Abril de 2017

Ano VII - Número XLVl

 

 

Antonio Cabral Filho

 
 

ECONOMIA POLÍTICA DA LATINHA...
Por Antonio Cabral Filho


Quem anda pelas ruas das grandes cidades brasileiras, talvez por distração, não nota a economia mundial circulando ao seu lado, utilizando para isso uma das mais brutais formas de exploração, o trabalho braçal, quando homens que em sua maioria não possuem qualificação profissional suficiente para ocuparem espaço no mercado de trabalho formal, estão arrastando um carrinho de duas rodas chamado 'burro sem rabo' carregado até às nuvens com todo tipo de quinquilharia que lhe possa render algum trocado nas recicladoras. Ocorre que estas têm uma política de preço, em sua maioria, articulada com o preço de mercado internacional do produto em causa.
No caso do alumínio, ele possui várias classificações, e, o mais caro é o tipo HG, que nem vale a pena se perguntar o que quer dizer. Mas deixa pra lá. Vamos apenas tomar um tipo como base para pensarmos o modo como as recicladoras explora os catadores. Esse tipo de alumínio está cotado hoje, 17 de outubro de 2016, a US$ 2.099.476 tonelada, o que em valores nacionais corresponde a 10.000,00 reais. Ou seja, a recicladora tem de rebaixar o preço do alumínio do catador para permitir-lhe elevar a sua margem de lucro no repasse para os exportadores. Por exemplo, em Jacarepaguá, oeste da cidade do Rio de Janeiro, o catador está recebendo R$2,50 por quilo de latinha, e esse preço permite que o seu comprador consiga até o dobro lá no repasse. Pensando bem, se ele conseguir operar com esse preço/kg, a tonelada sairá por R$2.500,00, ou seja, um quarto do preço de mercado internacional. Com essa base, ele tem maior margem de barganha com os exportadores. Quanto ele vai conseguir na revenda do alumínio, a gente não sabe. Mas o que a gente pode assegurar é que ele tem três vezes mais chances de conseguir um bom negócio.
Mas nessa matemática financeira toda há um detalhe que dificilmente alguém percebe: é o fato de o catador estar informado da política de preços internacionais dos produtos por ele recolhidos.
Dia desses eu estava indo ao correio postar uns livros para clientes e me deparei com um catador orientando outro sujeito que me pareceu ser catador também e percebi que ele falava sobre essa política de preços internacionais. Segundo ele, o alumínio brasileiro estava perdendo para outros concorrentes devido ao fator processamento; que o alumínio brasileiro estava saindo daqui em estado bruto - matéria prima - enquanto nos demais países ele era prensado em lingotes, devidamente medidos e pesados, obedecendo a acordos entre os negociadores, o que agregava valor ao produto final. Nesse momento, o catador puxou do bolso uma folha de jornal, devidamente dobrada, abriu-a e mostrou para o outro as referências sobre os tipos de alumínio e os referidos preços por tonelada de cada um. Ambos se dirigiram para a lanchonete mais próxima, sujos e esfarrapados como estavam e pediram uma garrafa pet 2 litros de água. Se sentaram à mesa e começaram a debater os preços que recebiam por quilo de latinha catada.
Achei aquela conversa dos catadores tão instrutiva que saí de perto deles com a cabeça devidamente mudada sobre o tipo de gente que cata latinhas, e agora sinto-me abalizado para considerar que não se trata de tabaréus ignorantes e burros, covardemente roubados pelos receptadores, mas convencido de que dependendo da conjuntura política internacional, podem até influenciar na política de preços locais, justamente por se tratar de pessoas esclarecidas e capazes de entender as relações sociais e a economia política em que estão inseridos.

Antonio Cabral Filho
Rio de Janeiro - RJ/Brasil
letrastaquarenses.blogspot.com.br
antoniocabralfilho.blogspot.com.br


ACF nasceu em Jampruca, ex distrito do município de Frei Inocêncio - MG, aos 13 de agosto de 1953, é tecnico em contabilidade, promotor cultural, radialista, escritor e poeta com 15 obras publicadas solo e 70 coletivas.Promove o Concurso Antologias 100, já na 4ª edição com o tema rapariga.

