Outubro de 2016

Ano VII - Número XLIII

 
 

 

Rosalina Herai

 
 

AMOR GENEROSO
Rosalina Herai 


Os dias são de luz
Que penetra em tudo
Nas mãos a luz a enchê-las
Luz para levar, ter e doar

O coração também diz
Luz tenho, venha buscar
Busque-me entre céus
Jamais em mim ela se apagará

Rosalina Herai - Brasil
em Lida - Japão
http://somenteporamor-vida.blogspot.com.br/
http://greenworldblue.blogspot.com.br/

 

 

 

Rosalinda Pessoa Mildner

 
 

MENINA NA JANELA
Por Rosalinda Pessoa Mildner 


Era uma vez uma menina que vislumbrava a vida através de sua janela. Ela morava numa cidade pequena e sua casa ficava em uma rua onde se podia ver de tudo que passava alí.
Seu mundo era aquela janela , passava inverno, primavera , verão e o outono.
Todos os dias ao amanhecer ela ia para a janela , ela assistia tudo as senhoras que iam a padaria comprar o pão que saia quentinho , depois ela sentia o cheirinho do café que emanava das casas vizinhas.
Ela via as pessoas passarem com suas bicicletas , crianças brincando nas calçadas e indo
para escola , todos falavam bom dia, boa tarde, até mesmo o velho que limpava as chaminés acenava para ela.
Ela sentia quando ia chover e quando a brisa da tarde chegava ela mergulhava em seus pensamentos . A noite ela podia contar as estrêlas brilhando no céu. Quando chegava o inverno ela assistia a neve chegando pouco a pouco as árvores iam ficando branquinhas cobertas de gelo.
Um sentimento de pureza encantada, quando chegava a primavera ela ouvia os cantos dos passáros anunciando a chegada da primavera. Ela deslumbrava com as flores abrindo com o sol da manhã.
Tudo era mágico em seu coração de menina. O aroma do ar penetrava em sua existência alí na janela , era como uma fotografia de seu corpo e alma.
Aos poucos ela começou a perceber que a rua em que vivia ia se transformando num mundo gigante as casinhas transformavam se em predios, as árvores estavam sendo cortadas , os rios secaram e na rua passou ser trânsito de carros , caminhões , motos e onibus .
Todo ar que era puro transformou em poluição , ela já não conseguia sentir o cheiro do aroma que ela desfrutava do amanhecer ao anoitecer. Tudo se transformou , como uma tempestade que destruia e acabava com todo sua pureza de menina.
Já não existiam pessoas e sim máquinas .
Então ela se pós na janela a chorar , chorou ,chorou tanto que os rios que estavam secos se encheram , as árvores que estavam caídas levantaram e ficaram verdes, as flores voltaram a brotar e o sol começou a brilhar.
Ela sorriu e fechou a janela.

Rosalinda Pessoa Mildner - Brasil
em Altenberg - Alemanha

 
 

 

Rose Giar - Pietra Blanco

 
 

UM DO OUTRO
Rose Giar (Pietra Blanco) 

E ao acordar todos os dias
minha poesia será: Eu te amo
"Cada verso meu será pra te dizer
que eu sei que vou te amar..."
E amarei assim como você é...
Amarei até os teus defeitos
Apreciarei cada qualidade
Pra mim será sempre perfeito
E na forma mais simples de me amar
Entrelaçada entre teus braços
Meu corpo há de tremer
Na boca os beijos a gemer
Teu corpo sobre o meu
No movimento ritmado
Será como um classico
Não tenho duvida somos
Amantes amados
E ao olhar em meus olhos
O reflexo de tudo que eu
Possa lhe oferecer
E ao me retribuir diga:
És minha! Sou teu!

NASCENTE E POENTE
Rose Giar (Pietra Blanco) 

Brilha como sol nascente
O mais formoso dos astros
Mas esta longe como o poente
Então fico a seguir teu rastro
Ainda que derreta o gelo
Que se fez em meu peito
Aos Deuses eu apelo
Conceder-me esse sujeito
Na imensidão do Universo
Vivo em minha solidão
Inspiro-me e te faço versos
E espalho pela imensidão
Que uma dessas poesias
Caia bem em suas mãos
Pois o amor não é heresia
Mas um sentimento do coração
Meu majestoso astro Rei
Estamos em lados opostos
Faça-me deusa de sua grei
Sirvo-te vinho nos seios fartos

 

 

FRUTO DO PECADO
Rose Giar (Pietra Blanco)

Guardo o fruto proibido
O abrigo entre as pernas
Com o gosto da libido
Que esta na parte interna
Perca-se em meu paraíso
Aqui tudo é permitido
Sem essa de ter juízo
Fale baixinho ao meu ouvido
A arvore é atraente
E a fruta mui desejável
Então suba e aproveite
Do sabor insaciável
Vermelha e doce é a maça
Carrega o gosto do pecado
Fique ate amanhã de manhã
Em meu corpo socado.

