Ago de 2014

Ano IV - Número XXX

 

 

CONVIDADO DO MÊS

 

 

Carmen Lucia Hussein

Poeta e professora universitária de Psicologia. É  Mestre e Doutora e tem um estágio de pós-doutorado nesta área no IPUSP. Publicou vários livros e artigos em revistas neste tema. Recebeu 5 distinções internacionais pela sua vida profissional. Tem afinidade com a poesia. Publicou cerca de 1000 poesias.
Ganhou vários prêmios, condecorações, concursos nacionais e alguns internacionais. Tem 90  Antologias sendo que 25 delas  estão divulgadas no exterior  em português, espanhol, francês e holandês. Tem ainda 19 livros de Poesias, sendo que 5 deles divulgados no exterior em português, espanhol, inglês e alemão.Ela nasceu em Taubaté,e hoje mora em São Paulo. O site é
www.carmenluciahussein.com.br . A sua obra está no site--www.livrariacultura.com.br.

 
Algumas publicações
 

Leitura Critica e Criativa

 

A manhã daquele dia

 

Meditações

 

O Fluxo do Tempo

         

O verão daquele ano

 

Poemas contemplativos

 

 Um novo horizonte

 

Sobre a Poesia
Por Carmen Lúcia Hussein


Foram desenvolvidas algumas considerações sobre a poesia que poderá trazer algum esclarecimento aos poetas. A autora não pretendeu esgotar o tema e, sim tecer aqui reflexões sobre este tema , que pretende ser amplo e não restrito a alguns poetas.
O poeta Carlos Drummond de Andrade, faz reflexões sobre a poesia, quando afirma” acreditar com o mesmo fervor na beleza da palavra e. no texto elaborado com arte”. Assim, ele considera “que aprendeu a gostar da literatura através do entusiasmo que ela nos provoca ao nos depararmos com o texto bem escrito.” Este autor parece enfatizar a estética e a beleza na criação poética. Do mesmo modo, além da autora, Gioconda Labecca, Luís Carlos Martins e Mário Scherer destacam este aspecto salientado por Drummond de Andrade.
Também Scherer fez considerações em 1998, que aqui serão apresentadas quanto a este mesmo aspecto. Ele “afirma” que há quem busque respostas para a vida quando os poetas estão em busca da beleza escondida.” “Continua que “essa beleza- a poesia- sempre etérea, fugidia, delicada como a chuva que forma o arco-íris, mostra-se apenas para aqueles que, verdadeiramente a amam.”.
O escritor acima diz: “que para os poetas a beleza encontra-se em tudo!” Assim considera que a maioria das pessoas está presa no emaranhado de criar e resolver pequenas questões para as quais dá tanta importância e também a solução imediata das necessidades básicas, e o fazem com certa solenidade.” Já os poetas escutam –distanciados- a voz dos ventos, que lhes trazem a mensagem da poesia.”
Deve- se acrescentar que, o poeta Ferreira Gullar afirma que “A poesia é um difícil ofício de expressar a vida, naquilo que ela tem de belo e dramático”. “Ainda, o escritor Cipro Neto “diz: que” os poetas são seres enviados por Deus para traduzirem a alma humana”. Portanto, parece que o primeiro autor enfatiza a inspiração dos poetas, que se dá através da experiência e vivência da pessoa quanto aos seus dramas, as questões culturais e ao meio. Já o segundo acha relevante para a criação expressar aspectos religiosos e psicológicos. Desta forma, Carmen Lúcia Hussein e Gioconda Labecca realçam em suas poesias quase os mesmos aspectos apontados nas reflexões destes autores.
Uma obra que muito influenciou esta poeta quando jovem , várias vezes relidas, foi “Cartas a um jovem poeta”, de Rainer Maria Rilke. Segundo ele, “uma obra de arte é boa quando nasceu por necessidade”. O poeta aconselha “a entrar em si e examinar as profundidades de onde jorra a sua vida e também que o criador deve ser um mundo para si mesmo e, encontrar tudo em si e, nessa natureza a que se aliou” Ainda, a autora deste texto coloca como essencial, o aspecto psicológico, que pode levar ao autoconhecimento e a uma vida interior mais rica, que Rilke considera importante na criação poética. Assim, ele expressa na sua obra poética emoções, desejos, necessidades e valores pessoais. Desta forma, a autora e Labecca o fazem na elaboração dos seus poemas.
Deste modo, Scherer indica “algumas emoções sentidas pelos poetas, que podem inspirá-los. “Por eles possuírem esse dom de ouvir a mensagem que chega do alto, os poetas seres especiais, podem, facilmente transformar lágrimas em poemas, saudade em belas rimas, amores em cores, o maior dos sofrimentos em páginas inesquecíveis”. Assim “eles denunciam as injustiças sociais, emocionando aqueles que permaneciam indiferentes aos sofrimentos de seus irmãos menos afortunados. Afirma”que a poesia, além de entreter, nos emocionar, nos engrandece como seres humanos”.