 
 

 

António Justo

 
 

DIA MUNDIAL DA LÍNGUA MATERNA - UM PATRIMÓNIO CULTURAL A DEFENDER
Em vez do português erudito fomenta-se o português macarrónico
Por António Justo


21 de Fevereiro é o Dia Internacional da Língua Materna. Foi proclamado pela UNESCO como memorial para "promover a diversidade e o multilinguismo linguística e cultural".
Segundo a UNESCO metade das línguas maternas encontram-se em risco de desaparecer (entre elas o Bretão, Quechua e Nahuatl). Com este dia pretende-se promover a consciência das tradições linguísticas e culturais. A visibilidade de um espaço cultural manifesta-se através da língua multicultural.

Especialmente nos países da lusofonia há que ter isto em consideração. A protecção dos falares indígenas e das tribos não deve porém substituir o português como língua de comunicação nacional e internacional. Importante manter uma relação equilibrada entre os interesses regionais e o interesse da identidade nacional que se expressa numa língua de comunicação para todos.
Fazer uma coisa não implica deixar de fazer a outra (Unum facere et alium non omittere). No contexto importa recordar o lema latino “E pluribus unum” (fazer de muitos um/unidade na diversidade); este lema fez dos EUA o país que é hoje. Sem integração não há unidade orgânica.
O idioma deve reflectir, pelo menos nalguma de suas partes, a herança cultural do todo e do particular, como memória viva a gerar futuro.
Tanto uma olhadela sobre o Português da expressão diária como sobre a política da língua não permite grande satisfação a todos os falantes lusófonos. Tem-se implementado o empobrecimento da língua com uma reforma ortográfica que na ortografia não favorece a multiplicidade (exemplo: faz das palavras facto e fato uma só palavra (fato) para numa só designar dois conceitos. O português do brasil tem-se afastado das línguas de origem latina europeia ( e deste modo contrariado o desenvolvimento diferenciador) reduzindo o emprego das pessoas gramaticais (no sentido de indiferenciação empobrecedora). As línguas europeias de origem latina mantêm o alto nível da língua na sua diferenciação mantendo as três pessoas gramaticais do singular e do plural: eu, tu, ele-ela, (você, a gente) e nós, vós eles-elas, (vocês) orientando-se não pela excelência e não por uma língua de caracter macarrónico.
Por outro lado há demasiados anglicanismos bárbaros empregados no português sem o conveniente aportuguesamento.
Nos média sociais ( facebook) espalha-se cada vez mais uma comunicação abreviada e simplicista de modo que muitos, com o tempo, chegarão a não conseguirão escrever uma carta em português correcto.
Do mesmo problema queixam-se professores universitários que constatam em muitos alunos grandes défices na expressa do português.
Há também cadeias de empresas que já não se preocupam em traduzir os nomes dos produtos para as línguas onde os vendem.
Na França implementaram-se medidas para defesa e enriquecimento da língua. Em 1994 a França proibiu conceitos Inglês procurando traduzi-los. Cada conceito introduzido na língua materna de maneira a respeitar o espírito da língua constitui um enriquecimento não abusivo para a língua.
A língua é um organismo vivo e como tal aberta ao novo mas deve ser respeitada sem ser violada; para isso há também nichos de grupos étnicos, estudantis, estrangeiros, regionalismos dialectos, etc.
Infelizmente o governo pretende diminuir o ensino da língua materna em favor de disciplinas sociais.

