ABRIL de 2018

Ano VIII - Número LI

 
 

Teresinka Pereira

 
 

O CÉU
Teresinka Pereira

Desde quando
acreditamos no céu
como futuro espiritual?
O céu ainda é romântico
para os amantes e poetas,
e põe provas da nossa
ignorância. Mas a verdade
é que o céu é o caminho
dos vôos interplanetários
e dos aligenígenas
que virão à Terra
para descobrir
os seres humanos.

Teresinka Pereira,IWA - Brasil
em Toledo - Ohio - USA


Presidente do IWA - International Writers and Artists Association - IWA, Toledo, Ohio/USA

 
 

 

There Válio

 
 

AS LIMITAÇÕES (Prosa poética)
There Válio

Num mundo controverso vivemos...
Limitações existem em atos e formas
Vencê-las carece ser forte e ter fé
Nem todos conseguem esse bem.
Pessoas normais se sentem inválidas
Entregam-se na vida sem nunca lutar
Tristeza e conformismo... a sua cartilha.
Outras nascidas pra uma vida frustrada,
Espelham uma forma de vida apequenada,
Mas lutam e resistem nas suas agruras...
Mostrando ao mundo seus méritos na vida.
Foi muita luta pra vencer preconceitos...
Mostrando ao mundo que é um ser perfeito,
Trabalha, estuda e as demais ocupações,
Vivendo normalmente como todo ser humano.
O mundo é cruel e a ignorância é uma trava
E a exclusão social é mais uma batalha a vencer.
Mas temos inúmeros exemplos na história...
E o tempo presente demonstra seu valor,
Vencendo seus medos e suas deficiências.
Devemos refletir sobre nossos valores...
De não ter a garra e a vontade ferrenha,
Desses seres humanos perfeitos na alma,
Num mundo onde falta um olhar mais ameno
Naquele irmão ante o qual sentimos,
A vergonha de sermos tão pequenos...
Ante a grandeza desses seres tão valiosos...
Preferidos por Deus com toda a certeza,
Mostrando que na vida ”Querer é Poder”
Vivendo em paz, se adaptando...
Na forma que a vida os acolheu.

There Válio
Pilar do Sul - São Paulo - Brasil


Therezinha Aparecida Válio Corrêa, (There Valio), nascida em Pilar do Sul/SP. Coautora em várias antologias e coletâneas e tcoletâneas de história infantil. Também é autora do livro “O Amuleto do Casarão Amarelo”, editado em 2016. É membro do site dos Poetas Del Mundo, e também participa do site Recanto das Letras. É membro efetivo da APOLO-Academia Poçoense de Letras e Artes, de Poções, Bahia, onde é titular da cadeira de número 26. Atualmente é membro do Clube Literário e Artístico Nascente das Águas de Pilar do Sul (CLANA membro da Literarte-Associação Internacional de Escritores e Artistas e da PEAPAZ (Poetas e Escritores do Amor e da Paz).

 
 

 

António Barroso - Tiago

 
 

AMORES DE VERÃO
António Barroso (Tiago)

Tardes de estio do meu Alentejo
Com moças belas, na rua, passando,
Vagos olhares, rubor de desejo,
E no meu coração as ia guardando.

E iam, e vinham, se tinham ensejo,
E eu, mudo e quedo, amava-as, olhando
O ar furtivo que me atirava um beijo
Perdido nas pedras que iam pisando.

E na tarde morna, cálida, amena,
Nasciam amores cheios de pena
P’los que morriam no mesmo momento,

Ao ver as moças passando, maldosas,
Co’o lenço escondendo as faces de rosas
E risos enchendo o meu pensamento.

In: http://www.carmovasconcelos-fenix.org/Escritores/ANTONIO_BARROSO/Antonio_Jose_Barradas_Barroso-1.htm


António Barroso (Tiago)
Parede - Portugal


António Barroso (Tiago), grande poeta português, nascido en Vila Viçosa, terra-mãe de Florbela Espanca, dir-se-ia ter herdado o espírito poético latente nessa atmosfera alentejana, tendo já obtido inúmeros prémios, desde primeiros até menções honrosas, em Portugal, Brasil, Itália e República Dominicana, para além de poemas em centenas de cirandas e antologias.
Por convite, que muito lhe honrou e aceitou, é membro correspondente da Academia Cachoeirense de Letras, em Cachoeiro do Itapemirim; Academia Rio-Grandina de Letras em Rio Grande e sócio do Clube dos Poetas Livres, em Florianópolis, e, ainda, membro da AVSPE – Academia Virtual Sala de Poetas e Escritores; “(todos no Brasil. ) Também, de "Os Confrades da Poesia” – Amora / Portugal; também associado do Clube da Simpatia, em Olhão. Colabora no Boletim da Associação dos Pupilos do Exército, na Revista Virtual Eisfluências (Portugal/Brasil), na Revista Ventos do Sul, no Brasil e do jornal "Agora" de Porto Alegre, Brasil.

 
 

 

Tiago Emílio Rosado

 
 

 GOTA
Tiago Emílio Rosado

Gota de chuva luminocente
Reluzia quase indecente
Tão bela caia
Do céu que si dizia
Menino brincalhão
Lembrando da menina na multidão

Homem menino
Menino homem
De faces escavadas
Pelas dores ainda a serem ultrapassdas
Lembra do ontem
Pensando hoje
Si preparando as vezes inseguro para o amanhã
Com medo
Mas sempre seu fã

Desta tristeza
Desta destreza
Olha a testa
E atesta
O tempo passou
As vezes triste escondido chorou
Mas sorriu
Quando viu
O mundo não acabou
E logo a dor aos poucos acerenou

Ele si levanta um tanto honesto
Com um sorrizo discreto
Daquela semi melancolia
Dizendo para si
Está tudo bem só não desista de si
Amigo
Você sabe que não está vencido
Então peça a si mesmo
Liderando a si mesmo
Viva
Muito mais que sobreviva
Indo além
Deste momento em que si senti aquém
E logo estará lá
Tão perto de la
E simplesmente saberá
Você era um sabia.

Tiago Emílio Rosado
Itanhaem - São Paulo - Brasil


Artista plástico,poeta,praticante amador de artes marciais,praticante de kardecismo .