Nesse sentido, a poeta Labecca expressa “obras líricas, singelas, espontâneas e simples”. Deste modo, Mário Quintana fala que poucos poetas conseguem alcançar a simplicidade na sua obra. Esta escritora “é melódica no ritmo dos seus versos, que transmitem o que ela pensa , sente e expressam suas emoções e sentimentos” .Desta forma, Labecca “canta o amor e a solidariedade e faz críticas sociais nos seus poemas”.
As poesias da autora deste texto são baseadas nas suas experiências de vida e realidade que a circundam. Elas expressam o que a poeta vê, sente e pensa. Assim, Scherer e Labecca afirmam que “os seus poemas têm uma forma lírica, singela, simples e melódica”. Também, Martins coloca “que os seus versos podem, sem qualquer restrição, serem classificados como “verdadeira poesia”. E ainda, Dulce Helena Batista dos Santos diz que ela” trata de temas nobres e profundos da vida.” A poesia é para a autora do texto uma forma de expressar as emoções e sentimentos, o encanto e a delicadeza das palavras , buscando o sentido absoluto da vida.
Um aspecto enfatizado por Drummond de Andrade é que “a poesia, como outras artes, é um grande bálsamo na vida e leva o ser humano a superar a fragilidade da situação que o limita”. Neste sentido, a escritora Maria Aparecida Ribeiro Almeida “entende a poesia como um processo alquímico, no qual elementos pesados como o chumbo, quando submetidos a misteriosos procedimentos, transformam-se em ouro puro. Da mesma forma, poetas podem, conseguir transcender suas dores e dificuldades, criando palavras pepitas que, buriladas pelas vicissitudes, transformam-se em joias preciosas.”
Outra consideração é a da poetisa Cecília Meireles que escreve no prefácio do livro de Rilke: “as respostas deste poeta não oferecem uma receita literária,, embora digam coisas essenciais sobre o exercício da literatura”.” Vão mais longe: tratam da formação humana, base de toda criação artística”. Assim, acrescenta-se, que para formar a poeta a educação dada pelos pais e escolas deveriam levar a criança e o jovem a apreciar o belo e a poesia no cotidiano. Além disso, o jovem poeta deveria cultivar a apreciação do belo, do simples, da harmonia e do profundo na existência, para expressá-los nos seus poemas. Deste modo, a autora deste texto concorda com Scherer quando coloca que “o poeta vê a beleza, e nela encontra poesia, traduz esta em um poema” E também quando ele diz que “ poemas fazem poetas e poeta se faz.”
Rilke serve como referência a autora deste texto e por isso ela passa os conselhos ao jovem que quer se iniciar na poesia resumidos por Cecília Meireles: “escrever só por absoluta necessidade, evitar formas comuns, escolher sugestões oferecidas pelo ambiente, não dar importância aos críticos, não ler tratados de estilo”. “O resto é muito mais importante, uma vez que a parte formal de arte acaba sempre por se realizar, quando atrás dela há uma imposição total de vida transbordante”.” Por isso, aplica-se a valorizar aos olhos do jovem poeta, a necessidade de um mundo interior; de um gosto da solidão constante e inteligente; de uma visão diversa do amor, de uma ternura pela natureza; de uma paciência interminável; de uma aceitação de todas as dificuldades” Parece que a orientação dada por Rilke poderia incentivar a apreciação e o cultivo da vida interior, dos valores e da visão de mundo, que seriam expressos nos poemas. E também, considera-se necessária mais reflexão sobre as sugestões acima dadas por Rilke e Scherer.
Pode-se dizer, que é comum as pessoas no mundo atual caírem no ativismo e correrem muito e terem uma vida superficial e vazia. Assim, considera-se que a poesia nos faz lembrar que temos espiritualidade, religiosidade, alma e sentimentos. E que podemos obter valores mais dignos da vida, como o amor e a solidariedade, a beleza, o bem, a justiça, a verdade e a liberdade. O poeta nos traz vários ângulos da existência e, nos mostra a importância do sentido dela. A poesia nos leva a refletir, a contemplar, a meditar, e a dar um maior significado ao existir.
Conclui-se, que, os poetas aqui arrolados apresentam diferentes considerações sobre esta obra. Também, acho que na atualidade há uma diversidade de temática nas poesias, que mostram ângulos variados da existência e, a expressão da alma nas suas diversas facetas. Esta tendência, desse modo, indica que os poemas expressos pelos poetas são criativos, já que eles devem ser originais, flexíveis e ricos de temáticas, com sonoridade melódica no ritmo dos seus versos. Todavia, a grande amplitude temática da poesia em nosso meio pode aumentar a complexidade da criação e a avaliação deste gênero literário e, ainda a organização de livros e antologias poéticas.
Finalmente, elaborar considerações sobre a poesia é uma tarefa difícil e complexa. Parece haver a necessidade de haver mais reflexões a respeito. Sugerem- se trabalhos posteriores sobre o tema que, incluam outros poetas, por aqueles que gostam e apreciam a literatura.


