Dez de 2013

Ano IV - Número XXVI

 

 

 

CONVIDADO DO MÊS

Fahed Daher

Fahed Daher

CONHECER-SE A SI MESMO
Para onde você quer ir? Realmente a base da psicanálise de Freud


Não é um convite para um passeio, ou para uma viagem. Essa pergunta é muito séria, sobre você. Sua vida Fahed !

Quando penso nessa pergunta, me recordo de um diálogo bastante interessante entre Alice e o Gato, num dos capítulos do livro, Alice no País das Maravilhas, de Lewis Carroll:
“ Alice - Poderia me dizer, por favor, qual é o caminho para sair daqui?
Gato - Isso depende muito do lugar para onde você quer ir.
Alice - Não me importa muito onde.
Gato - Nesse caso, não importa por qual caminho você vá.”

Esse pequeno diálogo, sintetiza, de forma simples, a essência de ter uma meta definida. Sem ela, você irá perambular pelo mundo, entre idas e vindas, sem saber ao certo se está se aproximando ou afastando de seu alvo..
Você percebeu a sabedoria do gato?

É assim, se você não conhece bem seus planos, metas, objetivos, qualquer atitude que tomar, será aparentemente a melhor.
Quando você tem, realmente, planos, metas ou objetivos... Quando são claros os caminhos que tem que tomar, os objetivos que tem para sua profissão, as metas que almejar, as decisões que tomar são sempre consistentes, ou pelo menos mais seguras.
Com certeza você faz escolhas melhores em relação aos caminhos a seguir, quando sabe o que quer.
Mas, o que isso tem a ver contigo, Fahed ?
Primeiramente, é um alerta sobre essa era de hiper - conectividade e de senso de urgência em que o mundo vive.
Com isso, o ser humano sofre de um mal perigoso que poderíamos chamar de “A Síndrome do Curto Prazo”.
Os principais sintomas são as ansiedades por resultados imediatos e um desprezo por planejamentos que durem mais que duas semanas. Olha que um mês já é muito tempo.
As pessoas acometidas por esta doença não conseguem ter uma visão do futuro e só enxergam resultados imediatos. Em tudo.
De certa forma para elas, o futuro nem existe.
Temos visto cada vez mais as pessoas juntarem, separarem, casarem, serem demitidas, pedirem demissão, desistirem, continuarem, enfim, agirem olhando o que ganharão naquele instante.
Vivemos dias que palavras médio e longo prazo causam um mal estar.
E é ai que mora o perigo!
Uma época onde tudo parece um tanto “virtual”. Tudo é pra já, descartável. Andar pela vida sem ao menos saber para onde quer ir é se deixar levar pela maré.
A maré leva para onde ela quer. O caminho mais fácil nem sempre é o melhor.


MEDITAÇÃO: - DO QUE ACHO QUE SOU

 Fahed Daher

Conhece-te a ti mesmo (Sócrates) - Conhecer-se a si mesmo (Rótary)
Dar de si sem pensar em si - Ninguém dá do que não tem.


Silêncio cria uma felicidade interior
Que acalma e sustenta.
Diferente da felicidade,
que se procura, que é frenética,
e acaba rapidamente.
Hoje, procure retirar-se para desfrutar
alguns momentos de silêncio.
Se não for possível parar com sua atividade
e ir para um lugar silencioso, lembre-se:
o silêncio começa na mente.
Retire-se das coisas que estão
acontecendo externamente,
observe-se para se conhecer:
Todos nós, desde a infância, acreditamos
ter conhecimentos e capacidades
que se exaltam na adolescência,
são melhor compreendidos
na maturidade ou na velhice.