(1) Coloco aqui os links de alguns artigosque publiquei referentes ao assunto: Cometem-se barabaridades contra a língua portuguesa numa tentativa populista de valorizar o analfabetismo:

 http://www.mundolusiada.com.br/artigos/barbaridades-contra-a-lingua-portuguesa/
Hora da lusofonia: http://www.uaisites.adm.br/iclas/pagina_ver.php?CdNotici=206&Pagina=Opiniao
Acordo ortográfico segue a via popular: http://antonio-justo.eu/?p=2190
Português para todos: http://macua.blogs.com/moambique_para_todos/2016/12/o-portugu%C3%AAs-deixa-de-ser-l%C3%ADngua-oficial-em-cabo-verde-que-futuro-para-timor-leste.html
MEC brasileiro pretende acabar com a obrigatoriedade da Literatura portuguesa: de Cavalo para Burro?:
http://agostinhodasilva.blogtok.com/menu/6/42434/


António da Cunha Duarte Justo - Portugal
em Kessel - Alemanha
Pegadas do Tempo - http://antonio-justo.eu

 

 

Antonio Paiva Rodrigues

 
 

O DIA DO JORNALISTA
Por Antonio Paiva Rodrigues


A profissão de jornalista é muito desgastante e de muita responsabilidade. Uma palavra que têm uma bela sinonímia, a ética o jornalista deve abraçá-la de vez, já nos bancos da instituição acadêmica. Jornalismo se faz por amor e com responsabilidade. Jornalista é a pessoa ou profissional que exerce atividade jornalística como redator, repórter, fotógrafo, editor, apresentador entre outras. O jornalista deve ser eclético, visto que a profissão exige isso do profissional. Ele tem que ser clínico geral, já que a área do jornalismo é vasta. O dia do jornalista já foi comemorado em várias datas. No dia 24 de janeiro por ocasião da data do padroeiro da profissão, São Francisco de Sales (bispo e doutor da Igreja Católica) para homenagear os profissionais do jornalismo.
O dia 29 de janeiro tem uma particularidade e faz parte da história do Brasil, a data, de longe, mais citada nos calendários comemorativos brasileiros, mas ao mesmo tempo, a que menos tem referências à sua criação. As informações vão desde uma homenagem ao jornalista e abolicionista José do Patrocínio falecido em 1905, até se tornando uma data eminentemente católica. No dia 16 de abril comemora-se o dia do repórter como na definição acima, trata-se de um profissional do jornalismo, por tabela poderíamos afirmar ser dia do jornalista também. Lá pelos idos de 1830 quando do assassinato de um jornalista no mês de abril do citado ano - foi instituído pela Associação Brasileira de Imprensa o dia do jornalista em homenagem a João Batista Líbero Badaró, médico e jornalista, que morreu assassinado por inimigos políticos, em São Paulo, em 22 de novembro de 1830. Com essas informações o dia do jornalista fica assoberbado por diversas e diferentes nuances. Essa cronologia para que fique guardada em nossas memórias tiveram aspectos históricos e importantes para culminar com um dia certo para homenagem ao jornalista brasileiro.
