ser um líder e promover o bem do outro.
A mulher é capaz de perceber detalhes, notar sutilezas que fazem a diferença e ser instrumento de promoção do semelhante que pode começar sendo o esposo, o filho, o colega de trabalho, o aluno, o subordinado, os membros de uma sociedade, a diretoria de uma empresa, ou o povo de um território por ela governado. A extensão deste espaço físico é o tamanho de seu sonho.
A sociedade não dispensa a participação efetiva da mulher em função de sua habilidade de negociação, de empreendedorismo, de sua sensibilidade, disciplina, equilíbrio e tolerância no sentido de promover conciliação e não desestabilização, conflitos ou revoltas.
A mulher é fundamental para a promoção da paz.

Isabel Cristina Silva Vargas
Pelotas/RS/ BRASIL

 

 

Isabel Furini

 

 

INDAGAÇÃO
Isabel Furini


cobras espargem tóxicas palavras
sobre a superfície do silencio

em vão tento dormir - enxergo
minha imagem no espelho do armário

onde estará minha paz? terá fugido
entre as letras de meus versos?

Isabel Furini
Curitiba - BRASIL

 

 

 

Isilda Paixão Valente Monteiro

 

 

É URGENTE
Isilda Paixão Valente Monteiro


É urgente um sorriso convincente
que demova mentes perversas
que agite corações impiedosos
que serene as hostes
que acalme as turbulências.

É urgente que o calor do sol
derreta os gelos contidos
nas veias dos corpos empedernidos
em sangue cálido
que sequem lágrimas de mães
com filhos envolvidos na crua guerra.

É urgente que o vento forte
arranque a máscara dos tiranos
dos falsários, dos perversos
e por golpe de magia
espalhe em suave melodia
a alegria, a dança, a música.

É urgente que as flores brotem
nos campos de batalha
nas mãos dos poderosos
nos materiais bélicos
na boca dos criminosos.

É urgente que sementes mais puras
nos campos mais áridos sejam lançadas
para que se esmaltem de flores
onde borboletas radiantes possam bailar
e o seu néctar inalar.

É urgente que as mãos sejam dadas
e com elas uma corrente
pelo amor, pela liberdade,
pelo pão,
pelo cessar dos trovões e noites escuras
pelas manhãs prometedoras
pelo azul claro do dia
pela pureza, pela ternura
pela sabedoria e harmonia
pelo sorriso, pela flor
pelas águas transparentes
pelas aves que voam
pelo sorriso de uma criança
pela VIDA.

É urgente acabar com a guerra exterior
Almejar a paz
É urgente, gritar a uma só voz
É urgente
Acabar com a guerra dentro de nós.


Isilda Paixão Valente Monteiro
Viseu/Portugal

 

 

Ivan Silveira Braga

 

 

PAZ DAS PALMEIRAS
Ivan Silveira Braga


Manhã banhada de sol
Desço devagar a ladeira
Desço bem devagar
A ladeira da Avenida das Palmeiras...

Penso que é até bom trabalhar

Demoro logo no começo da caminhada
um casal de tucanos sossega a cidade
sossega minha vida tão agitada...

Penso que sou capaz de voar...

Eu oro e agradeço a Deus pela felicidade
pela paz no Centro de Taguatinga
quase choro, escutando o bandolim de Soledade.

Esqueço o pensamento que brincava na moringa...

A ladeira da Avenida das Palmeiras
sempre têm mulheres enfeitando a cidade
o mundo dança a modinha da Mulher Rendeira

tardinha escura de chuva...

Ivan Silveira Braga
Taguatinga – DF - Brasil

 

 

Janete Sales Dany

 

 

SONETO DA PAZ
Janete Sales Dany


Amo a terra na paz, belo traçado!
Todos vivendo amor, pulcra emoção...
Adeus maldita guerra, doce fado!
As respostas estão no coração...

Solto o pássaro lesto neste prado
O céu vivo reluz nesta junção!
Sustento o pensamento neste alado
Devemos benquerer o nosso irmão

Todo menor será vida de amor
O idoso nos ensina, tem valor!
Neste universo incrível sou feliz

Temos mar e floresta eternamente
Danço, só de versar fico contente...
Quero paz na vereda e em meu país!

Janete Sales Dany
São Paulo - Brasil

 

 

 

Livro de Visitas