Quem sou?
Como sou?
Como acham que sou?
Como gostaria de ser?
Como farei para chegar a ser?
Como outros me julgarão?
Como eu gostarei que outros achem que sou?
Quanto influi em mim a opinião dos outros?
Quais meus temores?
Como poderei enfrentar meus temores?
Que recursos tenho para enfrentar?
Que recursos devo buscar?
Em quanto tempo poderei chegar ao meu objetivo?
Meu equilíbrio de segurança depende das aceitações?
Conhecer-se a si mesmo. A base necessária para nosso equilíbrio mental, emocional, das relação com outros ou com a sociedade.
Nossa vida é permanentemente a expectativa de resultados.
Se quisermos resultados especiais precisamos conhecer quais.
Como alcança-los.
Como manter equilíbrio com objetivos, com o trabalho, com a sociedade...
Buscar elementos ou preparar ações para atingi-los, traçando metas de acordo com as dificuldades previstas. Pessimismo ou otimismo?
Nesta busca de se conhecer a si mesmo não podemos esquecer dos aspectos físicos e fisiológicos, como a saúde,a aparência.
Existem fatores mentais que influem nos comportamentos e no alcance do que queremos. Para querer é necessário ter consciência, conhecimento do que se quer, objetivos, fatores orgânicos, de saúde, parte da nossa maneira de ser.
São múltiplos os fatores. “o mau humor é tendência fácil para a ira” Neste mau humor está também base da insegurança, das incertezas por dificuldades ou por incompetência.
Não podemos ficar na inércia de que esta situação possa ser apenas ou somente a má vontade e ou a incompetência para se livrar.
Não esquecer a possibilidade da saúde, fator contestado e negligenciado.
A insegurança que pode se transferir para fatores morais de dizer que é contra injustiças (que não quer ou não pode resolver) ou moralidades & imoralidades ao alcance da sua visão ou conhecimento, fora da sua esfera de atuação por distância, fraqueza ou inoperância...
Observando o comportamento, maneira de agir, reagir, com ressentimentos, raiva, rancor, reprovações, repressões, resistências, recusas especialmente recusas de se integrar nos trabalhos do grupo ou coletividade ao qual pertence, sob pretextos os mais variados.
Analisando se tem tido disposição e ou tem agido ou é tendente a ser sereno, saber das realidades, sorrir, ter o sono tranqüilo, apreciar os sabores, ser solidário, guardar silêncio nos momentos mais oportunos, sorrir, sexo sadio.
Para o sucesso da vida pessoal e ou social observar da disposição para a amizade, aproximação com sabedoria, o apreço, o amor, a auto - estima.
Reconhecer a possível parte negativa em aspecto de desespero (justificado ou imaginário), desolação, desânimo, depressão, desprezo.
Conhecer é compreender, necessário raciocinar em condição de superar as suspeitas, as informações errôneas ao ponto de equilibrar seus conhecimentos e emoções com a realidade.
Não se julgar vaidosamente o dono das “verdades,” aceite diálogos de onde pode receber informações sabendo filtra-las.
A acertada maneira de agir, se conhecendo, não é se retraindo, é se expandindo na modéstia das afirmações, na atenção respeitosa, nos relatos outros. Receber e ofertar simpatia, afeto, colaboração.
Observar em si o caráter, se possessivo? Agressivo> Egoísta? Passivo? Submisso? Sem iniciativa? Liderança?
Na condição de nos conhecermos analisarmos o sentido do dever?
Qual sentido daremos a ele? Apenas como obrigações impostas?
Assumirmos a razão da nossa existência? Convívio fraterno para o bem?
Revelação do amor próprio com a consciência que representamos a participação para a justiça e a ordenação social, superando egoísmos?
Os pais e os educadores são os agentes que dão sentido para a noção do dever, como necessidade imperativa ou regra de comportamento.
Atualmente os meios de comunicação de massa interferem nos destinos dos filhos, muitas vezes pervertendo funções dos pais, da escola, do templo.
Analisemos o dever não como a forma de subordinado, ou simplesmente obediente.
O dever como necessidade de colaborar com a ordem grupal ou social.
Dever na manifestação da ordenação dos filhos, da juventude, das famílias. Não estar ou ser indiferente ou simplesmente crítico. Ser responsável.


COMO SOU?


