OUTUBRO de 2017

Ano VIII - Número XLIX

 
 
 
 

Dara Mendes

 
 

AMOR SEM FIM
Dara Mendes

Foi com nuvens muito escuras
E também muito pesadas
Que ao caminhar pelas ruas
Te encontrei em uma calçada.
Não foi ao acaso, foi combinado
Algo só pra passar o tempo
Nós dois nem estávamos ligados
Com o que poderia surgir com aquele momento.
Entre raios e trovões
Notei algo em seus olhos
Além do nossos corações
Naquele hora nossas bocas se juntavam.
Gotas de chuva caiam
E concentrados um no outro estávamos
Enquanto todos ali fugiam
Nossas almas se encontravam.
Lembro como se fosse ontem
Do guarda chuva preto que nos rodeava
Dizem que chuva a alma lava
Mas naquele dia não foi assim
Da chuva nasceu nosso amor
Um amor que não terá fim
Assim como essas rimas
Que acabará assim
Sem fim.
Fim.

Dara Mendes
Mogi das Cruzes – SP - Brasil

Nascida na cidade de Mogi das Cruzes, no estado de São Paulo, em 25 de Maio de 1998. Cursa o 4º semestre de Logística na Universidade de Mogi das Cruzes, mas sonha em cursar Letras após o término do mesmo. Atualmente sendo somente estudante, tem como atividades prazerosas a leitura e a escrita.

 
 
 
 
 

Dayvton Almeida (O Ser Poeta)

 
 


A morte nada mas é que a primeira
passagem marcada assim que chegamos
na estação da vida.

Dayvton Almeida (O Ser Poeta)
Cidade Do Moreno - Brasil

Autor, radialista, ator e diretor de teatro. Nasceu no Bairro de Casa Amarela, em Recife, mora atualmente na cidade do Moreno, onde é membro fundador da Academia Morenense de Letras e Artes (AMLA) e correspondente da Academia Luminescência Brasileira .
É estudante de Psicologia, com dez livros publicados pelas Editoras Clube de Autores, Poesias Escolhidas e SANTmel
Em comemoração aos seus vinte anos trabalhando com as artes foi o homenageado no carnaval morenense de 2014.

 
 
 
 
 

Deby Veneziano

 
 

ALMA PERFUMADA
Deby Veneziano

Ela encontrou flores no caminho,
que suavizaram sua passagem.
Havia flores, em toda sua caminhada.
Ela tinha sim, a alma toda decorada.
Seu corpo exalava aromas,
de uma alma perfumada!

Deby Veneziano
São Paulo-SP
https://poesiaemfotografia.wordpress.com
https://www.instagram.com/debyveneziano
www.facebook.com/debyveneziano

 
 
 
 
 

Decio Romano

 
 

NÃO ENTENDO AS LUAS
Decio Romano

Não entendo as luas
Nem as fases suas.

Só entendo olhares
E os seus luares.

O brilho crescente
Na aurora, poente,

Desfaz a minguante
A todo instante.

A mais nova lua
É a meiguice sua.

Decio Romano
Curitiba - Brasil

Iniciou nas letras publicando em jornais de Curitiba, na década de 80, onde mora. Jornalista e poeta atuante com seis livros editados. Participa de movimentos poéticos como autor e pesquisador. Suas obras mais expressivas são: Rua das flores, 2010; Sayonara, contos, 2013 e Poema voluntário, 2014.