Vejam: O movimento popular gerado por sua morte levou à abdicação de D. Pedro I, no dia 7 de abril de 1831. Um século depois, em 1931, em homenagem a esse acontecimento, o dia 7 de abril foi instituído como o “Dia do Jornalista”. Seguindo a via-crúcis mais uma data modificou novamente o cenário de comemorações. 03 de maio - pode ser considerado o Dia do Jornalista por ser a data da Liberdade de Imprensa, decretada pela ONU em 1993. Não terminou aí a indecisão e a data propícia para homenagear o homem da mídia e da imprensa. Em data a posteriori mais precisamente em 01 de junho – Dia da Imprensa que durante 192 anos foi comemorado, erroneamente, em 10 de setembro (atribuía-se à Gazeta do Rio de Janeiro, jornal oficial do Império, ser o primeiro jornal brasileiro). No Brasil, a Imprensa surge em 1808, quando passou a circular, em 1º de junho, o “Correio Braziliense”, editado em Londres por Hipólito José da Costa Pereira Furtado de Mendonça. A jornalista Daniela Bertocchi afirma que existe o dia mundial do jornalista, Levando-se em conta o maior número de pessoas comemorando, o dia 8 de novembro que seria o dia oficial, em que 1,3 bilhões de chineses comemoram a data. Nos EUA, o dia do jornalista é comemorado em 8 de agosto e mais datas surgem em pesquisas em outros países. No Brasil, pátria amada, idolatrada pergunta-se por que o dia 7 de abril?
O Dia do Jornalista é comemorado no Brasil no dia 7 de abril, em homenagem a João Batista Líbero Badaró, médico e jornalista, brasileiro de origem italiana, que morreu assassinado por inimigos políticos, em São Paulo, no dia 7 de abril de 1830, durante uma passeata de estudantes em comemoração aos ideais libertários da Revolução Francesa, como foi citado antes e nas entrelinhas dessa matéria. Já o dia Nacional de Luta em defesa do Diploma iniciou-se no I Congresso Brasileiro de Jornalistas, em 1918, no Rio de Janeiro, quando pela primeira vez foi reivindicado o estabelecimento de um curso específico de nível superior para a profissão. “Desde então, os jornalistas brasileiros vêm lutando pelo direito a uma regulamentação que garanta o mínimo de qualificação profissional àqueles que pretendam trabalhar como jornalistas.” Vejam que a batalha é ferrenha e antiga pelos ideais do jornalismo ser exercido por profissionais possuidores de curso superior, ou mesmo aqueles que tiveram o direito adquirido pela vasta colaboração que deram à imprensa de ontem e de hoje no Brasil. Aproveitamos o dia de hoje para desejar sucesso a todos os jornalistas do Ceará e do Brasil e que a luta em prol dos direitos do jornalista continue, apesar de diversas atribuições destinadas a profissionais do jornalismo tenham sido tolhidas. E que as empresas jornalísticas possam dar aquilo que é mais do que sagrado, a assinatura da carteira profissional como jornalista e não radialista. Nada contra nossos companheiros que fazem à mídia falada que também tem sua importância fundamental para o público mais carente e menos privilegiado e para aqueles que realmente adoram o rádio desde sua inserção no Brasil