Agressivo (a)? Possessivo (a)? Imperioso? Submisso? Equilibrado?
Caráter aparentemente normal, porem na raiz cruel, absorvente, tirânico disfarçando atitudes cordiais? Comportamento que poderá se manifestar nas disputas verbais ou de decisões a serem aceitas?
Característico genital, preocupado com conquistas amorosas, variando nos relacionamentos?
Criador, buscando elementos de renovação, imprimindo atividades de criações, melhorias da vida e da comunidade? Obediente aos imperativos do amor, no sentido da criação, do aprimoramento?
Impulsionado pelo sentido do amor que a tudo procura imprimir a idéia e ou a ação criadora de benefícios?
Forma de pretender absorver e englobar nos relacionamentos, nas ações fazendo valer minhas intenções e pretensões?
Tenho bruscas e injustificadas manifestações? Na conquista que pode ser fácil, posso parecer intensamente egocêntrico, capaz de discussões com senas injustificadas?
Presença com medo, aparentando modéstia, fazendo mesmo conquistas e me omitindo ou saindo sem justificativa coerente?
Medroso e rancoroso, faltando força nos desejos e maior impulso criador?
Arrojado, impulsivo de inicio, amortecido a seguir, às vezes sem completar as atividades procuradas?
Criatura que lança sentimentos estimulados pela gula, pelos sabores, sempre preocupado com o que se alimentar e os temperos excitantes?
Influência afrodisíaca especialmente cheia, pelos odores e as atividades de vivência amorosa, pautando pelo gozo? Impressionado pelos fatores intelectuais, ciumento nas observações?

 
MANEIRA DE SER:


POSITIVAS
Serenidade – Silêncio – Sabedoria – Sabor – Sexo – Sono – Sorriso
NEGATIVAS
Ressentimento – Raiva – Rancor – Reprovação – Repressão – Resistências.

CONDUTAS
POSITIVAS : Ânimo – Amor – Apreço – Amizade – Aproximação
NEGATIVAS: Depressão – Desânimo – Desespero – Desolação – Desprezo.

Personalidade
A quem respeita quando está por baixo?
A quem maltrata quando está por cima?
A quem bajula cheio de penacho?
A quem implora que não te comprima?
Em quanto uma conduta é consciente,
em qual padrão se guia cada passo?
Você é você ou algo conseqüente
de estímulos, pressões folga ou cansaço?
Quem é você, no campo, na bonança,
à luz do sol, do céu, e a cristalina
fonte que escorre cândida e se lança
na cachoeira e segue sua sina?
Quem é você atrás de algum volante,
nas ruas cheias ou pelas estradas,
carro veloz ou caminhão possante,
passeando ou a cumprir horas marcadas?
Quem é você imerso na cidade,
carros, buzinas, freios, colisões,
com tanta gente sem identidade...
Apitos, choques, gritos, empurrões?
Quem é você, na luta, dia a dia,
a equilibrar um orçamento louco,
buscando toda hora uma energia
para ganhar “num extra” mais um pouco?
Quem é você, no mando de uma empresa,
ou de um governo farto em mordomias,
com provisões e sem poupar despesas,
de folga, mesmo, pra fazer orgias?
A quem respeita quando está carente?
A quem maltrata quando poderoso?
A quem bajula quando está potente?
Empobrecido, quando é corajoso?
Quem é você, que como eu caminha
neste mundo, qual sua identidade?
Quem é você e como é sua espinha
ao espelho da personalidade ...!
 


LEVANTA A CABEÇA

Levanta. Erga a cabeça. O mundo é belo,
Há tanto a conquistar na nossa frente,
talvez o céu, o mar... Ou o singelo
encontro se si próprio... De repente...

Descobrir os mistérios do infinito,
vasculhar tantas almas ao redor.
Se entrar em solidão soltar um grito
que chegará aos pés do Criador.

Conhecer-se a si mesmo sem receio,
e nos sóis, nas estrelas, em permeio,
voar nos vôos ideais e humanos.

Entre trovões e raios e luzeiros
gritar os grandes gritos prazenteiros
das alegrias mil de rotarianos.


Fahed Daher – Criador e ex - presidente da Academia de Letras, Artes e ciências Centro Norte do Paraná (Apucarana).
Governador de R.I. 1995/1996 – Rotary Clube Apucarana Cidade Alta.
Academia de Letras de Londrina . – Academia Paranaense da Poesia –
Centro de Letras do Paraná – Academia Virtual S.P. E, - Patrono.
SOBRAMES –Vice – presidente.