Bibliografia
Carmen Lúcia Hussein- Sua obra poética publicada pela Shan Editores e CBJE, de 2006 a 2013.
Cipro Neto- crônica publicada na Folha de São Paulo em 2010.
Drummond Andrade, Carlos-“Antologia Poética”,1997.
Ferreira Gullar-“Toda poesia “.José Olympio Editora.: 2010.
Gioconda Labecca,” Sonetos”, São Paulo: Edição do autor, 2003.
Rilke,R.M- “Cartas de um Jovem poeta”,2011.
Rilke, R. M.-“ A melodia das coisas: contos, ensaios, cartas”. São Paulo: Estação Liberdade.
Scherer, Mario- Prefácio da “ Antologia Brasileira Poética”..Shan Editores: 1998.
Contribuições de alguns escritores sobre o tema
Dulce Helena Batista dos Santos, poeta e filósofa .
José Pinto,poeta, fotógrafo e jornalista.
Luís Carlos Martins, escritor, editor e jornalista .
Maria Aparecida Ribeiro Almeida, escritora, pintora e historiadora.
Rita Hipólito Giordano Amaro, poeta, pintora e professora de português.
Thereza de Oliveira Tripodi, poeta e mãe da autora do texto.
Pode-se ver os poemas em:
www.carmenluciahussein.com.br
www.carmenhussein.blogspot.com.br
Os livros encontram- se a venda na Livraria Cultura. 
 

Poesias

 

A MALA VELHA
Carmen Lucia Hussein

Procuro na mala velha
Que está no sótão
O amor
A saudade
A felicidade
A flor que não murcha
O seu retrato
As velhas cartas de amor
Os velhos poemas de amor
Procuro uma canção na velha mala
Que está no sótão.

Carmen Lucia Hussein

in:Passagens de Vida

 

  TEMPO PRESENTE
Carmen Lucia Hussein

Que tempo são os de hoje?
Cheios de guerra
Ódio
Violência
Competição
Individualismo
Sem espaço para o amor
E as pessoas não sabem amar
Serem cooperativas
Fraternas
E solidárias
Que tempos são os de hoje
Que as pessoas não aprendem a amar?

Carmen Lucia Hussein

in:Passagens de Vida

     

APENAS
Carmen Lucia Hussein


Basta a sua existência
Não preciso tê-lo
Basta a sua lembrança
As suas palavras
E boas atitudes
Para eu ser feliz
Ter esperança na vida
E energia para prosseguir
Amenizar a saudade
E dar rumo
E norte ao meu existir
Basta a sua existência
Não preciso tê-lo
Basta a sua lembrança
De momentos breves de felicidade
Para eu ser feliz!

Carmen Lucia Hussein

in:Passagens de Vida

  O MISTÉRIO
Carmen Lucia Hussein


Tenho um sonho
E uma estrela para alcançar!
Que me ajudam a lidar com a vida
E com a imaginação e a fantasia
Tenho o divino
Para lidar com os mistérios
E a adversidade
Se enxergar o mistério
Posso aceitar o futuro
Mesmo que seja incerto
Sei que é a hora certa para mim
Acreditar no mistério divino
E ver algo de bom em tudo na vida
Tenho uma estrela para alcançar!

Carmen Lucia Hussein

in:Contemplação