 
 

Rose Aparecida Giar
S.Paulo - Brasil


Biografia Rose Giar (Pietra Blanco)
Eu nasci em jundiai, no interior de são paulo,(03\03\ 1968) de uma família de descendia italiana,. Sempre fui incentivada a estudar e a ler pelos meus pais. Por isso conclui meus estudos em escola publica, fiz faculdade de contabilidade.
Gosto de sonhar com as palavras e brincar de rimar, é assim que vejo a poesia.
Sou a única menina da casa e a poesia já nascia em mim como uma rosa, muito menina ouvia
os poemas que meu avô paterno lia pra mim bem como minha mãe, e as poesias e meu desejo de escreve-la crescia.
Minhas referencias foram Vinicius de Moraes, Fernando Pessoa, Machado de Assis, Mario Lago depois me encantei por uma poetisa chamada Florbela Espanca não teve como fugir de meu amor pela poesia.
Comecei a escrever muito cedo logo que aprendi a ler e escrever amava inventar historias e coloca-las no papel passava horas a escrever, comecei a compor meus próprios versos.
Porém, muito tímida, romântica sentia vergonha de fazê-la desabrochar, assim ela permaneceu num botão guardado, até que um dia, alguém me disse que havia nela um perfume chamado dom e me incentivou a plantar,
Com a ajuda e incentivo de uma pessoa que considero mais do que amiga e irmã não só escrevi como perdi a timidez de as pessoas lerem o que eu escrevia.
Gosto de escrever sobre os acontecimentos de minha condição sentimental, meu estilo é o romantismo. Com o desejo inventivo da família e amigos resolvi publicar minhas poesias num livro quase que artesanal.
Hoje não fujo mais de meu dom e meu sonho é encontrar e ajudar pessoas que como eu era botão fechadinho a se desabrochar e a virar flor encantar com as poesias

 

 

 

Rosimeire Leal da Motta Piredda

 
 

ESCOLA DA VIDA
Por Rosimeire Leal da Motta Piredda 


Quando um feto é formado, está sendo feita uma matricula para entrar na escola da vida.
O cotidiano vai moldando aos poucos a pessoa.
No momento em que a criança vem ao mundo, é iniciada a aprendizagem. Estão ao seu dispor os melhores professores com titulação de Mestre e Doutorado: seus pais. À medida que cresce, brinca e aprende.
O material auxiliar de ensino é tudo o que está a sua volta.
As lições teóricas são realizadas em seu lar. Na convivência com as demais pessoas serão colocadas em prática, no dia-a-dia.
Muitas vezes, apesar de inúmeras explicações, o aluno demora a entender... erra muitas vezes até acertar. Porém, há aqueles que são sempre reprovados e parece que jamais alcançarão a próxima etapa.
A vida é um estudar contínuo, cuja carga horária só termina quando deixamos de respirar, entretanto, pressentimos que em tempo algum nos tornamos realmente habilitados para viver na íntegra.
É necessário ultrapassar a fase de estagiário e aproximar-se ao máximo de um profissional capacitado na arte de viver... igualar-se a um aventureiro e escalar os picos mais altos das dificuldades. Sofrer, ganhar ou perder, não importa, mas recolher o que adquiriu ao longo dos anos e seguir em frente; preparar-se para o próximo obstáculo, porque a existência é uma batalha constante, não necessariamente uma guerra violenta, porém, ela gosta de provocar para conduzir o indivíduo mais adiante.
A pós-graduação se dá na maturidade, no auge da vivência.
No fim, quando o ser humano fecha os olhos e parte para a eternidade, leva consigo sua maior riqueza: experiências de vida... isso não se pode receber como herança de ninguém: cada qual conquista a sua e ficam apenas as memórias da trajetória de um estudante que tornou-se universitário, diplomou-se... no entanto, lhe persegue a sensação que ainda falta alguma coisa...
Por muito que se vive, parece pouco...
Ao nascer, ganhamos uma caneta, para com ela escrevermos a história da nossa vida, contudo, um dia, a tinta acaba, não sendo possível substituí-la por outra.

Rosimeire Leal da Motta Piredda
Vila Velha – ES – Brasil
Facebook-
https://www.facebook.com/profile.php?id=100011114436011
Pagina pessoal -
http://www.rosimeiremotta.com.br/


Sou, por formação, Professora, Técnica em Contabilidade e Secretária Aposentada. Portadora De Deficiência Auditiva, faço leitura labial.
LIVROS PUBLICADOS -
1.º Livro – Voz da Alma – 11 Crônicas – 04 Contos – 37 Poesias – Editora CBJE- 2005
2.º Livro – Eu Poético – 01 Crônica – 05 Contos – 54 Poesias– Editora CBJE - 2007
3.º Livro – O Cair da Tarde - 01 Crônica – 00 Contos – 32 Poesias– Editora CBJE - 2012

 
 

 

Rosinha Bonette

 
 

ONDE TEM CRIANÇA TEM TUDO DE BOM
Rosinha Bonette 

Parede riscada
Brinquedos no chão
Quarto bagunçado
Farelo de pão

Tela na janela
Banquinho no banheiro
Brinquedo no chuveiro
Sofá com travesseiro

Roupa jogada
Desenhos pela casa
Mamãe descabelada
Por que não?

Tem criança nesta casa.
Tem risada, tem magia
Tem abraço e gritaria
Tem amor, tem alegria.

Rosinha Bonette
Itatiba - Brasil


Rosa Bonette, conhecida como Rosinha Bonette.Funcionária Pública Municipal. Graduada em Pedagogia, Pós-graduada em Psicopedagogia e Educação Especial, atuando na area da Educação com Atendimento Educacional Especializado com alunos da Rede Municipal. Escrever é minha paixão.

 

 

 

Página seguinte              

 

ASSINE

O LIVRO DE VISITAS

 

Clique aqui para ver todos os detalhes e estatisticas do site