Antônio Paiva Rodrigues
Fortaleza - Ceará - Brasil


Antonio Paiva Rodrigues é Radialista, Jornalista com Curso Superior, Poeta, Escritor, formado em Administração (Gestor de Empresas), Bacharel em Segurança Pública, tenho livros publicados, Espírita praticante, Mestrando em telejornalismo, Coronel PM R/R, Acadêmico de Letras e Membro da Associação Cearense de Imprensa (ACI) e da AOUVIR/CE (Associação dos Ouvintes de Rádio do Ceará).

 

 

Arnaldo Leodegário Pereira

 
 

Dia Internacional da Mulher - 08 de Março
Por Arnaldo Leodegário Pereira


NÃO! Não vamos falar de violência, pelo menos hoje não!
Hoje vamos falar de ascensão da mulher, seus avanços, suas conquistas e os passos caminhados em direção a uma nova era, uma era de conquistas, - no sentido de ocupar um lugar de destaque, um lugar digno e merecido na sociedade. Um lugar que sempre lhe foi negado. Até mesmo as sociedades mais tradicionalistas e fechadas estão reconhecendo os direitos, e por consequência o valor da mulher. Estão devolvendo-lhe seus direitos para que ela os exerça com dignidade e altivez.
Hoje é um dia para falar de reconhecimento e gratidão à mulher Esposa Mãe, Irmã, Médica, Psicóloga, Enfermeira, Parteira,... Generosa, Do lar, Camponesa. Administradora, Engenheira,.. Marinheira,... Advogada, Cozinheira, Radialista, Atriz, Juíza,.. Camareira, (Mulher Policial).
Mulher Rendeira,... Seringueira,..
Demorou muitos séculos, mas a mulher conquistou seu espaço, seu lugar em uma sociedade machista que exerce o domínio desde a pré-história. Porém, temos que reconhecer que ainda não é tudo, há ainda um longo caminho a ser percorrido para que se chegue ao ideal. A Mulher já ocupa posições e cargos importantes sem perder sua feminilidade, sua meiguice, seu charme e elegância.
Deve-se reconhecer que apesar de todos avanços,??? Nesse mundo globalizado somos “bombardeados” a todo momento, com notícias de todas as partes, dando conta de maus tratos, violência, discriminação, e toda sorte de abusos cometidos contra a mulher. Essa infelizmente é uma realidade da qual não se pode fugir, - mas por outro lado reconhecemos que a mulher está em um momento de muitas conquistas, e isso é uma grande evolução se comparado ao que foi em tempos idos.
Mulher: Governadora, Presidente (A), Prefeita,... Mulher cativante!
Mulher: Delegada,... Piloto (A) de avião... Comandante de polícia,.. Mãe leoa...
Mulher: Mecânica,... Ministra e Secretária de Estado,.. Mulher Escritora,... Jornalista,..
Mulher: Caminhoneira,... Motorista de ônibus,.. Promotora,...
... Essa mulher não é mais aquela que ocupava um lugar inferior na sociedade. Essa Mulher agora Comanda... Manda!... Dirige!... Está à Frente!... Ocupando Postos de Vanguarda... Não é mais aquela mulher que entrava pela porta de serviços... só para a cozinha... Sem a mulher o mundo seria um deserto! Onde há a presença feminina, há um muito ou um todo da presença de Deus!
Mulher Comandante!... Mulher General!... Mulher Deputada!...Mulher Presidente Federal!...
Mulher Mãe Defensora,.. Primeira Ministra... Mulher Astronauta,... Mulher que sabe com meiguice e gentileza dar um basta!!! Tomar as rédeas e o comando assumir!...
... É desta Mulher que estamos falando hoje... Mulher Mãe Dedicada...
Mulher!... Apesar do mundo, da sociedade, e da (violência), (Mulher Companheira), Mulher (Esposa e Amante). Professora, Orientadora, Conselheira,”GUERREIRA”,
Empreendedora, Profissional Liberal...
Um dia é muito pouco. A Mulher deveria ser homenageada todos os dias do ano.
Parabéns Rainha Mulher! Parabéns Deusa Mulher!
Parabéns Princesa Menina, Fada Mulher!
Hoje, o comando é seu,.. Assim o é, já há algum tempo. Já és liberta do jugo de uma sociedade que a via como cidadã de segunda ou terceira categoria. Já tens o comando em tuas delicadas mãos para dirigir vossas vidas e porque não as dos demais? Não só pelo comando em si, mas sim pela condição de igualdade perante todos os demais!

(Este texto está registrado no Escritório de Direitos Autorais, e protegido pela lei 9.610/1998. RJ.)

Arnaldo Leodegário Pereira
Campo Grande - Mato Grosso do Sul – Brasil


Formado em Letras pela Universidade Católica Dom Bosco. Campo Grande Mato Grosso do Sul Brasil. - Várias campanhas de utilidade pública: - Campanha para Doação de livros; - para Doação de Sangue: - para doação de livros escritos em português para a Biblioteca Lorosae em TIMOR LESTE: - Participei de 09 antologias.
"PROJETO LUZES PARA O NORDESTE". Certificado de: "AMIGO DA PAZ E DAS CAUSAS SOCIAIS" outorgado pelo COMITÊ MUNDIAL DA PAZ. Brasília DF, em 02/09/2014. Acadêmico correspondente da A L G, Academia de Letras e Artes de Goiás Velho, 2013. Acadêmico Imortal pela ACLAV, Academia de Ciências, Letras e Artes de Vitória E S. 2014. Indicação para o prêmio (Melhores Poetas Luso Brasileiros 2014), - no Rio de Janeiro no dia 08/02/2014. Estou em "O MAIOR POEMA" a cor que o meu mundo traz. 2ª parte nº 63. Delegado Cultural em Campo Grande MS, pelo Movimento União Cultural.

 

 

Aurea Abensur (Orinho)

 
 

EU
Aurea Abensur (Orinho)

Perpetuar,
momentos felizes com
toda simplicidade desejarei!
Emanar,
o sagrado sopro da vida
com toda dignidade ansiarei!
Amar,
com toda a intensidade de cada átomo
do meu ser eternamente o farei!

Salvador, em tempo............

Aurea Abensur (Orinho)
Salvador - Brasil